Tag Archives: Ømni

Angra: Ouça o novo álbum ØMNI lançado mundialmente hoje

O ano de 2018 marcará o início de mais uma era na história do Angra. Aos 26 anos de idade, a banda mostra vontade e força nunca antes vistas. Nem mesmo a trajetória muitas vezes incerta foi capaz de tirar o foco, determinação e inspiração do quinteto liderado – e fundado – por Rafael Bittencourt, e formado ainda por Felipe Andreoli (baixo), Fabio Lione (voz), Marcelo Barbosa (guitarra) e Bruno Valverde (bateria). ØMNI é o 9º disco de estúdio do Angra, resultado de meses de dedicação intensa, suor e sangue.

Ouça o álbum no link abaixo (exige login):

O álbum foi gravado mais uma vez na Suécia, com o mesmo produtor do disco anterior (Secret Garden), Jens Bogren, e repete a excelente química de três anos atrás. A sonoridade, ao mesmo tempo que é totalmente contemporânea, tem um caráter orgânico e respeita muito as diferentes nuances e dinâmicas dos instrumentos. Entre os diversos músicos convidados, destacam-se a vocalista do Arch Enemy, Alissa White-Gluz e a cantora brasileira Sandy, que emprestam suas vozes de características totalmente opostas à faixa “Black Widow’s Web”. Muitos foram os músicos envolvidos no processo, que envolve desde a percussão da Bahia até os arranjos orquestrais da Europa, e estes ajudam a dar ao disco suas diferentes e importantes texturas.

Mesmo em um ambiente cultural cada vez mais estéril e desfavorável para a música com alma e identidade, a banda foi capaz de reunir onze faixas completamente distintas entre si, mas que ao mesmo tempo contam uma estória concisa, e passeiam por todos os estilos e nuances que tornaram o Angra referência mundial. Uma formação muito entrosada pessoal e musicalmente, transbordando criatividade, foi o combustível necessário para dar vida a essas canções, que estão sem dúvida entre as melhores da discografia da banda.

Como marca registrada, temos muito forte a brasilidade misturada à musica clássica e o heavy metal, fórmula que se soma a diferentes influências como Rock Progressivo, Thrash Metal, música latina, Djent, etc., para tornar o som ao mesmo tempo moderno e familiar. Os diferentes climas e dinâmicas fazem do disco praticamente uma trilha sonora para as letras, e trazem ao ouvinte a sensação de imersão nos diferentes momentos da estória.

ØMNI é um álbum conceitual, um conjunto de contos de ficção científica que acontecem em vários lugares no tempo, simultaneamente. A espinha dorsal da trama se baseia na ideia de que em 2046 seria criado um sistema de Inteligência artificial que mudaria a percepção e cognição humana, pois este sistema permitiria a comunicação consciente entre os seres humanos do presente com os do futuro. Viajantes do tempo, homens da caverna, guerreiros, entre outros personagens, ajudam a contar esta estória.

O disco pretende também conectar os conceitos de álbuns anteriores (Holy Land, Rebirth, Temple of Shadows) a um sistema principal, ØMNI, que é uma palavra do latim e significa “tudo”. É como se tudo o que aconteceu antes tivesse evoluído para o que a banda é hoje. Portanto, ØMNI celebra e une toda a história do Angra ao excelente momento que o conjunto vive.

A arte da capa foi desenhada à mão por Daniel Martin Diaz, um artista único de origem norte-americana que dedica sua vida a misturar conceitos científicos e filosóficos, como Anatomia, Ciências da Computação, Matemática, Cosmologia, Geometria Sagrada, simbolismo e esoterismo. O designer Gustavo Sazes foi o responsável por integrar esta arte tão orgânica ao conceito visual do restante álbum.

ØMNI será certamente um marco, não só na história da banda, mas também para metal brasileiro e seu reconhecimento mundo afora.

1. Light of Transcendence
2. Travelers of Time
3. Black Widow’s Web
4. Insania
5. The Bottom of My Soul
6. War Horns
7. Caveman
8. Magic Mirror
9. Always More
10. ØMNI – Silence Inside
11. ØMNI – Infinite Nothing

https://www.facebook.com/Angra OfficialPage​
Site oficial: www.angra.net

AUDIÇÃO OFICIAL DE “ØMNI” REUNE IMPRENSA NO CAFÉ PIU PIU EM SÃO PAULO.

