Tag Archives: Ase Press

Kuazar: single/clipe ‘Obscure & Violent’ antecipa álbum de retorno

Foto: Krys Amon

Trio paraguaio de thrash metal conta agora com a presença do baterista brasileiro Marcelo Moreira (Almah, Kiko Loureiro, Circle II Circle, Graham Bonnet Band, Marmor, Burning In Hell)

“Obscure & Violent”, primeiro single de “Hybrid Power”, o álbum de retorno do grupo paraguaio Kuazar, acaba de ganhar um videoclipe, que traz cenas filmadas em Los Angeles/CA (EUA) e nas cidades de Ciudad del Este e Assunção (PAR). “As imagens da banda foram captadas pelo experiente cinegrafista Krys Amon (Rede Globo, Esporte Espetacular). As cenas extras foram captadas e editadas pela produtora MC Flight, de Andres Martinez”, revelou o experiente baterista Marcelo Moreira, que agora se junta a Josema Gonzalez (vocal e guitarra) e Marcelo Saracho (baixo).

Veja o videoclipe de “Obscure & Violent” em https://youtu.be/gOjfn5Lp1tk

“Obscure & Violent” fala da natureza violenta da humanidade e como atos agressivos estão sempre presentes de maneira quase “natural” na vida do ser humano. “O refrão diz ‘o ódio é a fonte do nosso poder’, o que resume a ideia principal da letra, explorando a existência natural de sentimentos ruins, agressivos e sádicos na humanidade. Desde os cultos religiosos espirituais até as guerras, a presença do mal e dos pensamentos agressivos está sempre presente na humanidade”, explicou Josema Gonzalez.

O Kuazar vem se destacando nos palcos da América do Sul, tendo realizado shows no Paraguai, Brasil e Bolívia, tocando ao lado de Megadeth, Kreator, Behemoth, Hirax, Sepultura, Violator e Krisiun, obtendo uma sólida base de fãs em um curto período de tempo.

Com músicas agressivas e versáteis, incluindo toques de elementos latinos, o trio lançará “Hybrid Power”, sucessor de “Wrath of God” (2009) e do DVD “Wrath on the Road” no primeiro semestre. O material foi gravado nos Estados Unidos, nos estúdios Fuel Music Studio e Marmor Studio, contando com mixagem e masterização a cargo do experiente Brendan Duffey. “O álbum traz novos elementos, com uma pegada mais moderna, criando um som com características próprias, que lembra, em alguns momentos, bandas que nos influenciaram, como Slayer, Gojira, Lamb of God e Sepultura”, concluiu Marcelo Moreira.

Mais informações em facebook.com/kuazarmetal

Contato: contactokuazar@gmail.com

V Project, do baterista Sérgio Facci, regrava música do Vulcano

“Gates of Iron” conta com a participação especial de Yohan Kisser (Sioux 66) e Brunno Mariante (Heal or Kill)

O baterista paulistano Sergio Facci (Vodu), que registrou clássicos do metal brasileiro com Vodu, Viper e Volkana, criou o projeto paralelo V Project. “A ideia era regravar grandes clássicos do metal nacional das bandas por qual passei”, explicou Facci. Após lançar, em dezembro de 2014, um EP com regravações de “Final Conflict” (Vodu), “Living for the Night” (Viper) e “Darkness” / “When 2R1” (Volkana), o V Project retornou ao estúdio para regravar “Gates of Iron”, do Vulcano, com o qual o baterista pôde se apresentar ao lado de Venom e Exciter, em 1986, no Ginásio do Corinthians (SP). “Naquela época, o Vodu estava promovendo o primeiro disco, ‘The Final Conflict’, e fizemos shows por várias cidades do Brasil e também na Argentina. Na turnê, tive a oportunidade de abrir os shows do Venom e Exciter em Brasília (DF) com o Vodu, e, em São Paulo, tocando com o Vulcano”, recordou.

Ouça “Gates of Iron”, gravada no estúdio Orra Meu (SP), com produção de Gustavo Barcellos e Sergio Facci, em https://youtu.be/uARoxMaKyW8

A regravação de “Gates of Iron” conta com participações especiais do guitarrista Yohan Kisser (Sioux 66) e do vocalista Brunno Mariante (Heal or Kill), além de Cleimar Fernandes (guitarra) e Artur Silveira (baixo), ambos do Jonnie Cake.

“Foi uma honra e um experiência fantástica participar da regravação de ‘Gates of Iron’! Gravei minha guitarra no estúdio Orra Meu junto ao Sergio e acrescentamos alguns detalhes novos a regravação, que ficaram bem interessantes, mas a música mantém a mesma pegada thrash e rápida da original”, contou Yohan Kisser.

Facci, por sua vez, afirma que convidou Yohan Kisser e Brunno Mariante “justamente por fazerem parte da nova geração de músicos do metal nacional.” Além disso, o baterista explica que escolheu “Gates of Iron” porque tinha mais a ver com o estilo que gosta de tocar. “Ela é rápida e tem uma variação de tempo interessante. Dedico esta regravação ao Eduardo de Souza Bonadia, que faleceu recentemente e foi um grande apoiador do Vodu, desde o começo da nossa carreira, e um amigo pessoal”, concluiu o baterista.

Sites relacionados:
www.sergiofacci.com
www.vprojectbr.com
www.voduband.com
soundcloud.com/sergio-facci


Sick Damnation lança clipe com participação de Vitor Rodrigues

Crédito: Cris Rachel

“Devil’s Hostage 24/7” faz parte do repertório do álbum de estreia, “Damnøcracy”


O Sick Damnation, formado por JV Landi (vocal), Junior Sagster e Lucas Pelarin (guitarras), Paulo Pedraza (baixo) e Thiago Rosa (bateria) e que atualmente promove o álbum de estreia, “Damnøcracy”, acaba de lançar o videoclipe de “Devil’s Hostage 24/7”. A faixa conta com a participação do vocalista Vitor Rodrigues (Victorizer, ex-Torture Squad e Voodoopriest). As cenas do clipe, produzido por Max Di Giosia (F11 Produções), foram captadas no show realizado no Espaço Som (SP), em novembro último.
 
Segundo o guitarrista Junior Sagster, a letra é “uma singela ‘homenagem’ a um dos chefes que tive e me obrigava a rezar todos os dias antes de entrar na redação da editora.” “Devil’s Hostage 24/7” fala sobre uma pessoa que viveu uma vida totalmente desregrada e sem rumo, até o dia em que ‘encontrou Deus’. “Ele transformou a vida de todos em um inferno. Na verdade, ‘Deus’ é, e sempre foi, ‘capiroto’ 24 horas, 7 dias na semana”, detalhou Sagster.
 
Veja o vídeo de “Devil’s Hostage 24/7” em https://youtu.be/Dj-hOeUCNQI
 
“Damnøcracy”, gravado no Erean Sound Music Studio, com o auxílio do produtor Renan Brito, teve a arte de capa a cargo do premiado designer e quadrinista Alexandre Jubran (Demolidor/Conan). O material foi disponibilizado pela CD Baby e pode ser ouvido nas principais plataformas de streaming – Spotify, Deezer, iTunes e YouTube Music.
 
