Tag Archives: Kamelot

Kamelot traz fascinante turnê do elogiado álbum “HAVEN” para shows em SP e RJ

3Banda norte-americana retorna ao país tendo a ilustre companhia da musa Alissa White-Gluz em todos os shows pela América do Sul – foto: divulgação

O aclamado grupo norte-americano Kamelot, um dos mais originais, influentes e prestigiados nomes das últimas décadas no cenário do heavy metal mundial, chega ao Brasil, nas próximas semanas, para apresentar o espetáculo que já encantou as principais cidades dos EUA, Japão e Europa.

Uma das pioneiras em unir symphonic, prog, power metal e até world music, a célebre banda retorna 11 anos após sua estreia no país, com a promessa de fascinar os fãs de São Paulo (02/07 – Carioca Club) e Rio de Janeiro (03/07 – Circo Voador) ao criar um mundo lúdico, mas com criatividade, rigor técnico e precisão durante a magistral, dark e encantadora performance teatral, que promove mundialmente o elogiado novo álbum “HAVEN”.

Com fortes artefatos cênicos, Thomas Youngblood (guitarra), Casey Grillo (bateria), Oliver Palotai (keyboards), Sean Tibbetts (bass) e Tommy Karevik (vocal) tem todos os elementos fundamentais para tornar cada exibição em algo especial e inesquecível.

Os músicos novamente contarão com a participação especial da vocalista e musa canadense Alissa White-Gluz (Arch Enemy e ex-The Agonist) em todos os shows na América do Sul. A artista é constantemente convocada para algumas exibições do quarteto, inclusive ela participou da última passagem do Kamelot pelo Brasil, em 2013.

A magistral performance que já encantou a América do Norte e Europa tem as seguintes datas confirmadas:
29/06 – Teatro Vorterix – Buenos Aires, Argentina
30/06 – Blondie – Santiago, Chile
02/07 – Carioca Club – São Paulo, Brasil
03/07 – Circo Voador – Rio de Janeiro, Brasil

Os ingressos para a exibição na capital paulista já estão à venda na Galeria do Rock (loja 255), na bilheteria do Carioca Club, no site Clube do Ingresso (www.clubedoingresso.com/kamelot) e pontos autorizados pela empresa, no valor de R$150 (pista meia entrada/estudante/promocional para não estudantes*).

Já na Cidade Maravilhosa, os fãs devem garantir presença na bilheteria do Circo Voador ou acessar o site da Ingresso Rápido (https://www.ingressorapido.com.br/compras/?id=49255#!/tickets). As entradas custam R$ 130,00 (meia entrada/estudante/promocional para não estudantes*).

Após dois anos excursionando pelo mundo, o Kamelot tirou praticamente 12 meses para produzir e gravar o sucessor do aclamado álbum “Silverthorn”. Produzido por Sascha Paeth e masterizado por Jacob Hansen, “HAVEN” é agressivo, cinematográfico, épico e emocionalmente dinâmico. O novo disco conta com todos os elementos característicos do Kamelot, mas com a adição de elementos novos e modernos, justamente para intensificar ainda mais a dramaticidade de suas músicas.

Alguns artistas convidados no CD incluem Alissa White-Gluz (ARCH ENEMY), Troy Donockley (NIGHTWISH) e Charlotte Wessels (DELAIN). A capa de tirar o fôlego e todas as obras de arte foram criadas por Stefan Heilemann e a arte adicional/layout é assinada pelo brasileiro Gustavo Sazes. Este é um lançamento Napalm Records/Universal Music.

Logo na primeira semana de lançamento, esse registro atingiu o incrível topo do Billboard, no chart “Hard Rock”, além de outras importantes posições como:
– Top Hard Rock Album Chart: #1
– Top 200 Billboard chart: #75
– Top Hard Music Chart: #3
– Top Current Album Chart: #40
– Top Internet Chart: #19
– Top Indie Current Album Chart: #6.

