RESENHA: 07/11/2008 – NIGHTWISH NA VIA FUNCHAL/SP

Fotos e texto: Danielle Feltrin

Após 3 anos conturbados desde sua última apresentação, O Nightwish, grupo finlandês, voltou ao Brasil, e desta vez com a nova vocalista sueca Anette Olzon assumindo os vocais para a turnê do novo álbum “Dark Passion Play“, nos dias frios de 7 e 8 de Novembro, no Via Funchal, em São Paulo.

Para quem já viu a banda antes, é impossível não pensar: “Como será sem Tarja Turunen?“. Porém o tecladista Tuomas Holopainen, o baterista Jukka Nevalainen, o guitarrista Emppu Vuorinen, o baixista Marco Hietala e a nova vocalista mostraram um grande entrosamento, deixando claro que o espírito da banda continua a mesma.

O set-list soou bem diversificado para seus fãs fiéis, pois a apresentação mesclou desde as músicas da antiga formação até as recentes do último álbum, já gravado com a nova cantora. No dia 7 a banda cover Hevorah abriu a apresentação, ainda com pouco público devido ao horário.

Já imaginava-se que “Bye Bye Beautiful” abriria o set, por ser uma das mais conhecidas do novo álbum e ser bastante agitada. Recebidos com muito carinho, aplausos e gritos, os integrantes retribuíram emocionados a receptividade, deixando claro que a noite seria mais que agradável a todos os presentes.

Whoever Brings the Night” foi a seguinte, também do novo álbum. Com guitarras pesadas e um vocal “sombrio” de Anette, fez a casa tremer com tamanha euforia do público. Seguindo o set, Anette mostrou sua interpretação de “The Siren” do álbum Once, antiga formação. Com linhas vocais diferentes, cantou a seu modo e foi muito bem executada, apesar de certos exageros em seus “berros” que seu tipo vocal proporciona, mas nada que dispensasse sua bela interpretação nas músicas que não foram feitas para sua voz.

As surpresas do set ficaram por conta da escolha de músicas da fase antiga da banda, como a impulsiva “Dead To The World“; “Dark Chest of Wonders“, a que inicia o álbum Once e a até então inesperada “Sacrament of Wilderness“, uma das mais antigas (álbum Oceanborn, de 1998) e que exigiram grande capricho de Anette nos refrões. Sempre sorridente e animada, tentava conversar com o público e até arriscava o português, mas não deixava de se expressar dizendo estar feliz pela turnê brasileira e ter conhecido o nosso país.

O baixista e vocalista Marco Hietala e tecladista Tuomas Holopainen estavam sempre entrosados com o público, conversando e dando muita atenção às fãs histéricas que estavam na grade; enquanto o guitarrista Emppu Vuorinen fazia um show à parte correndo de um lado ao outro – lembrava até o Steve Harris – com seus brilhantes riffs e jogando muitas palhetas para os fãs.

Outra nova canção, “Amaranth” que virou título de single foi executada, também uma das mais conhecidas e instigantes do CD. Um momento “feeling” tomou conta da casa quando soou “The Inslander” pelos amplificadores. Os integrantes sentados, um clima sereno e uma performance espetacular de Anette nesta canção, deixando os fãs mais calmos, porém ainda mais emocionados.

Logo após a monstruosa de quase 14 minutos “The Poet and The Pendulum“, chegou uma das canções mais consagradas do grupo, “Wishmaster“, uma canção difícil a ser cantada por conter um tipo vocal muito agudo, e, apesar da disposição e carisma, Anette precisou de ajuda extra da banda, reduzindo o tom da música. Apesar de seu timbre de voz muito bonito e diferente, a música ficou comprometida, mesmo com a parceria quase que total de Marco Hientala dividindo os vocais.

A apresentação fechou com as músicas “While your lips are still red“, também uma emocionante balada cantada por Marco e apenas tocada por Tuomas; além de executarem as brilhantes “Sahara” e “Seven Days to the Wolves“, duas canções que destacam o último álbum. Ao se despedirem com “I Wish I Had an Angel“, música que fez muito sucesso nos tempos do Once, toda a banda agradeceu o carinho do público pegando nas mãos dos fãs que estavam na frente, jogando água, toalhas, baquetas e palhetas.

No dia seguinte, teve mais uma apresentação, e possivelmente muitos fãs pagaram novamente para assistir os dois dias, tamanha euforia por parte do público, atenção dos músicos e um apoio mútuo para Anette Olzon, a qual tem muito que mostrar para os que ainda não engoliram os acontecimentos da banda em Outubro de 2005.

ÁLBUM DE FOTOS

Set-list:
1 -Bye Bye Beautiful
2 -Whoever brings the night
3 -The Siren
4 -Dead to the world
5 -Amaranth
6 -Sacrament of Wilderness
7 -The Islander
8 -The Poet and the Pendulum
9 -Wishmaster
10 -While your lips are still red
11 -Sahara
12 -Dark Chest of Wonders
13 -Seven Days to the Wolves

Bônus:
14 -I wish I had an angel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Navigation