Por Thiago Tavares

No último dia 10 de fevereiro, a banda Angra realizou no Café Piu Piu, tradicionalíssima casa na Bela Vista a audição oficial do nono disco intitulado ØMNI, onde a imprensa (ou parte que não ouviu o álbum vazado) estava ansiosa para ouvir faixa por faixa do disco que já se cogitava como um álbum novo, totalmente diferente daquilo que já foi gravado anteriormente. Nesta matéria, irei expor os principais pontos da audição, assim como a versão dos integrantes acerca da elaboração do disco.

Sob a execução de Black Widow’s Web, Felipe Andreolli falou sobre o processo de composição e gravação da mesma, onde ele diz que a ideia de composição da música surgiu durante o 7000 Tons of Metal em janeiro de 2016, festival esse que a banda participou e que conheceu a líder da banda Arch Enemy, Alissa White-Gluz, e que a banda se impressionou com o modo de cantar. “Ficamos embasbacados com a qualidade e com a presença que tem a Alicia, onde é uma artista completa em todos os sentidos, cantando na performance e ela faz todos os tipos de voz e a gente ficou bem impressionado” Mais adiante, ele mencionou a participação da cantora Sandy nesta faixa, onde o nome da mesma apareceu em uma reunião feita com o Felipe, o empresário Paulo Baron e o guitarrista Rafael Bittencourt “Meu cérebro deu 5 segundos de TILT para processar a informação” e a galera da imprensa caiu na risada. Mais adiante, Felipe comentou que a voz da Sandy encaixou perfeitamente na proposta musical, e na qual ele considera uma das melhores músicas do álbum.

Depois da execução de Insânia, o baterista Bruno Valverde, comentou sobre a música onde ressaltou a inclusão de elementos do Groove: “Além de ela ser empolgante ela uma coisa mais “groovada” que é um pouco diferente“. Valverde anunciou também que haverá a divulgação do clip da música em breve, clipe este que foi gravado em dois sets: em um apartamento e outro no Café Piu Piu.

Em “The Botton of My Soul”, o membro fundador do Angra, Rafael Bittencourt resumiu de uma forma bem-humorada como ele “emerge” no processo de produção desta e das demais músicas: “Quando eu entro no processo criativo, eu realmente me mergulho, eu fico muito sensível, fragilizado, confuso porque realmente eu entro em um estado quase esquizofrênico, de cagação de idéias“. Adiante o guitarrista mencionou que a música em questão se trata de um desabafo pois perante o processo de criação das músicas, muitas coisas aconteceram, o que deixaram ele desgastado como a pressão de se fazer algo novo e também de fazer um novo álbum sem a presença de Kiko Loureiro, onde exaltou o trabalho de Marcelo Barbosa: “Eu tinha total confiança no Marcelo, mas a pressão que vinha de fora, as vezes até atrapalha, enche o saco e agora as pessoas podem ver porque estávamos tão confiantes no Marcelo“. Ao final de sua fala, ele define o conceito da música: “Seria o fundo do poço da minha alma de onde eu pude olhar para cima e falar “Agora é hora de reconstruir”“.

Perante a execução de War Horns, o guitarrista Marcelo Barbosa mencionou que a sexta faixa do novo álbum não entraria neste disco e que houve um certo trabalho para finalizar esta música onde o meio da mesma estava pronto, entretanto, havia um certo buraco que seriam o início e o final da música onde tentaram diversos riffs e combinações, sem sucesso e a partir daí ficou como lição de casa para ele e ao Rafael para encerrarem o trabalho. Depois de várias notas de mi menor e dó maior, puxado para lado mais gótico, estavam próximos de chegar na marcação perfeita para a música, chegando assim ao resultado final apresentado.

Na execução de Caverman, o vocalista Fábio Lione, mencionou sobre a necessidade de se colocar elementos nacionais em meio as músicas e assim reforçar a personalidade musical da banda e assim ganhar mais reconhecimento dos fãs do exterior, por mais que se coloque alguns trechos em português, onde a música ganha-se mais valor. Citou como exemplo o Rammstein onde grande parte de suas músicas são cantadas em alemão, mas não foi considerada uma barreira para alcançar o sucesso que se tem hoje. Exaltou também o trabalho realizado nas guitarras e da bateria nesta música.