Links relacionados:
https://www.facebook.com/kamelotofficial
https://www.facebook.com/liberationmcofficial
https://www.facebook.com/UltimateMusicPR

Serviço São Paulo
Liberation Tour Booking orgulhosamente apresenta Kamelot no Brasil
Data: 02 de julho (sábado)
Local: Carioca Club
End: Rua Cardeal Arcoverde, 2899 – próximo ao Metrô Faria Lima
Abertura da casa:18h00
Infoline: (11) 3813.8598
Imprensa: press@theultimatemusic.com
Informações gerais: info@liberationmc.com
Classificação: 14 anos

Ingressos (2º lote):
Pista: R$150 (Meia entrada/ Estudante/Promocional para não estudantes*)
Inteira: R$300
Camarote: R$250
*Doe um kilo de alimento na entrada da casa no dia do evento e pague meia entrada).

Ponto de venda (sem taxa de serviços | pagamento em dinheiro): loja 255 (Galeria do Rock) e Carioca Club
Venda de ingressos pela internet (com taxa de serviço): www.clubedoingresso.com/kamelot

Serviço Rio de Janeiro
Circo Voador e Liberation Tour Booking orgulhosamente apresentam Kamelot no Brasil
Data: 03 de julho (domingo)
Local: Circo Voador
End: Rua dos Arcos S/N – Lapa
Abertura da casa:18h
Infoline: (11) 3813.8598
Imprensa: press@theultimatemusic.com
Informações gerais: www.circovoador.com.br
Classificação: 16 anos

Ingressos (2º lote):
Pista: R$130 (Meia entrada/ Estudante/Promocional para não estudantes*)
Inteira: R$260
*Doe um kilo de alimento na entrada da casa no dia do evento e pague meia entrada).

Ponto de venda: bilheteria do Circo Voador
Venda de ingressos pela internet (com taxa de serviço): https://www.ingressorapido.com.br/compras/?id=49255#!/tickets

RESENHA: KAMELOT – HAVEN

Por: Rodrigo Paulino

Um dos álbuns mais esperados do meio do metal, era este, todos queriam ver como seria o legado Karevik e saiu um álbum muito bem trabalhado, muito bem composto e cheio de fibra, no entanto, muitos que ouviram o álbum sentiram falta de algo (algo que ninguém conseguiu explicar exatamente o quê), posso dizer que peso é o que não falta, Karevik está com a voz mais madura, gritando um pouco mais, e o álbum conta com uma instrumentação digna de nota e cheia de corais, sem falar na dupla que faz participações especiais em três musicas do álbum cantando: Alissa White-Gluz (ArchEnemy – ex The Agonist) e Charlotte Wessels (Delain) e do especialista em gaitas do Nightwish, Troy Donokley.

As primeiras músicas são interessantes, são fortes, no entanto Citizen Zero te prende pela introdução e instrumentação junto do teclado acompanhando a bateria e a guitarra, nessa canção notamos Karevik com um vocal diferente do que ele usou, mais firme, mais consistente e um coral que acompanha ele no refrão, as guitarras estão muito presentes, como uma locomotiva em alguns momentos, um outro ponto alto desse álbum é o coral, em um determinado momento você imagina que a música vai acabar em coral, e o refrão explode aos seus ouvidos e sim, Karevik dá uns berros fantásticos.

Outra que me chamou demais a atenção foi Under Gray Skies, na boa, a introdução de Troy com o gaita e violão é linda demais, a musica é uma baladinha, acompanhada pela flauta, violão e violoncelo, a combinação da voz de Tommy com Charlotte foi um tiro e tanto, e a progressão para a música é fantástica! As vozes conversam entre si, até mesmo quando ela faz os backing vocals, o refrão conta com guitarras, mas discretas, que só são notadas de fato com o solo, o final dessa música arrepia, coral + Wessels + Karevik, alterações de quem lidera, o sotaque lindo da Charlotte, enfim, uma obra de arte.

