Helloween promove show histórico no Espaço das Américas em SP

Texto: Felipe Domingues
Fotos: Daniel Ometo

Sábado, 28 de outubro de 2017, quem compareceu ao Espaço das Américas em São Paulo, presenciou um dos maiores espetáculos de metal de todos os tempos, sim, estamos falando do primeiro show no Brasil da turnê “Pumpkins United” comemorando os 30 anos do Helloween.

A expectativa era grande, já que os ingressos se esgotaram em menos de uma semana inclusive do show extra que aconteceu no domingo dia 29 de outubro. A região estava repleta de fãs que formavam uma fila quilométrica para entrar no Espaço da Américas que pontualmente abriu seus portões as 19h.

Do lado de dentro da casa, a expectativa e ansiedade aumentava ainda mais, pois aos poucos os fãs ocupavam todas as dependências do Espaço da Américas que ficava cada vez mais abobora por causa do movimento “bexigas laranjas” combinado pelas redes sociais.

Minutos antes do início do show, Junior Carelli, tecladista da banda Noturnall e um dos proprietários da Foggy Filmes, veio a público para falar o quanto aquela noite seria especial e para passar algumas recomendações, pois a banda faria a gravação do DVD da turnê e explicando alguns detalhes da gravação pediu para todos que primeiramente aplaudissem e depois gritassem enlouquecidamente, após recomendações o publicou entoou um coro de arrepiar e todos em uníssono cantaram “Happy, Happy Helloween, Helloween, Helloween, Happy, Happy Helloween ôÔôô”…

Pontualmente as 21h, Andi Deris (vocal), Michael Weikath (guitarra), Sascha Gerstner (guitarra), Markus Grosskopf (baixo) e Dani Löble (bateria), subiram ao palco acompanhados de ninguém mais e ninguém menos que Michael Kiske (vocal) e Kai Hansen (vocal/guitarra) dando início a grande festa com “Halloween”, música do álbum Keeper of the Seven Keys Part 1 lançado em 1987, seguida de “Dr. Stein” e “I’m Alive” com Deris e Kiske nos vocais.

Após a primeira parte do show, Deris fala que o público brasileiro é um dos melhores do mundo e por este motivo eles escolheram gravar novamente o DVD da turnê por aqui, após 10 anos do “Live in São Paulo” e anunciou “If I Could Fly” seguida por “Are You Metal?”. Kiske retornou ao palco para a execução de “Rise and Fall” do Keeper of the Seven Keys Part 2 de 1988, precisamos aqui destacar a performance e envolvimento com o público do vocalista Michael Kiske.

Deris retornou para a execução de “Waiting for the Thunder” e “Perfect Gentleman”, após foi a vez do Kai Hansen assumir os vocais com o medley “Starlight / Ride the Sky / Judas / Heavy Metal (Is the Law)”, seguida por “Forever and One (Neverland)”, um dos melhores momentos do show, com Deris e Kiske sentados à frente do palco em um clima acústico e acompanhados pelo público.

Na sequência, “A Tale That Wasn’t Right” com Kiske e “I Can” com Deris, hora de destacar o baterista Dani Löble, com sua bateria monstruosa de 4 bumbos, Löble fez seu solo interagindo com o público. Também é preciso destacar o desfile de guitarras de flying v no palco, principalmente a guitarra personalizada do Michael Weikath, pintada pelo artista Marcos Moura.

O show seguiu com uma sequência destruidora com “Livin’ Ain’t No Crime / A Little Time”, “Why?”, “Sole Survivor” e “Power”, a banda mostrou um entrosamento perfeito no palco, afinal, são mais de trinta anos de estrada, os vocais de Deris e Kiske, o timbre das guitarras, realmente eles se prepararam muito para fazer shows memoráveis nesta turnê e para finalizar a primeira parte do show, “How Many Tears”, música do primeiro álbum da banda Walls of Jericho lançado em 1985, com Deris, Kiske e Hansen nos vocais.

Pouco tempo depois, Kiske retornou para anunciar um dos maiores clássicos da banda “Eagle Fly Free” levando o público ao delírio que acompanhou em coro o vocalista durante toda a execução da música. “Keeper of the Seven Keys” foi a próxima e destacamos o guitarrista Sascha Gerstner em mais um momento memorável do show, com interação total do público.

Após uma outra pequena pausa, a banda retornou com mais um clássico, “Future World”, cantado em uníssono pelo público e para finalizar com chave de ouro “I Want Out”. Uma festa perfeita, digna de uma comemoração tão especial, com a reunião de grandes músicos que influenciaram e influenciam novas gerações do metal.

Era nítida a satisfação dos fãs, que se emocionaram, cantaram e curtiram aquele momento ao lado dos seus ídolos de décadas, durante a apresentação, pude ouvir comentários como “nossa, sempre sonhei em assistir um show desses”, “nunca imaginei que pudesse ver a banda com essa formação”.

Agora as perguntas que ficam… Após a turnê o que acontecerá com a banda? Vai cada um para o seu projeto ou lançarão algo novo juntos para o Helloween?

Agradecemos a assessoria de imprensa da Free Pass Entretenimento por ceder gentilmente as credenciais para o Ponto ZerØ. Até a próxima.

Setlist:
Halloween
Dr. Stein
I’m Alive
If I Could Fly
Are You Metal?
Rise and Fall
Waiting for the Thunder
Perfect Gentleman
Starlight / Ride the Sky / Judas / Heavy Metal (Is the Law)
Forever and One (Neverland)
A Tale That Wasn’t Right
I Can
Drum Solo
Livin’ Ain’t No Crime / A Little Time
Why?
Sole Survivor
Power
How Many Tears

Bis I:
Eagle Fly Free
Keeper of the Seven Keys

Bis II:
Future World
I Want Out

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Navigation