Spotify: https://is.gd/qnheCH
Deezer: https://is.gd/Bmpyqx
 
Sites relacionados:
www.facebook.com/sickdamnationmetal
www.instagram.com/sickdamnation
 
Contato para shows: sickdamnationmetal@gmail.com


David Ellefson virá ao Brasil com a Masterclass ‘Basstory’

Baixista do Megadeth apresentará sua Masterclass dia 31 de novembro, no Manifesto Bar

Enquanto o Megadeth aguarda o tratamento de câncer na garganta do líder Dave Mustaine para dar continuidade às gravações de seu décimo sexto álbum, sucessor do premiado “Dystopia” (2016), vencedor do Grammy Awards, na categoria ‘Melhor Performance de Metal’ com a música homônima, seus demais integrantes têm se envolvido em diversos projetos e atividades paralelas. Um dos mais atarefados é o baixista David Ellefson, que desembarca no Brasil no dia 31 de novembro, para show único, em São Paulo, no tradicional Manifesto Bar, que em 2019 está celebrando 25 anos de atividades. Ellefson apresentará a masterclass “Basstory Tour”, com a qual, desde 2018, tem visitado diversas cidades americanas, além de países como República Tcheca, Dinamarca, Itália, Turquia, Alemanha, Holanda, Polônia, Austrália, México e Chile.

Os ingressos online estão à venda através da Ticket Brasil em https://is.gd/FwJgVp

Ellefson tem aproveitado a “Basstory Tour” para divulgar seu novo livro autobiográfico, “More Life with Deth”, lançado a 19 de julho via Jawbone Press, junto ao seu primeiro álbum solo, “Sleeping Giants”, ambos realizados em parceria de seu sócio, o vocalista Thom Hazaert. Além desses trabalhos, este ano o incansável Ellefson já havia lançado “Get it On”, álbum de estreia do Altitudes & Attitude, seu projeto com o também baixista Frank Bello, do Anthrax. Fora dos palcos, o fiel escudeiro de Dave Mustaine no Megadeth tem tocado seus empreendimentos particulares, no caso, a rede de café Ellefson Coffee, o selo EMP Label Group e a lendária gravadora Combat Records, que adquiriu e reativou após décadas de inatividade.

Durante a masterclass “Basstory Tour”, fãs ainda poderão subir ao palco para tocar ao lado de Ellefson. Para participar, envie um vídeo para o email info@manifestobar.com.br.

Serviço – MasterClass com David Ellefson:
Data: 30 de novembro (sábado)
Abertura da casa: 17h
Local: Manifesto Bar
Endereço: Rua Iguatemi, 36, Itaim Bibi – São Paulo/SP
Ingressos – 1º lote: a partir de R$ 120 (Pista promo e meia-entrada)
Vendas no Manifesto Bar e online pela Ticket Brasil em https://is.gd/FwJgVp
Fone: (11) 2574-5256
Cartões: Visa, Mastercard, Elo, American Express e Dinners
Débito: Visa Electron, Maestro, Rede Shop
Censura: 16 anos
Acesso a deficientes / ar condicionado
Wi-fi: a casa possui acesso a internet sem fio
Serviço de Vallet: R$20,00
E-mail: info@manifestobar.com.br
Site: www.manifestobar.com.br

Trema apresenta novo single e videoclipe

Grupo paulistano volta às origens e lança seu trabalho mais “nervoso”

No álbum “Na Capital”, lançado no ano passado, o quarteto paulistano Trema passeou por diversas vertentes do rock, blues e também flertou com o pop, o alternativo e até o progressivo. Porém, em faixas mais hard rock, como “Futuro” e “Mondays”,  que encontrou sua melhor sonoridade. Para buscar a essência desse rock mais pesado, porém moderno, o novo single “Stop it” teve a produção de Adriano Daga (Angra, Malta, Jeff Scott Soto), músico e produtor de longa data e ganhador de Grammy. 
 
Daga conta que no processo de composição e gravação procurou extrair ao máximo o potencial que ele enxergou na canção e nos músicos: “Ficou muito claro para mim, quando vi o primeiro ensaio, que a música era uma ‘porrada sonora’. E os músicos, feras enjauladas. O que fiz foi soltar as feras… E o resultado não poderia ser melhor.”
 
Para acompanhar o lançamento do single a banda produziu um videoclipe colaborativo, com a participação de personalidades do mundo da música e entretenimento, além de amigos que de alguma forma fizeram parte da história da banda ao longo de mais de 20 anos de estrada.
 
Veja o clipe de “Stop it” em https://youtu.be/ixZ-Wxksuvs
 
Já a letra de “Stop It” traz uma mensagem forte e positiva de que nunca é tarde para mudar, e parar com as atitudes que nos afastam do que realmente importa: as pessoas. Além disso, repensar a respeito da maneira que vivemos. Sobre a sonoridade, o guitarrista Maw Kido destaca: “No álbum ‘Na Capital’ trouxemos um pouco de tudo com várias influências do universo do rock. Com esse novo som conseguimos resgatar mais da nossa essência, que basicamente vem do hard rock e também do metal. Ficou uma pegada nervosa.”
 
“Stop it” está disponível em todas as plataformas digitais, com apoio e distribuição da Ditto Music: https://ditto.fm/tremastopit
 
Trema:
Zebini: vocal
Maw Kido: guitarra e voz
Marco Maia: baixo
Rafa Blekic: bateria
 
Site relacionado: http://bandatrema.com
 
Contato para shows: zebini@idealz.com.br


King Bird: sucessor de ‘Got Newz’ será lançado na Europa

‘Flying High’ vem sendo composto e sairá no mercado europeu pela Lions Pride Music

Crédito: Pati Patah

O King Bird alterou os planos iniciais de soltar singles individuais e revela que o sucessor de “Got Newz”, quarto ‘full-length’ da carreira, está em fase de composição e será lançado no segundo semestre de 2020. “Estamos muito felizes em anunciar o mais alto voo do pássaro. Fechamos uma parceria com o selo dinamarquês Lions Pride Music e já estamos trabalhando forte na composição do novo álbum, que levará o título de ‘Flying High'”, revelou o baterista Marcelo Ladwig. “Nesse período, além de seguir compondo, continuamos fazendo shows e a próxima parada é o festival ‘River Rock’, que será realizado em Indaial (SC) em setembro”, acrescentou o guitarrista Silvio Lopes.
 