Ecclesia é um instrumental, seguido por My Therapy que é seguida pela imponente End of Innocence, da qual então sai Beautiful Apocalypse, outro destaque do álbum que começa com elementos do oriente médio, e contém uma sinfonia muito interessante, ela tem peso, seja nos vocais ou na instrumentação, mas o refrão é muito gostoso de se ouvir, possui um excelente acabamento de back vocal, os versos parecem uma queda livre, enquanto o refrão parece um resgate dessa queda.

Em seguida vem uma das minhas favoritas: Liar, Liar (Wasteland Monarchy), ela começa tranquila, com ar soturno e cresce ao melhor estilo power Kamelot, baterias super rápidas, com um instrumental imponente e muito maneiro. Os vocais chegam a lembrar os de Khan, mas possui algo que apenas Karevik possui na voz, a ponte que liga ao refrão é algo surreal, com pianos, calma, até uns corais masculinos (comuns no Queen), e então a explosão do refrão, um dos melhores refrões do álbum, faz você querer banguear, então a musica ganha seu solo de guitarra e bateria, bateria explosiva, riffs fantásticos, e então chegamos a uma extensão que antecede os guturais de Alissa, com todo o peso, te deixa com gostinho de quero mais… só que AÍ SOMOS SURPREENDIDOS com Alissa cantando o refrão com vocais limpos! MANO DO CÉU, se você estiver lendo a matéria e chegou neste ponto, por favor, vá atrás da música, porque você fica com vontade de ouvir mais dela cantando dessa forma, cantando limpo no power metal, a musica após tudo isso termina tranquilamente.

Here’s to fall  possui uma atmosfera tão melódica, que quando Tommy abre a boca para cantar, você se liga novamente à Khan mas o destaque vai para a faixa seguinte: Revolution, uma pegada diferente do álbum, baterias mais compassadas, firme, gritos, peso e Alissa gritando “REVOLUTION”, uma soprano soltando firulas como em Ghost Opera, a cada Revolution gritado por Alissa, conforme a musica ganha peso, ouve-se uma multidão, num momento Alissa domina a musica, com a multidão ao fundo gritando, é algo muito legal, uma experiência interessante para os ouvidos a musica perde todo o peso, e fica apenas na instrumentação e voz abafada de Tommy, em alguns momentos ele muda a escala vocal, e chega a arrepiar, para você ouvir um grotesco REVOLUTION, e voltar ao peso total… é uma musica muito forte, muito poderosa.

Chegamos em Haven, uma musica instrumental com jeito de “O álbum acabou” e realmente acaba com ela.

KAMELOT: A PREMIERE DO CLIPE “INSOMNIA” DO VINDOURO ÁLBUM HAVEN!

Os mestres do metal sinfônico, KAMELOT estão prontos para nos apresentar seu novo trabalho Haven! Hoje o sensacional vídeo para a faixa “Insomnia“ está sndo lançado!

O grande idealizador do KAMELOT, Thomas Youngblood registra:
„Kamelot retorna numa vibe sci-fi inspirada num thriller para “Insomnia”. Em um mundo pós apocaliptico, todo o cuidado é pouco e a população sofre. Nas entranhas de Wasteland Monarchy está a Insomnia Division, o abrigo de alguns escolhidos, e podem viver apenas num estado insone!“

É hora de se aprofundar no cinematográfico, épico e emocionalmente dinâmico mundo de Haven. Confira:

Haven será lançada no mundo todo  (excl. Asia) pela Napalm Records/Universal e Napalm Records/ADA/Warner num exclusivo licenciamento com a  KAMELOT MUSIC LLC dia 4 de maio de 2015 (North America) e 8 de maio de 2015 (Europa e no resto do mundo) e os meninos do KAMELOT mostrarão o seu melhor!

Após os lançamento de Haven, KAMELOT embarcará numa TOUR MUNDIAL, começando pela América do Norte em Abril e maio de 2015, seguida pela shows na Europa no verão e com a The Heaven Tour Europa em stembro e outubro a banda retorna para a Europa para sua maior tour.