Em Magic Mirror, Bittencourt mencionou que foi a música mais difícil a ser escrita, onde ele quis mencionar que a letra em questão quer tratar de como as pessoas podem tirar de bom (ou benefícios) as coisas ruins que falam de você e a questão de encontrar o perdão. Disse mais adiante sobre as questões filosóficas que estão inclusas nesta faixa, associado também com alguma espécie de mágoas do passado que foram elementos que também estão inclusas na música.

Na nona música do disco Always More, Rafael fala sobre a mesma, onde menciona que já tinha sido escrita desde a época de Secret Garden, último álbum da banda que se trata da conclusão do álbum Omini “A conclusão desse álbum é que o controle do destino, o controle de nossas vidas está sempre aquém do nosso ego, está sempre aquém de nossa percepção, está sempre aquém dos nossos planos, nossas expectativas“.

Ao final da audição, o manager da banda Paulo Baron mencionou a importância de valorizarmos as bandas brasileiras, e alfinetou aqueles que criticam a banda: “Eu queria saber quantas pessoas conseguem fazer o que esses caras fazem“.

Em tempo, em divulgação a todos os presentes foi executado o clip de War Horns, no qual será liberado para o público em breve. Além desse clip, mais dois foram gravados, também sem previsão para divulgação. Rafael comentou que a banda irá trabalhar com praticamente com todas as músicas com materiais áudio visuais para a divulgação do novo álbum.

Em nome do Ponto ZerØ, agradecemos a Damaris Hoffman que gentilmente forneceu as credenciais para a cobertura do evento.

Confira nossa resenha de “ØMNI”

​ANGRA: Banda lança vídeo clip oficial da faixa “War Horn”

Três dias antes do lançamento de seu novo álbum “ØMNI” a banda paulista de rock/metal Angra, estreia oficialmente o video clip da música “War Horn” gravado durante o Angra fest em novembro passado em São Paulo.

Um hino de tirar o fôlego que combina a fórmula tradicional de fazer metal com a marca registrada do Angra e a voz inconfundível de Fabio Lione assim é definida essa música por vários críticos europeus.

Um detalhe importante é que o solo de guitarra desta canção foi gravado pelo amigo de longa data, Kiko Loureiro guitarrista da formação clássica do grupo.

O vídeo para “War Horn” pode ser encontrado no canal oficial do YouTube do earMUSIC:

“ØMNI” é o 9º álbum de estúdio da Angra, resultado de meses de intensa dedicação, sangue e suor. O trabalho será lançado em 16 de fevereiro de 2018 pela gravadora earMUSIC. Produzido por Jens Bogren, o álbum conceitual é certamente um marco, não só na história da banda, mas também no metal brasileiro e seu reconhecimento em todo o mundo.​

Track list:
1. Light of Transcendence
2. Travelers of Time
3. Black Widow’s Web
4. Insania
5. The Bottom of My Soul
6. War Horns
7. Caveman
8. Magic Mirror
9. Always More
10. ØMNI – Silence Inside
11. ØMNI – Infinite Nothing

https://www.facebook.com/AngraOfficialPage​
Site oficial: www.angra.net

RESENHA: Angra ØMNI

Por: Rodrigo Paulino

Manos, paremos e pensemos: Uma abertura magistral, clássica, com guitarras que fazem voar, assim começa o novo álbum do Angra, com detalhes que lembram muito os trabalhos anteriores, no entanto, a sempre em ordem voz de Fábio Lione surge de forma que enriqueça com a musica, Light Of Transcedence se encaixa como uma excelente faixa de abertura. Com a presença de um coral tímido que cresce ao fundo, bateria acelerada, com certo peso, nada além da medida, tudo conversa entre si, todos os elementos presentes nessa faixa.

Aliás, algumas faixas possuem um trecho apenas orquestrado, rico e lindo! No final, cada faixa orquestrada se reúne na belíssima Infinite Nothing. Senti como se fosse um mimo e uma recapitulação de todo o álbum.

Em Travelers of time, temos a presença de Rafael Bittencourt, a voz dele vem de forma como já vimos em Secret Garden antes. Mas guardem esse menino… Rafael Bittencourt. É uma música interessante, não é muito complexa, Lione solta suas firulas num bom tempo.