Confira o vídeo ao vivo da faixa “Daybreak”, gravado no SESC Belenzinho (SP) no lançamento oficial de “Got Newz”: https://www.youtube.com/watch?v=LvOtSy7p_0U
 
Veja o vídeo ao vivo de “Daybreak” em https://youtu.be/LvOtSy7p_0U
 
A formação atual, com Ton Cremon (vocal), Silvio Lopes (guitarra), Fábio Cesar (baixo) e Marcelo Ladwig (bateria), lançou “Got Newz” em maio de 2016. “Na época, a ideia era mostrar que a banda se renovou novamente. Novo vocalista e aquela mesma sonoridade setentista com uma roupagem do Século 21. Agora, porém, estamos muito mais entrosados e o nosso quarto álbum, ‘Flying High’, irá mostrar não só que a nossa personalidade musical foi mantida, mas que teremos algumas surpresas”, adiantou Lopes. “Estamos seguindo na mesma linha de composições do ‘Got Newz’, mantendo a veia hard e também trazendo um pouco mais de peso”, concluiu o vocalista Ton Cremon.
 
Ouça “Got Newz” no Spotify em  https://is.gd/Psj4ra
 
Discografia:
“The Gods’ Train” (EP, 2003)
“Jaywalker” (2005)
“Sunshine” (2008)
“Beyond The Rainbow” (EP, 2012)
“Got Newz” (2016)
“Supernaut” (Sabbath Brazil Sabbath – Black Sabbath Tribute, 2018)
“Money Talks” (For Those About to Brazil – AC/DC Tribute, 2018)
 
Formação:
Ton Cremon (vocal e guitarra)
Silvio Lopes (guitarra)
Fábio Cesar (baixo)
Marcelo Ladwig (bateria)
 
Sites relacionados:
http://www.kingbird.com.br
https://www.instagram.com/kingbirdofficial/
https://www.facebook.com/KingBirdBand/
https://www.riverrock.com.br/
 
Contato para shows: shows@kingbird.com.br

Flowerleaf lança lyric video de ‘Paralysis’

Faixa abre o álbum de estreia, “Stronger”, lançado em novembro de 2018

Foto: Tamira Ferreira

“Paralysis”, faixa de abertura de “Stronger”, álbum de estreia da banda de symphonic metal FlowerLeaf, acaba de ganhar um lyric video. “A música fala sobre a paralisia do sono, um distúrbio recorrente que, às vezes, enfrento no período do amanhecer. Durante esse momento parece que uma força nos puxa para baixo. Não dá para se mover ou falar. Porém, ao dominar o medo e obter controle da situação, é possível tranquilamente cair em um sonho lúcido”, explicou a vocalista Vivs Takahashi.
 
Veja o lyric video de “Paralysis”, produzido por Grazy Mesquita (Lasting Maze) em https://youtu.be/-R_7Fd6ZsNg
 
“Stronger”, que teve a arte de capa criada por Carlos Fides (Kryour, Almah, Evergrey, Semblant, Noturnall, Trezzy, Silver Mammoth), contou com produção do guitarrista Raphael Gazal (ex-Pastore, Bullet Back). O álbum ainda traz participações especiais de Mylena Monaco (Sinaya) e Marina La Torraca (Exit Eden, Phantom Elite).
 
Composta em meados de 2007, quando Vivs Takahashi e Marcelo Kaczorowsky (baixo) ainda nem se conheciam, “Paralysis” foi rearranjada especialmente para o debut. “Ao ouvirmos alguns arquivos antigos, achamos que daria para aproveitar essa música. Reescrevi parte da letra e ajustamos algumas coisas na melodia para a versão que constou em ‘Stronger'”, concluiu a vocalista.
 

Site relacionado: www.flowerleafband.com 
Spotify: https://goo.gl/AwtbHi
 
Contato: contact@flowerleafband.com

Faces of Death lança clipe de versão para ‘Black Magic’ do Slayer

“Black Magic” é faixa de “Show no Mercy” (1983), álbum de estreia do Slayer

Foto: Davi Oliveira

Após o lyric video para “King of Darkness” e o clipe de “Fucking Human Gods”, que integram o repertório do álbum “From Hell” (2018), a banda paulista de thrash metal Faces of Death apresenta o videoclipe para a versão de “Black Magic”, clássico do Slayer. “O Slayer sempre nos inspirou a tocar. Como já tocamos ‘Black Magic’ em nossos shows, decidimos fazer esta homenagem para agradecer o que a banda representa para nós e para todos que tocam thrash metal”, declarou o vocalista e guitarrista Laurence Miranda.
 
Para ver o vídeo de versão para ‘Black Magic’ do Slayer acesse: https://youtu.be/2C74MjxSaz0
 
A versão de “Black Magic” foi gravada no Estúdio Acrobata, em São José dos Campos (SP), com produção de Friggi Mad Beats, e masterização no Absolute Master.
 
Criado na cidade de Pindamonhangaba (SP) em 1990, o Faces of Death logo chamou a atenção com seu thrash metal. Na época, o grupo soltou duas demos, mas não chegou a gravar um registro oficial. Após quase duas décadas inativo, retomou as atividades em 2016 e passou a tirar o atraso, lançando o EP “Consummatum Est” (2017) e o debut, “From Hell”, em 2018. Laurence Miranda (vocal e guitarra), Felipe Rodrigues (guitarra), Sylvio Miranda (baixo) e Sidney Ramos (bateria) seguem promovendo “From Hell” nos palcos e, além da versão do Slayer, seguem compondo músicas novas para lançar o segundo álbum, sucessor de “From Hell”, em 2020. “As músicas para o segundo estão ficando pesadas, com a essência do thrash metal dos anos 80/90 intacta. Porém, nossa principal meta é mostrar isso com identidade própria”, concluiu Laurence Miranda.

Site relacionado: www.facebook.com/facesofdeathband
 
Contato para shows e merch: facesofdeath@hotmail.com

Furia Inc.: álbum ‘Raw’ disponível nas plataformas de streaming

Sucessor de “Murder Nature” foi gravado na Loud Factory (SP) e teve mixagem e masterização na Califórnia/EUA, a cargo de Brendan Duffey

Foto: Guilherme Fernandez

“Raw”, segundo álbum do quarteto paulistano Furia Inc., formado por Victor Cutrale (vocal), Gustavo Romão (guitarra), Fabio Carito (baixo) e Neto Romão (bateria), está disponível nas principais plataformas de streaming. O material foi gravado na Loud Factory (SP) por Wagner Meirinho e Thiago Assolin, com mixagem e masterização na Califórnia/EUA, a cargo de Brendan Duffey (Angra, Andre Matos, Torture Squad e Almah). “Como já conhecíamos o trabalho do Brendan, quisemos manter a mesma qualidade. No entanto, ficamos surpresos com a qualidade e profissionalismo na parte de gravação com a equipe do estúdio Loud Factory. Estávamos alinhados e bem preparados, o que contribuiu no desenvolvimento de todo o processo. Agora é hora de colher e compartilhar os frutos”, declarou o guitarrista Gustavo Romão.

O álbum foi antecipado com o videoclipe para a faixa “Light the Fire”, produzido pela empresa Gravando Bandas Produção Audiovisual e por Derick Borba. “A letra, que compus com o letrista Thiago Ribeiro (Hatematter, Neshamot), é uma reflexão e uma homenagem a todos que lutam por direitos iguais, pensando em um mundo melhor. É como se fosse um som do Pantera com uma temática mais positiva e ‘pra frente'”, explicou o vocalista Victor Cutrale.