Mais informações:
www.kamelot.com
www.facebook.com/kamelotofficial
www.napalmrecords.com

www.facebook.com/napalmrecords

ESPECIAL: DIA DO PLANETA TERRA

Por: Rodrigo Paulino

Essa semana nosso Planeta teve o seu dia (eu não fazia a mínima idéia, para mim dia 22 era dia do Descobrimento do Brasil, mas ok, então: PARABÉNS BRASIL! PARABÉNS PLANETA!) daí me peguei tentando lembrar de algumas músicas do rock e do metal que falam do planeta… Eu conheço mais músicas de Metal Sinfônico, então vou falar bastante delas nesse texto. Vamos começar por aquela que diante dos fãs, é a banda que detém o título de Mãe-Terra:

Within Temptation:

O segundo álbum de estúdio entitulado Mother Earth contou com uma pegada de folk muito legal, entre elas tinha a épica Mother Earth, com direito a tudo: coral gregoriano, orquestra com estilo celta, agudos e até hoje é uma presença marcada nos shows, com até mesmo direito a dancinha da Sharon. Nessa musica, eles exploram bem as coisas que a Terra faz por nós, tudo o que ela pode nos dar e tirar, o ciclo da vida nela, todas as coisas. Durante um tempo, graças a esse álbum foi questionado a religião de Sharon Den Adel e cia, chegando a questionarem se eles eram Wicca, a banda nunca se manifestou sobre isso, o que cá entre nós, não levaria a nada, foi apenas uma curiosidade de fãs. Além de Mother Earth, o álbum continha a faixa Never-Endind Story, com uma pitada bem forte de folk semi acústico que trata da vida do planeta também, mas de maneira bem pessoal. Confira o tema Mother Earth abaixo (na minha opinião, um dos clipes mais bem feitos e bonitos):

After Forever:

Tempestade, trovão, furacão, terremoto, tsunami… Sim, estou falando dos vocais da Floor Jansen! Antes de ReVamp e Nightwish, Floor tinha uma banda com Mark Jansen do Epica, o After Forever. Até aí ok, muitos de vocês devem saber disso. Em seu álbum auto intitulado, continha a faixa Equally Destructive, que com toda a força, tanto da banda, quanto dos pulmões da Floor, ela cantou o que eu considero um marco na carreira da banda, tudo bem que é mais voltado para um lado de conscientização, mas é uma canção que sem dúvida é viciante, confira:

Epica:

Ainda na linha de proteção ao planeta azul, em uma parceria com a WWF, o Epica fez uma canção que foi lançada com o EP/single This is the time. É uma música mais no sentido do Folk também, não tem guitarra é lago beeeem leve, mas agrada quem curte as baladas da banda. O clipe tem uma sequencia de imagens de animais e locais que sofrem com a interferência do homem, com takes da Simone que, não sei se quis fazer a Mãe-Terra, mas termina com um “Piche” na cabeça… É estranho, mas é uma música muito bonita.

Queen:

Sobre as forças da natureza que regem nosso planeta, lá em 1975 o Queen lançava o álbum A Night At Opera, e apesar da faixa The Prophet’s Song estar recheada de menções bíblicas, a banda reconheceu nessa as forças da natureza que são maiores que as vontades dos homens.

Krypteria:

Ainda sobre as forças da natureza, a galera do Krypteria, lançou um clipe Liberatio lá em 2006, em uma homenagem às vítimas do tsunami que atingiu a Indonésia. A música é muito bonita, acompanhada de um coral clássico e a voz inconfundível da vocalista. Chega a emocionar.

Metallica:

Em versos super rápidos, o Metallica descreve as atrocidades que assolam o planeta e a luta do homem em busca da auto-gratificação. “Milhões de nossos anos / Em minutos desaparecem / Escurecendo em vão / A Decadência permanece.

Kamelot:

Falando em humanos, o Kamelot no álbum Ghost Opera fala um pouco da marca que os humanos deixam na terra, na sua interação com outros e o seu destino final. Eu considero este um dos marcos na carreira da banda com o Roy nos vocais. É uma musica bem pesada, mas sua mensagem é de fazer você parar para pensar. As cenas da banda que sempre curtiu usar um fundo verde para gravar seus clipes, são realmente interessantes, coisas do nosso dia a dia, que sempre fazemos.

