ESPECIAL: HALLOWEEN e DIA DO SACI

Por: Rodrigo Paulino

Cada ano a versão brasileira do tradicional “Dia das Bruxas” americano, ganha forças. Ontem mesmo eu estava no ponto de ônibus, vendo do outro lado de uma avenida movimentada, uma mulher e sua filhinha, as duas com um longo chapéu pontiagudo, o da mãe com estrelas e da filhinha todo feito de arame dourado. Ambas indo a uma festinha de amigos.

Como tudo começou? Tudo começou na Inglaterra com os celtas, nas ilhas bretãs nos anos 800 a.C. e 600 d.C., eles comemoravam o final do verão, numa festividade chamada Samhain, que também era uma homenagem aos mortos e à Deusa da Perfeição. Curiosamente, a banda We Are The Fallen possui uma musica com esse nome.

Para os cristãos, a data marcava o Dia dos Mortos, no México, até hoje se é comemorado com um grande festival para todos aqueles que já faleceram. Gosto muito de lembrar da música Welcome To The Black Parade, do My Chemical Romance, sempre que penso em dia dos mortos. O clipe tem uma estética bem interessante, mostrando uma marcha, uma parada dando boas vindas ao novo integrante daquele mundo.

Os católicos então tomaram o feriado por um outro ângulo, uma outra visão, tornando-o como o Dia de Todos Os Mártires, ou o Dia de Todos os Santos (All Hallow’s Eve), com todo o contexto virado àqueles que defenderam a sua fé. O Epica é uma banda que toca em assuntos relacionados a religião como um todo e até mesmo assuntos palpitantes com relação a liberdade de expressão. Bolando este parágrafo, pensei nessa música que fala sobre mártires e a liberdade de expressão, mas o que realmente gosto nela é o coro gregoriano cantando em latim no meio dela.

Atualmente, cada dia mais adaptado à nossa cultura, o Halloween ganha uma visão diferente: bruxas, múmias, zumbis, piratas, astronautas, políticos… Enfim, todos querem ser eles por uma noite (pasmem que alguns não precisam de máscaras para assustar). Com festa ou não, com pedidos de doces, com abóboras ou apenas na decoração das lojas no centro da cidade ou na sala de pilates da academia, estão presentes elementos como morceguinhos de papel, a abóbora, etc. Os caras do Helloween fizeram uma canção com um clipe em homenagem ao Halloween.

Existe uma musica do Nightwish, que sempre que a ouço, me remete muito às festas dessa época, ela cria um clima tão interessante para uma festa do gênero, Devil And The Deep Dark Ocean. Ainda na era Tarja, essa música era a preferida na rádio da escola durante os intervalos naquela semana e durante o baile que rolava na sexta a noite daquela semana, pediam ela também algumas vezes, era indispensável.

E AQUI NO BRASIL? Por aqui temos um dia a ser lembrado no nosso país, a cultura inglesa em alguns casos acabam meio que sobrepondo sua grandiosidade, no entanto, nesta data é comemorada o dia do Saci. Talvez alguns nem se lembrem mais da figura do menino negro, de apenas uma perna, geralmente nu, fumando um cachimbo e usando um gorro vermelho. Monteiro Lobato foi o primeiro a divulgar em sua literatura a presença do rapazinho que fazia todas as travessuras nos sítios: dar nós no rabo dos cavalos, trocar todos os temperos, enfim, um garoto muito arteiro (agradecendo aqui a todos meus professores de português, que sempre falavam do folclore nessa época na escola e me ajudaram nessa noite a lembrar de alguns detalhes do rapazinho). O Detonator e as Musas do Metal gravaram um clipe homenageando o Saci, com participação do João Gordo.

Enfim, nessa linha de folk, de folclore e outras coisas, queria encerrara matéria com uma canção que acabei conhecendo ano passado, de uma banda brasileira, que especialmente me tocou demais. A banda Kattah possui essa obra prima  de ouro, uma canção chamada Lapis Lazuli.

Forte abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Navigation