Veja o clipe “Light the Fire” em https://youtu.be/-0RcMK8AugI

O grupo pretende soltar, em breve, um vídeo para a faixa “The Knight and the Bishop”, música é baseada no filme ‘O Sétimo Selo’, do diretor Ingmar Bergman e que conta com a participação especial do vocalista Igor Godoi (Sioux 66). “Ela retrata o conflito do cavaleiro Antonius Block ao conhecer a morte e desafiá-la a um jogo de xadrez. Daí vem o título, pois se trata de um tipo de jogada utilizada durante uma partida. Ele quer ganhar mais tempo para descobrir o sentido de sua vida”, detalha o guitarrista.

Já “The Endless Void”, faixa de abertura, fala sobre o momento da supercomunicação que estamos vivendo. “Ela fala das mentiras espalhadas, de você navegar por muitas informações contraditórias, sem ter certeza de nada. Fala, ainda, sobre comprar conflitos e criticar situações que fogem do seu conhecimento”, explicou o vocalista. Já “MAX (The Moon Dagger)” traz uma temática ligada ao terror. “É a primeira de uma linha de músicas (selo MAX), focada em histórias de terror. Esta é sobre o ‘Adaga da Lua’, uma mistura de Jason Voorhees e Michael Myers, uma besta sedenta por sangue”, acrescentou Cutrale.

O baterista Neto Romão explica que, no sucessor de “Murder Nature” (2014), a banda procurou um tipo de composição mais direta. “Mensagens mais diretas, músicas mais agressivas e mais groove. Isto resume o nosso objetivo em ‘Raw’.” 

O repertório de “Raw” é o seguinte:
1 – Raw
2 – The Endless Void
3 – MAX (The Moon Dagger)
4 – D-Generation
5 – Light the Fire
6 – Killing Machine
7 – Slaves to the Blood
8 – Private Fiction
9 – Devouring Darkness
10 – The Knight and the Bishop (feat. Igor Godoi)

Ouça no Spotify em https://is.gd/3pVhrJ
Ouça no Deezer em https://is.gd/WWfXk1

Discografia:
Creatin’ a World (EP, 2010)
Before the World Ends (EP, 2011)
Murder Nature (CD, 2014)
Raw (CD, 2019)

Site relacionado: www.furiainc.com.br
Mídias sociais: @furiainc
Merchandising (Furia Inc. Store): http://store.furiainc.com.br/

Contato para shows: (11) 982807010 | furiainc@gmail.com


Picture: holandeses gravarão DVD ao vivo em São Paulo

Os fãs ficaram animados quando o grupo holandês Picture lançou o álbum ao vivo “Live – 40 Years Heavy Metal Ears, 1978-2018” (Pure Steel Records), trazendo músicas de todas as fases de sua carreira. Agora, os brasileiros poderão ver e sentir novamente o poder de fogo desta lendária banda de metal, que se apresentará no dia 16 de junho (domingo), a partir das 18h, no Manifesto Bar, tradicional casa de São Paulo. 

Na ocasião, Ronald van Prooijen (vocal), Jan Bechtum e Appie de Gelder (guitarras), Rinus Vreugdenhill (baixo) e Laurens “Bakkie” Bakker (bateria) irão capturar cenas para posterior lançamento em DVD. “É uma honra para o Manifesto Bar, especialmente no ano em que celebramos os 25 anos de atividades, saber que uma banda como o Picture, pioneira do metal na Holanda, vai registrar cenas do show em São Paulo para o seu DVD”, comemora Luis Brancati, um dos proprietários do Manifesto.

Além de Appie de Gelder, o Picture atualmente conta com os quatro integrantes fundadores, que gravaram os dois primeiros discos – “Picture” (1981) e “Heavy Metal Ears” (1981). O repertório do show contará com músicas de quase todas as fases da extensa carreira, incluindo os clássicos “Eternal Dark”, “Diamond Dreamer”, “Heavy Metal Ears”, “Bombers”, “You’re All Alone”, “Message from Hell”, “Night Hunter”, “The Hangman” e “Lady Lightning”, entre outros.

Além dos shows, com participações em importantes festivais europeus este ano, entre eles o “Bang Your Head” (ALE), a banda também está preparando um disco novo de inéditas, intitulado “Wings”, programado para sair ainda este ano. Duas das novas, “Line of Life” e “Little Annie”, já constam no canal do YouTube – veja a versão ao vivo de “Little Annie”, apresentada em novembro de 2018 em Drachten (HOL) em https://youtu.be/a6VdwkgusjE.

Serviço – Picture:
Data: 16 de junho (domingo)
Abertura da casa: 18h
Local: Manifesto Bar
Endereço: Rua Iguatemi, 36, Itaim Bibi – São Paulo/SP
Ingressos: R$ 80
Venda online na Ticket Brasil: https://ticketbrasil.com.br/show/6828-picture-saopaulo-sp/ingressos/
Fone: (11) 3168-9595 | WhatsApp (11) 94747-5883
Cartões: Visa, Mastercard, Elo, American Express e Dinners
Débito: Visa Electron, Maestro, Rede Shop
Censura: 16 anos
Acesso a deficientes / ar condicionado
Wi-fi: a casa possui acesso a internet sem fio
Serviço de Vallet: R$20,00
E-mail: info@manifestobar.com.br
Site: www.manifestobar.com.br

Hatematter apresenta clipe para ‘Blackout Afterglow’

Interligada ao single “At Tannhauser Gates”, faixa integra “Metaphor”, aclamado terceiro álbum do grupo de death metal melódico.

Quando Luiz Artur (vocal), André Buck e Gustavo Polidori (guitarras) e Lucas Emidio (bateria) finalizaram a produção de “Metaphor”, a primeira faixa promovida foi “At Tannhauser Gates”, com letra baseada na obra do diretor Ridley Scott, Blade Runner (1982) e nos manuscritos de Phillip K. Dick, ‘Do Androids Dream of Electric Sheep?’, de 1968. Agora, o Hatematter apresenta o videoclipe para “Blackout Afterglow”, faixa que é ligada ao mesmo conceito. “Com o single ‘At Tannhauser Gates’, nós abordamos o plot principal do longa ‘Blade Runner 2049′ (2017), sequência do clássico de 1982, tendo a visão e direção de Denis Villeneuve. Na letra, acompanhamos os desdobramentos apocalípticos que acometem o mundo após o fim do primeiro filme, e a jornada do replicante Agente K’ em busca de um sentido para sua própria existência”, detalhou o guitarrista Gustavo Polidori.

Veja o clipe de “Blackout Afterglow”, produzido pela Domínio Mediacraft e com cenas captadas no estúdio Espaço Som (SP), em https://youtu.be/zN7Y5LdNw0A

Mantendo a tradição de explorar letras filosóficas e futuristas, tendo a ficção científica, além de histórias realistas e cotidianas, como referência, “Metaphor” também conta com o lyric video de “They Arrive” e o videoclipe de “Agonizing Wail”. “Filmes como Blade Runner (1982), A Chegada (2016) e San Junípero, da série Black Mirror serviram como base de algumas letras, criadas junto com Thiago Ribeiro, que já havia trabalhado conosco em ‘Foundation'”, explicou o baixista André Martins.