Nightwish:

Para eles que na última semana de setembro se apresentam no Brasil, incluindo no Rock InRio para divulgar o novo álbum Endless Forms Most Beautiful, escolhi essa que representa a história desse mundão velho sem fronteiras (me senti meu pai falando agora). The Greatest Show On Earth é a canção mais longa da carreira da banda, com Floor Jansen no vocal junto com Mark e trechos do biólogo Richard Dawkins. A musica é longa, mas é linda, com o peso normal e da orquestra em dados momentos nos quais se você estiver com bons fones de ouvido, ligados em um volume bem alto, vai parecer que está sofrendo um ataque de tanto piscar (isso acontece comigo, sistema de defesa do corpo com barulhos bem altos e fortes. A musica se trata de uma visão sobre a origem do mundo e da vida nele. A primeira parte bem instrumental conta com um vocal lírico, a segunda parte já pega mais pesado com Floor falando sobre as leis que existem no mundo e não podemos ver, a parte 3 fala do homem, desde Lucy de Afar (aquele fóssil dado como o mais antigo já encontrado no planeta) até o homem descobrir suas armas e ambições, conta também com trechos mostrando a evolução da música, culminando com som do disparo de uma arma, terminando com Dawkins e o som das baleias cantando. Particularmente, me emociono muito com essa música, ela tem uma carga emocional muito forte. Confira uma gravação dessa musica de um dos primeiros shows dessa nova tour na Filadélfia, no dia 10/04/2015.

Bom galera, espero que vocês tenham apreciado essa lista. Sei que nem todo mundo pode gostar dessa seleção, no entanto, o tema é bem abrangente e deve haver muitos outros sons que estejam ligados. Logo teremos mais especiais. Um abraço a todos vocês.

KAMELOT: lança lyric video de “Veil of Elysium”

Por: Rodrigo Paulino

O Kamelot está voltando com seu novo álbum, “Haven” que será lançado no dia 5 de maio pela Napalm Records. Com isso, numa colaboração da Revolver Magazine, eles lançaram o lyric video de “Veil of Elysium“, o que foi uma grata surpresa, o fundador da banda, Thomas Youngblood disse que é bom nos preparar para grandes surpresas e novos elementos neste novo álbum. Ouvindo Elysium, senti uma pegada mais forte dos álbuns anteriores, com o antigo vocalista, a sonoridade e alguns elementos, a voz do Karevik não decepciona em nada e nem deixa a desejar em segundo algum, o menino andou treinando. Os elementos clássicos que voltaram, foram alguns efeitos de segundo plano, como podemos notar aos 1:35 do vídeo a voz similar ao que podemos ver em Ghost Opera (aqueles lances de “Emotional Redeption” que o Roy dizia, o efeito é o mesmo) Elyusium é uma canção original, variando entre pontos bem fortes de guitarras, como em The Black Halo e Sacrimony e pontos mais tranquilos, mas ainda assim chegam a ser perturbadores, com vozes misturadas… É um resgate do antigo Kamelot com o novo. Vale muito a pena ouvir!

Numas samples que ouvi pelo Amazon japonês, o álbum estará com muito peso, contará com a participação de Charlotte Wessels (Delain) e tem uma faixa que me chamou por demais a atenção, a de número 12, chamada Revolution, que na sample, podíamos acompanhar um gutural… Fica aí a expectativa, eu naquele instante comecei a ficar ansioso pelo álbum. Um detalhe que nos shows, acompanhando a banda, está Linnéa Vikström (filha do Thomas Vikström, do Therion) que participou com eles em alguns shows da Silverthorn Tour.

O álbum está sendo vendido em diversas configurações, sendo que a versão limitada “canvas” do cd (200 cópias) onde vinha um mediabook, cd bonus e a arte impressa numa tela e um cartão autografado e uma outra edição “wooden box” já se encontram esgotadas. O álbum que já esteve em audição para a imprensa está recebendo uma crítica muito positiva e já está sendo chamado de O Álbum Do Ano. Só nos resta esperar.