Threesome: sobre sexo e nudez, erotismo e pornografia, arte e rock ‘n’ roll

Formada em 2012 em Campinas/SP, a Threesome é um quinteto de música autoral esteticamente influenciada pelo rock dos anos 60 e 70 e com referencias de outros segmentos como o blues, jazz e o indie.

Inerentemente maliciosas, as letras das músicas do Threesome discorrem geralmente sobre as relações humanas pela perspectiva das experiências sexuais, monogâmicas ou não. Mais do que contar histórias clichês, a Threesome quer provocar, romper barreiras impostas pelo preconceito e por setores opressores da sociedade, promovendo a livre reflexão sobre um dos temas centrais dos estudos de Sigmund Freud.

“Get Naked” é o título do álbum de estreia do Threesome lançado em 2014. O disco reúne 11 faixas e está integralmente disponível online através das principais rádios e aplicativos. No canal oficial da banda no Soundcloud também é possível ouvir “Get Naked” na íntegra:https://soundcloud.com/threesomerock/sets/get-naked

O Threesome está prestes a lançar seu novo EP. O trabalho é intitulado “Keep On Naked” e foi produzido por Maurício Cajueiro, renomado produtor brasileiro que já trabalhou com alguns dos nomes mais relevantes do mundo da música como Linkin Park, Steve Vai, Glenn Hughes, Gene Simmons, Stephen Stills, entre outros.

E foi para falar sobre o novo EP que o site Gaveta de Bagunças convidou a vocalista Juh Leidl para uma entrevista. Considerando a estética sexual inerente ao trabalho do Threesome, e provocado pelos recentes episódios e discussões a respeito da nudez na arte, especialmente considerando as polêmicas envolvendo a performance do projeto “La Bête” no MAM em São Paulo, a entrevista tomou um direcionamento muito profundo no que diz respeito a discussão desses temas.

“A nudez pode ou não estar relacionada ao sexo. Ela pode acontecer como simples percepção estética da forma humana, livre de contextos sexuais. Quando vemos esculturas do classicismo grego, o auge da exploração das formas humanas como medida do universo, como busca da virtude, ética e estética primorosos, me parece quase impossível pensar em sexo, as poses, os temas, bem como em outras escolas posteriores.”, respondeu Juh Leidl, que também é artista plástica formada pela Unicamp, quando perguntada sobre as possibilidades da nudez não sexualizada na arte.

A diferença entre erotismo e pornografia também foi colocada em discussão na entrevista.

“No erótico cabe espaço para a imaginação e essa pode ser infinita, é uma palavra que usamos pra romantizar um pouco o sexo, em sua origem grega carrega o sentido de amor, paixão e desse desejo, afinal, podemos ter o nu erótico, aparentemente revelado, mas a abordagem passeia entre a preocupação com a estética e o que chamamos de pornografia, e esta, por sua vez, não tem a menor pretensão de insinuar, você não precisa imaginar nada porque tudo já está ali, ela é escancarada e “exposta” e pegando pela origem da palavra, fica mais fácil de entender o contexto”, declarou a vocalista.

Sexo e Rock ‘n’ Roll voltam a dar as mãos no universo estético-musical do Threesome e essa entrevista para o site Gaveta de Bagunças foi muito mais fundo nesses assuntos. Para ler a entrevista na íntegra, acesse:

https://gavetadebagunca.wordpress.com/2017/11/10/threesome-sexo-sexo-e-rock-n-roll/

Mais informações sobre datas e plataformas de lançamento de “Keep On Naked” serão divulgadas na próxima semana.

Além de Juh Leidl, o Threesome também é formado por Fred Leidl (guitarra/piano/vocal), Bruno Manfrinato (guitarra), Bob Rocha (baixo) e Henrique Matos (bateria).

Mais Informações:
www.3somerock.com
www.facebook.com/3some
www.youtube.com/threesomerock
www.twitter.com/ThreesomeRock
www.instagram.com/threesomerock
www.soundcloud.com/threesomerock

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Navigation