Veja o clipe de ‘Agonizing Wail’ em https://is.gd/TjJnII

Gravado no estúdio Casanegra por Rafael Augusto Lopes, e produzido, mixado e masterizado nos EUA por Brendan Duffey, “Metaphor” teve a arte de capa criada por Rafael Tavares (Metal Allegiance, Torture Squad, DyingBreed e Blood Red Throne). O sucessor de “Foundation” (2014) figurou em décimo lugar na lista dos 20 melhores discos de 2018 pela revista Roadie Crew.

Facebook: www.facebook.com/hatematterofficial

Contato para shows e merchandising: hatematter@gmail.com

Foto (Crédito: Tuco – @tuco.media)


Kryour: detalhes do show de lançamento ‘Where Treasures Are Nothing’

Conceitual, “Where Treasures Are Nothing” vem embalado com um som entre o death metal melódico e o metalcore

O quarteto paulistano Kryour fará o show de lançamento do álbum de estreia, “Where Treasures Are Nothing”, no dia 22 de junho, a partir das 17h30, no Jai Club, em São Paulo (SP). O evento ainda contará com a presença do Venomous, que recentemente lançou o single “Black Embrace”. “Estamos entusiasmados com essa celebração oficial! Nos preocupamos com os mínimos detalhes e tivemos muito tempo para planejar para tudo sair do melhor jeito. Chamamos a Venomous, pois admiramos demais o trampo dos caras e tudo ficou melhor ainda. Esse vai ser o show mais importante que vamos fazer, e isso significa muito para mim e para todos os integrantes”, disse Gustavo Iandoli. “Planejamos o setlist e tudo que vamos fazer nos palcos. O que mais gosto é ter essa calma para se programar, porque acredito que sempre dá para se aproveitar o máximo possível das coisas”, acrescentou o vocalista e guitarrista.

Foto (Crédito: Renan Facciolo)

Gustavo Iandoli (vocal e guitarra), Wesley Peira (guitarra), Gustavo Muniz (baixo) e Matheus Carrilho (bateria) trazem em “Where Treasures Are Nothing” um som versátil, entre o death metal melódico e o metalcore. O material  contou com produção a cargo de Diego Castro (The Ocean Revives, Purge, Abstracted, Summeria) e teve arte de capa de Carlos Fides (Almah, FlowerLeaf, Evergrey, Semblant, Noturnall, Trezzy, Silver Mammoth). 

Veja o clipe de “Restless Silence” em https://youtu.be/Z9iertirMwM

Conceitual, o trabalho narra fatos do nascimento até a morte e aborda os valores humanos. “O repertório do álbum se forma em uma história de vida e retrata valores humanos sob a ótica da ansiedade e da depressão”, concluiu Iandoli. 

Ouça no Spotify em https://is.gd/HrwgMC
Ouça no Deezer em https://is.gd/cz3MLj


Serviço – show de lançamento ‘Where Treasures Are Nothing’:
Bandas: Kryour e Venomous
Data: 22 de junho
Horário: a partir das 17h30
Local: Jai Club
Endereço: Rua Vergueiro, 2676, São Paulo/SP (próximo ao metrô Vila Mariana)
Ingressos: R$ 15
Vendas: Jai Club e kryour.com
Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/457710788104792/

Site relacionado: https://www.facebook.com/kryour/
Mídias sociais: @kryour

Contato para shows: kryour.band@gmail.com | (11) 96131-5003


Andralls apresenta lyric video para ‘Bleeding for Thrash’

“Bleeding for Thrash” é a faixa-título do sexto álbum de estúdio do Andralls

A faixa-título de “Bleeding for Thrash”, sexto disco de estúdio do Andralls, marcado para ser lançado oficialmente no dia 25 de junho pela Distro Rock Records e Metal Under Store, acaba de ganhar um lyric video. “A faixa-título começa de um jeito diferente que o Andralls costuma fazer, com uma levada suingada, mas depois volta para o ‘fasthrash’ que sabemos fazer. A letra fala sobre como manter atitudes certas e destruir todas as regras”, explicou Alexandre “Xandão” Brito, um dos fundadores e que hoje é acompanhado por Alex Coelho (vocal e guitarra) e Felipe Freitas (baixo). “‘Bleeding for Thrash’ realmente caiu como uma luva. O disco traz um Andralls muito agressivo, técnico, sujo e rápido, como sempre foi. São pouco mais de 30 minutos divididos em 11 temas para headbanger nenhum ficar sem bater cabeça”, acrescentou o baterista.


Crédito: Pri Secco

Para ver o lyric video de “Bleeding for Thrash”, acesse: https://youtu.be/qjyCyntauz0
 
Gravado no Papiris Studio (SP) ao lado do produtor Caio Monfort e masterizado no Absolute Master por Neto Grous, “Bleeding for Thrash” foi, segundo Xandão Brito, composto “nos moldes antigos”. “Alex Coelho e eu compusemos a maioria das músicas fazendo jams de bateria e guitarra. Curiosamente, foi dentro da mesma sala em que começamos a tocar juntos lá pelos idos de 1993/94”, contou. “O processo foi longo, pois tivemos o cuidado de colocar todos os elementos que gostamos e havíamos usado nos discos anteriores. É thrash metal, mas traz pitadas de death, punk, metal tradicional, industrial e até referências de country music em uma das faixas. “São pouco mais de 30 minutos, divididos em 11 temas para headbanger nenhum ficar sem bater cabeça. Stay fasthrash!”, concluiu o baterista.
 
O show de lançamento de ‘Bleeding for Thrash’ ocorre no dia 19 de julho, a partir de 19h, no Espaço Som (Rua Teodoro Sampaio, 512 – Pinheiros), em São Paulo. Na ocasião, a banda Corpsia fará o lançamento de “Murder Mind”. Pontos de Venda: Mutilation (Galeria do Rock)
Estúdio 785 – Rua Capote Valente, 785 – Pinheiros
Estúdio Espaço Som – Rua Teodoro Sampaio, 512 – Pinheiros
Ingressos Antecipados R$ 15,00 – Na Porta R$ 20,00
Infos em https://is.gd/RP2tEO


 
Site relacionado: www.facebook.com/andrallsfasthrash
 Contato para shows: onfirebookingagency@gmail.com
Instagram: @andrallsfasthrash
YouTube: Andralls Thrash

VENOMOUS: CONFIRMADO NA ABERTURA DOS CAVALERA EM SÃO PAULO

Grupo paulistano se junta ao Korzus para show dos irmãos Cavalera na turnê ‘Return to Beneath Arise’

