RESENHA: SHADOWSIDE – INNER MONSTER OUT

Por: Rodrigo Paulino

Amadurecimento, palavra que esteve presente em grande parte do tempo enquanto ouvia esse álbum. A banda contou com um produtor bem conhecido no meio de algumas bandas como ArchEnemy, Evergray e Dimmu Borgir, Fredrik Nordstrom, que captou a essência da banda no mais alto nível nos garantiu um grande deleite.

Começamos o álbum com 3 músicas com todo o peso de guitarras e a voz super marcante de Dani Nolden, interessante que você logo se entrega ao ritmo da música e fica com o refrão impresso na mente com muita facilidade, principalmente as faixas “Angel With Horns” e “Habictchual”, os solos são bem empregados, e a versatilidade no vocal é muito bem executada.

In the name of love”, começa meio com o freio de mão puxado, mas explode no refrão, os sustenidos dessa mulher é impressionante. A faixa tema, “Inner monster out” é pesada, com vocais mistos, entre Dani, Björ do Soilwork, Mikael Stanne do Dark Tranquillity e Niklas Isfeldt do Dream Evil. É uma música complexa, com vocais limpos, guturais, guitarras pesadas, bateria punindo, é um grande espetáculo musical, é uma pena pois de tão boa parece ser curtinha.

I’m your mind” é algo mais pesado ainda, ela me remeteu ao meu primeiro contato que tive com a banda, foi difícil eu assimilar que era uma moça que cantava desse jeito. É interessante a forma que a música se desenvolve e quando você se acostuma com o ritmo dela, ela acaba, daí quando passa para “My Disrupted Reality”, parece que é faixa anterior ao contrário, até os vocais começarem, gostei muito dessa faixa, ela parece “subir” no refrão, e os versos parecem uma queda livre, acompanhado pelo arranjo musical e as pausas antes do refrão, depois de um solo de guitarra e bateria, a bateria se mantem no ritmo, mas os riffs executados são de pirar! É uma faixa incrível.

A Smile Upon Death” parece uma montanha russa, o peso que se mantem em todo o álbum não muda nem mesmo nas partes mais lights dessa musica, o destaque dessa musica está na parte em que ela praticamente para, ao fundo as guitarras tocam lentamente ao som daquelas caixinhas de musica, mas volta com toda a força. Um grande destaque desse álbum como um todo se dá pela bateria e guitarra sempre muito bem utilizadas nas faixas.

A.D.D” é bem pesada, e para nossa surpresa, o vocal é leve, chega a ser deveras estranho, mas uma experiência muito interessante e no refrão a mulher pira! Volta ao vocal que usou o álbum inteiro! Muito bem empregada a variação vocal nessa faixa. Não deixa nada a desejar, essa faixa conta também com um dos melhores solos do álbum.

Chegamos finalmente a “Waste of Life”, uma faixa muito pesada, a voz também está muito carregada, ela entra naquele padrão de musica libertador no refrão.

Inner Monster Out com certeza é mais um degrau que a banda subiu, vale muito a pena conferir o material e apoiar a banda. A instrumentação é muito bem elaborada, todos tem seu tempo nas músicas e apesar de grande parte das músicas serem bem pesadas, a versatilidade da voz da vocalista, não deixa o álbum enfadonho ou parecendo uma música parecida com a outra, é um álbum que de tão bom, ele passa, você o ouve e acha que passou rápido.

Faixas:
1. Gag Order
2. Angel With Horns
3. Habitchual
4. In The Name Of Love
5. Inner Monster Out
6. I’m Your Mind
7. My Disrupted Reality
8. A Smile Upon Death
9. Whatever Our Fortune
10. A.D.D.
11. Waste Of Life

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Navigation