Armahda: Heavy Metal e história do Brasil

É comum, dentro do público que acompanha o Heavy Metal, vermos várias críticas à falta de bandas que abordam temáticas brasileiras, o que mostra certo desconhecimento sobre o cenário local, tendo em vista ao crescente número de bandas que utilizam da riquíssima cultura do Brasil para compor, não só letras, como músicas e identidade das bandas.

Uma das bandas que mais se destacou nos últimos anos nesse interím, foi o ARMAHDA, que trata de temas regionais, históricos, lendas e folclore brasileiros. Tudo isso colocado em uma mistura de Heavy Metal Tradicional, com letras em inglês e português.

Em seu primeiro álbum, autointitulado, lançado em 2013, a banda se arriscou por temas pouco citados dentro do Heavy Metal, chamando atenção não só do público como da mídia especializada, recebendo elogios como “este álbum é grandioso e muito rico em detalhes e também em conhecimento histórico sobre o nosso país, além de possuir músicas para fazer qualquer headbanger sair batendo cabeça” (Whiplash!), “no campo lírico surge como um sopro de ar fresco mais do que necessário a cena nacional. Porque falar de Vikings e Gnomos, se temos uma história e folclores riquíssimos? Palmas para Renato e Maurício” (A Música Continua a Mesma), “uma das mais grandiosas obras já realizadas por uma banda nacional de heavy metal, cem por cento indicado pra quem gosta de metal de boa qualidade e se interessa pela história do Brasil” (Heavy Metal Brasil), entre outras.

Tratando de temas como Guerra de Canudos, Duque de Caxias, Revolução Armada, entre outros, a banda liberou as músicas para audição gratuita no Youtube, onde o ouvinte poderá acompanhar também a história por trás de cada letra.

A partir do dia 19 de outubro, traremos faixa a faixa todas as músicas do debut álbum, com suas respectivas histórias e comentários dos músicos. Acompanhe pelo site da Metal Media ou pela página da banda no Facebook.

Contato: armahdametal@gmail.com

Sites relacionados:
www.facebook.com/Armahda
www.metalmedia.com.br/armahda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Navigation