Com a boa receptividade obtida com o novo single, “Black Embrace”, e com a versão de “Nothing to Say” (Angra), que contou com a participação das vocalistas May Puertas (Torture Squad) e Fernanda Lira (Nervosa) e do guitarrista Guilherme Mateus (Bruno Sutter), o Venomous tem mais um motivo para comemorar. O quinteto paulistano de death metal melódico foi confirmado para, assim como o Korzus, integrar o cast do show de Max e Iggor Cavalera na turnê “Return to Beneath Arise”, que será realizado no dia 16 de junho, na Audio, em São Paulo (SP). “Ficamos honrados com o convite da HonorSounds! Estar em uma noite ao lado dos irmãos Cavalera apresentando músicas de discos icônicos como ‘Beneath The Remains’ e ‘Arise’, além do Korzus, tocando ‘Ties of Blood’ na íntegra, é motivo de orgulho”, comemorou o vocalista Tigas Pereira. “A obra dos irmãos Cavalera certamente foi uma de nossas referências quando iniciamos a banda. ‘Beneath the Remains’ remete a um tempo em que o cenário brasileiro parou para celebrar a assinatura do contrato do Sepultura com a gravadora Roadrunner. E ‘Arise’ foi a ratificação, nos levando a uma fase em que era normal ver os clipes da banda na MTV, inclusive o da versão de ‘Orgasmatron’, do Motörhead. Por sinal, como eu e o baixista Renato Castro também integramos o The Hammer (Motörhead Tribute) há dez anos, sempre que tocamos esta música nós lembramos do Sepultura”, observou o guitarrista Ivan Landgraf.


Foto: Caike Scheffer

O recém-lançado single “Black Embrace” é uma amostra do que será o sucessor do debut, “Defiant” (2018), marcado para sair no segundo semestre. “Em ‘Black Embrace’ nós trouxemos referências nunca usadas na banda, até por usarmos guitarras de sete cordas pela primeira vez. Tem um pouco de tudo o que fizemos, mas levando a um novo patamar e explorando novas facetas”, adiantou Landgraf.

Veja o vídeo ao vivo de “Green Hell” em https://youtu.be/5b8CbUQPOHo

Gravado no estúdio Dual Noise (SP) e produzido pelo renomado Rogério Wecko e pela banda, o single também marca a estreia do baixista Renato Castro. Antes do evento com os Cavalera, o Venomous fará o show de lançamento do single no dia 31 de maio (sexta-feira) no Manifesto Bar, em São Paulo (SP) – infos sobre o evento em https://is.gd/gqtWf3. “Mesmo gravando e compondo nunca deixamos os palcos de lado! Este show será ainda mais especial, pois contaremos com as participações especiais de May Puertas e Fernanda Lira, que gravaram a versão de ‘Nothing to Say’, do Angra, conosco”, concluiu o guitarrista Gui Calegari.

Veja o vídeo da versão para “Nothing to Say” do Angra em https://youtu.be/filA-OWMJ1c

Serviço:
Max & Iggor Cavalera apresentam ‘Return to Beneath Arise’
Opening acts: Venomous e Korzus
Data: 16 de junho (domingo)
Local: Audio 
Endereço: Av. Francisco Matarazzo, 694, Água Branca – São Paulo/SP
Abertura da casa: 18h
Classificação: 18 anos
Ingressos online: https://www.ticket360.com.br/evento/10421/max-amp-iggor-cavalera-return-to-beneath-arise


* Os ingressos à venda no site da Ticket360 têm a opção de entrada social para quem doar alimentos não perecíveis para a campanha #corridacontrafome

Site relacionado: https://www.facebook.com/venomousoficial/

Ouça “Black Embrace” no Spotify em https://is.gd/mJx1xW

Contato para shows: venomousoficial@gmail.com

VENOMOUS:
Tigas Pereira (vocal)
Gui Calegari (guitarra)
Ivan Landgraf (guitarra)
Renato Castro (baixo)
Lucas Prado (bateria)

Discografia:
Defiant (CD, 2018)
Penitence (Single, 2018)
Black Embrace (Single, 2019)


VÍRUS: VÍDEO TRAZ DETALHES DAS GRAVAÇÕES DE “CONTÁGIO”

Pioneiro do metal brasileiro está finalizando o primeiro disco ‘full’ no estúdio Orra Meu (SP)

O Virus, pioneiro do heavy metal brasileiro, está dando os toques finais das gravações do álbum de estreia, “Contágio”. Os fundadores Flávio Ferb (vocal), Fernando Piu e Renato RT (guitarras), agora acompanhados por Guilherme Boschi (baixo) e Lucio Del Ciello (bateria), estão concentrados no estúdio Orra Mey!, em São Paulo, trabalhando ao lado de Marcello Schevano, responsável pela produção, gravação, mixagem e masterização.


Crédito: Caike Scheffer

Veja o vídeo com os bastidores das gravações e depoimentos de Flávio Ferb, que dá até uma amostra da arte de capa, e de Lucio Del Ciello em https://youtu.be/qYQvfe375T0
 
Além de suas performances ao vivo, sempre teatrais e com direito a pirotecnia, o Virus construiu sua reputação com a inclusão das músicas “Matthew Hopkins” e “Batalha No Setor Antares” na primeira edição da coletânea “SP Metal” (1984). Agora, finalmente, colocarão o sonho de registrar o primeiro disco em prática.
 
Confira o repertório de “Contágio”, que trará composições que o Virus costumava tocar ao vivo em seus shows nos anos 1980, incluindo novas versões das faixas que integraram “SP Metal”:
 
1 Sacrifício
2 Povo Do Céu
3 Matthew Hopkins
4 Ignis
5 Batalha No Setor Antares
6 Sinos Negros
7 O Eremita
8 Metal Pesado
 
Site relacionado: https://www.facebook.com/VirusContagiometalOficial/
 
Contato para shows | Agência OM (Phill Lima): (11) 93067-6175

SILVER MAMMOTH: MUDANÇA DE PLANOS PARA NOVO ÁLBUM

O Silver Mammoth lançará um novo disco ainda em 2019, que será antecipado pelo single “Rise Up”, marcado para sair no final de junho e que traz a arte a cargo de Marcelo Izzo Jr., guitarrista da banda e formado em design gráfico. “Este será o primeiro single do novo álbum, que virá acompanhado de um clipe com produção cinematográfica da Plural Filmes, produtora responsável pelo vídeo de ‘Symptom of the Universe’, versão que fizemos em homenagem ao Black Sabbath e que também fará parte do repertório do novo álbum”, revelou Marcello Izzo. “Mudamos os planos, já que nosso próximo trabalho teria, inicialmente, faixas ao vivo, versões acústicas e duas canções inéditas. Agora, o repertório trará, além das versões, uma releitura acústica de ‘Natural Love’, primeiro single da banda, e músicas inéditas, começando por ‘Rise Up'”, acrescentou o vocalista.

Veja o clipe para a versão da clássica “Symptom of the Universe” (Black Sabbath) em https://youtu.be/yzgfvKrdvC8

Izzo enfatiza que, após importantes conquistas, estava na hora de um álbum novo do Silver Mammoth. “Em 2015, lançamos ‘Mindlomania’, que nos proporcionou coisas bacanas, como sermos premiados por dois anos consecutivos pelo site popular Palco MP3 na categoria Hard Rock como a banda mais ouvida de 2016/2017, com mais de um milhão de streams, além de execuções em rádios FM do Brasil e Reino Unido”, comemorou. “Em 2017, saiu o compacto em vinil com ‘Let me Hide You’ e ‘Coup to The End’, que também ganharam videoclipes. Depois, veio o projeto ‘Unified Trilogy’, com as versões de ‘Jailbreak’ (AC/DC), ‘White Line Fever’ (Motörhead) e ‘Symptom of the Universe’ (Black Sabbath). Assim, muitos de nossos seguidores estavam nos cobrando um trabalho com músicas inéditas”, concluiu o vocalista.

Veja o clipe de ‘Let Me Hide You’ em https://youtu.be/haecby-PkEY

DISCOGRAFIA:
Silver Mammoth (CD, 2013)
Pride Price (CD, 2014)
Mindlomania (CD, 2015)
Singles (compacto/vinil, 2017)
White Line Fever (Motörhead, single – versão, 2018)
Symptom of the Universe (Black Sabbath, single – versão, 2018)
Jailbreak (AC/DC, single – versão, 2018)

Site relacionado: http://silvermammothband.com/

Contato para shows: contato@silvermammothband.com

Divulgação

Kryour lança ‘Where Treasures Are Nothing’, seu álbum de estreia

Trabalho conceitual, que se forma em uma história de vida, vem embalado com um som entre o death metal melódico e o metalcore

Praticando um som versátil, entre o death metal melódico e o metalcore, Gustavo Iandoli (vocal e guitarra), Wesley Peira (guitarra), Gustavo Muniz (baixo) e Matheus Carrilho (bateria) apresentam “Where Treasures Are Nothing”, trabalho conceitual que narra fatos do nascimento até a morte e aborda os valores humanos. “O repertório do álbum se forma em uma história de vida e retrata valores humanos sob a ótica da ansiedade e da depressão”, observou Gustavo Iandoli. “Acredito que entrega e paixão o define, pois esperamos muito por esse momento e demos tudo na produção. As gravações foram bem detalhadas e deixamos com que as algumas ideias aparecessem dentro do estúdio. Assim, tudo foi fluindo da melhor maneira”, acrescentou. 

Sobre a concepção musical, o vocalista e guitarrista explica que o estilo foi sendo moldado de forma natural. “Nós fomos criando sem muito compromisso a atender certos subgêneros do metal. Existem algumas influências individuais dos integrantes, mas seguimos com o que queríamos fazer. Uma grande referência que tivemos foi o Gojira, admiramos muito o trabalho deles e tivemos influência na parte da produção.”

“Where Treasures Are Nothing” contou com produção a cargo de Diego Castro (The Ocean Revives, Purge, Abstracted, Summeria) e teve arte de capa de Carlos Fides (Almah, FlowerLeaf, Evergrey, Semblant, Noturnall, Trezzy, Silver Mammoth). 

Ouça no Spotify em https://is.gd/HrwgMC
Ouça no Deezer em https://is.gd/cz3MLj

O material foi antecipado com o single e videoclipe “Restless Silence”, que retrata a visão de uma pessoa cuja mente é acelerada e pensativa. “Por tamanha inquietação interna, ela não consegue se expressar direito e, então, vem a angústia. A falta de controle de seus pensamentos ocasiona impactos em sua vida e em seu comportamento, pois a ansiedade passa a pressionar respostas precipitadas sobre os objetivos e os planos de vida”, explicou Iandoli.

Veja o clipe de “Restless Silence” em https://youtu.be/Z9iertirMwM

O repertório de é “Where Treasures Are Nothing” o seguinte:
Beginning of Innocence
Anxiety
Chaos of My Dream
Restless Silence
Theater of Destiny
Rainy
Falling In Oblivion
My Conjugué
The Leaving
When We Got To Go

Existem algumas músicas instrumentais que dão uma dinâmica melhor para o repertório. Sempre terá uma música que pode atender quem quiser ouvir algo mais leve ou mais pesado. ‘Anxiety’ e ‘My Conjugué’ têm uma intensidade um pouco maior do que as outras, enquanto ‘Theater of Destiny’ tem um peso maior por conta da afinação mais baixa que usamos na gravação. Porém, sinto que ‘The Leaving’ carrega algo muito especial, uma motivação que talvez não consiga explicar. Tudo tem uma perspectiva mais humana, além do acúmulo de aprendizados e progressos pessoais“, concluiu Gustavo Iandoli.

Site relacionado: https://www.facebook.com/kryour/
Mídias sociais: @kryour

Contato para shows: kryour.band@gmail.com | (11) 96131-5003

Nota na ASE Music: https://is.gd/z5Jzg3

Hatematter define arte de capa e repertório de novo álbum

Com a produção de “Metaphor” finalizada, o Hatematter lançou uma prévia do novo álbum com o single “At Tannhauser Gates”. Agora, o grupo paulistano formado por Luiz Artur (vocal), André Buck e Gustavo Polidori (guitarras), André Martins (baixo) e Lucas Emidio (bateria) apresenta a arte de capa, criada por Rafael Tavares, que trabalhou para Metal Allegiance, Torture Squad, DyingBreed e Blood Red Throne. “A ideia na capa era passar a sensação de uma ficção científica retrô, um pouco do que tem em obras como ‘Neuromancer’, de William Gibson. Como um cartaz de filmes dos anos 80”, explicou fundador e baixista André Martins.

Mantendo a tradição de explorar letras filosóficas e futuristas, tendo a ficção científica, além de histórias realistas e cotidianas, como referência, o repertório de “Metaphor”, gravado no estúdio Casanegra por Rafael Augusto Lopes, e produzido, mixado e masterizado nos EUA por Brendan Duffey, trará as seguintes faixas:

01 – Flow
02 – Before the Plunge
03 – They Arrive
04 – Tears in Rain
05 – At Tannhauser Gates
06 – Nexus 9
07 – Blackout Afterglow
08 – A Bitter Taste
09 – The Wasteland
10 – Fury Road
11 – The Agonazing Wail
12 – The Burning Dogma
13 – Scourge of the Earth

Ouça o single “At Tannhauser Gates”, que teve a letra foi baseada na obra do diretor Ridley Scott, Blade Runner (1982) e nos manuscritos de Phillip K. Dick, ‘Do Androids Dream of Electric Sheep?’ (1968), em https://youtu.be/LoFwgZAUpiA

Além disso, o grupo começou a agendar os primeiros shows de divulgação do novo álbum:
13/10 – Santa Sede (São Paulo)
04/11 – Av. Paulista (São Paulo)
11/11 – Hocus Pocus (São José dos Campos/SP)

Facebook: www.facebook.com/hatematterofficial

Nota na ASE: https://is.gd/lFVJvp






RESENHA: Angry Voices – Affront

Por Thiago Tavares

Nesta matéria não irei falar de um simples disco, mas sim de uma obra que deve ser ouvida por muitas e muitas vezes, no qual nós, brasileiros, temos que nos encher de orgulho ao ver na praça este e muitos trabalhos do metal nacional de qualidade, onde apenas precisam de maior visibilidade perante o país e ao mundo.

Ao olhar a capa do álbum Angry Voices, o primeiro da banda de Trash/Death Metal Affront, já imaginava que iria ouvir um som interessante, algo de se ouvir o mesmo pelo menos duas vezes, uma seguida da outra (pois quando ouço algo e vejo que é bom, uso esta sistemática). E já na primeira faixa já me surpreendeu bastante.

Scum Of The World já abre os trabalhos do álbum com uma pegada bastante agressiva com os vocais bem rasgados, música objetiva, direta e com violentas distorções.

Em Angry Voices o que domina nesta faixa são as passagens de bateria, alternadas entre simples e o uso de pedaleira dupla, onde até mesmo fazendo-se a junção do ritmo com a bateria, parece que soa com o barulho de uma metralhadora em meio a um campo de guerra, onde sair derrotado da guerra não era válido.

Affront ainda que se dê nome ao álbum da banda, ainda consegue ser a música chiclete, onde inicia-se com um ritmo rápido e traz um envolvimento forte para quem ouve. Ficou até fácil de decorar o refrão e porque não sair cantando?

Conflicts, quarta faixa do álbum é bastante interessante. Nela há variações de riffs melódicos e rápidos, pesados, sem perder as características da banda, fora o trabalho de voz estridente e uma virada de solo que é de tirar o chapéu.

A quinta faixa, intitulada Terra Sem Males (Guerra Guaranitica), instrumental, tem um contexto histórico, na qual retrata em sons melancólicos nos dedilhados do baixo e sons que faz lembrar chocalhos as guerras entre indignas e tropas espanholas e portuguesas durante o Brasil Colônia. Faixa muito bem executada.

Encerrada a faixa, a banda engata para uma faixa mais agressiva e que nos remete para um mix de Trash Metal com ritmos regionais. Mestre do Barro fala da cultura nordestina no qual se exalta em sua a letra a figura de Mestre Vitalino (1909-1963) considerado até hoje um dos maiores escultores da história da arte do barro, onde suas obras são expostas em diversos museus Brasil a fora. É uma faixa bem arrastada onde ainda colocaram um “pandeirinho monstro” no início e no fim da música. Bem original por parte da banda.

Religious Cancer deixa entendido o recado que se passa: a crítica sobre o fanatismo religioso. A faixa contém vocais agressivos e um instrumental alterando entre cadenciado e acelerado.

Under Siege é uma faixa que considero um ponto fora da curva devido ser um som bastante elaborado, uma sintonia perfeita de baixo, guitarra e bateria, fora que esse último tem seus momentos de loucura que se encaixam perfeitamente a música.

Carved In Stone é uma faixa que não é rápida, possui influências de um metal mais raiz onde as vezes, é necessário alternar os ritmos se observado o álbum como um todo. Outra faixa bem interessante

Wartime Conspiracy volta com a pegada original do Affront, onde a música fala da insanidade do ser humano, uma humanidade bem cega acerca dos fatos que ocorrem no mundo e até mesmo no solo, remete-se a tristeza e a melancolia.

Echoes Of The Insanity é mais um instrumental que mistura uma sensação de paz, elementos latinos, algo bem leve e que de longe lembra a banda se em Wartime Conspiracy relatou-se um combate, em Echoes Of The Insanity era hora de contar os mortos e feridos.

E para fechar os trabalhos, Under Siege vem com a participação mais que especial: Marcello Pompeu do Korzus com um som agressivo e forte com vocais bem rasgados.

Para quem não conhece, vale a pena ouvir o trabalho dos caras, no qual pode-se confiar de olhos fechados: irão aprontar bastante com trabalhos de qualidade. Se este álbum foi o cartão de visitar para consolidar, o que dirá então do futuro?

Affront é:
M.Mictian – Baixo
R.Rassan – Guitarra
Oman Oado – Bateria

Contato:
Facebook: facebook.com/affrontmetal/
YouTube: https://goo.gl/3gVWwf






Válvera: primeiro álbum com letras em inglês oficialmente lançado

“Back to Hell” está disponível em todas as plataformas digitais – Foto: Edu Lawless

Com “Back To Hell”, a banda paulista de heavy/thrash metal Válvera inicia uma nova fase na carreira. Sucessor de “Cidade em Caos”, o álbum foi gravado, mixado e masterizado no Mr. Som Studio por Marcello Pompeu e Heros Trench e é o primeiro a contar com letras em inglês. “O show de lançamento ocorreu em novembro, no Manifesto Bar, contando com participações especiais de Victor Guilherme, da Mattilha, e Drio Navacinsk, Diego Inhof e Bruno Ricardi, da banda Eutenia. Porém, o melhor de tudo foi que o público aprovou as músicas novas, incluindo ‘Demons of War’, primeiro single e clipe do novo álbum, além de cantar também as faixas em português”, comemora o vocalista e guitarrista Glauber Barreto.

Veja o clipe de “Demons of War”, produzido pela Pier 66 e que já ultrapassou mais de 40 mil views em https://youtu.be/kkTqJvjvWAQ

“Back To Hell”, que contou com arte gráfica de Marcelo Vasco e fotos de Edu Lawless, foi lançado digitalmente no dia 12 de dezembro em todas as plataformas digitais. “As músicas foram produzidas e compostas pela banda. Isolamo-nos por duas semanas em um sítio no interior de São Paulo para criar e trabalhar nas composições. Depois, tivemos a colaboração de amigos americanos e canadenses, que supervisionaram a ortografia e fonética de ‘Back To Hell'”, explica o guitarrista Rodrigo Torres.

Além disso, o Válvera disponibilizou uma série de vídeos ao vivo gravados no festival “Rock Na Praça”, em São Paulo. “Foi ótimo tocar no ‘Rock Na Praça’, um dos maiores festivais de rua voltados ao rock no Brasil. A exposição que nos deu e a repercussão foram enormes e conseguimos mostrar nossa força ao vivo, algo que buscamos desde a criação da banda”, diz Glauber Barreto. “Neste evento, tocamos ‘Cidade em Caos’ e ‘Extinção’, que já são conhecidas pelo público, e duas do novo álbum, ‘The Skies Are Falling’ e ‘Demons Of War’. Decidimos fazer o registro e soltamos os vídeos em nosso canal do YouTube (valveraoficial) durante o mês de dezembro”, acrescenta.

Confira o vídeo de “Extinção” no Rock na Praça em https://youtu.be/3BFfWAVX-U0

Para ouvir ‘Back To Hell’, acesse um dos links abaixo:
Spotify: https://goo.gl/wo7JZw
Deezer: https://goo.gl/xwhQQ7
Itunes: https://goo.gl/pqG4df

Site relacionado: www.valvera.com.br

Contato para shows e merchandising: bandavalvera@gmail.com