Quando li que o álbum teria Sandy, sim a eterna Maria Chiquinha, a do: “Abre a porta Mariquinha…”, eu achei arriscado, por que? Simples, num mundo onde existe Sharon Den Adel, por que colocar a Sandy? O que tem haver? Bom, primeiro abri minha mente e não criei expectativas, fossem positivas ou negativas. Numa suavidade, começando com ela cantando, imaginei que teríamos ela na faixa inteira, assim como Secret Garden, a musica pega peso e o sonho, o faz de conta vira um pesadelo, pesos na guitarra, Lione surge com a os guturais de Alissa White-Gluz cantando com ele Black Widow’s Web, é um espetáculo, cada parte dessa música, ouvindo com fones, Alissa anda pela sua cabeça de um lado para o outro. Agora vem um detalhe: você se esquece do inicio da musica, porque ela assume um peso junto dos guturais, num dado momento da musica, após um solo instrumental, a musica dá uma quebrada, as vozes se unem, e a força volta com tudo, podemos ouvir os vocais limpos de Alissa bem ao fundo, é um desgraçamento lindo, voltando à paz do início da musica… APROVADISSIMO! TRAGAM SANDY MAIS VEZES TRAGAM ALISSA!

INSANIAAAAAAAAA possui uma refrão poderoso, explosivo! Você ficará dias cantando IN-SANIA-AAAAAA! O coral poderoso está presente nela, seguido de Lione cantando na paz e explodindo de novo, mas depois de um tempo, o refrão se torna grudentinho. Aprecie com moderação.

Agora vem uma das músicas que mais me tocaram, cantada somente pelo Rafael, com uma pegada mais suave, mística, foi uma faixa que me cair em  mim. Sério o instrumental é forte com violões, batuque entre vários outros instrumentos como guizos,  progressivamente ganhando um peso, e a voz desse menino! The Bottom of My Soul emociona muito, existe até um clima meio árabe, antes de um belíssimo solo, é uma faixa que te faz viajar, se emocionar com ela e crescer também. A voz de Rafael é simplesmente hipnotizante nessa canção, você não quer, mas infelizmente ela acaba. Felizmente da mesma forma que começou.

War Horns, eu achava que se tratava de um interlúdio, com uma voz abafada eletrônica, e logo na sequencia ela explode com Lione cantando, rasgando tudo mesmo, e uma musica bem pesada com seu instrumental.

Outra faixa muito boa, um dos quatro destaques que separei para esse álbum foi Caveman, é estranho e parece tudo um caos, entrando num estilo de instrumental em tons tribais e os caras cantando: OLHA O MACACO NA ARVORE/FORMOSO NAQUEL GALHO/ONDE QUE EU NÃO TÔ VENDO?/ EMBAIXO DAQUELA FLOR/ QUEM QUER MATAR O DIABO/ ATIRE A PRIMEIRA PEDRA. De repente entra Lione cantando com uma naturalidade, as batidas dessa musica são bem envolventes, mas com um certo peso presente, uma clara visão e reflexão sobre a sociedade presente nessa canção.

Em Magic Mirror, temos uma musica bem forte, com um instrumental trágico, porém sereno, na parte de solo instrumental, você chega a viajar, mais uma parte que entra para o gran finale instrumental. Após isso a musica volta com tudo, com toda a força e termina de forma serena.

Always more acaba sendo uma musica mais tranquilinha do álbum, apenas com Lione cantnado e acordes de guitarra, violão, é algo que me lembra alguma outra musica de outras eras, lembra um pouco Creed os acordes. Mas no fundo me lembrou muito sertanejo/ country. É uma boa musica, sem duvida algum, diferente.

Silence inside é o quarto destaque, uma musica sensacional, rica em detalhes, distorções, pesos, e no fim dela reina a paz, progressivamente, com os violões e baixos, bateria rítmica, batida leve nos pratos, e ela vai dando um fade que vai te guiando até….

Infinite Nothing, possui todo seu charme, passando pelas notas de todas as musicas, uma orquestra maravilhosa, acho interessante o acabamento dessa faixa, pois você sente a orquestra tocando ali na sua frente, a acústica é perfeita. O faz de conta de Black Widow’s Web é encantador. Essa faixa cresce como mágica em seus ouvidos, te leva numa viagem a cada detalhe, como se vocês estivesse no final de um filme no cinema e os créditos subindo. Sinceramente, estou arrepiado, é uma sensação que se repete desde que ouvi pela primeira vez esse álbum.

ØMNI é o 9º álbum dos caras do Angra, é um álbum empolgante, flertando um pouco das experiências mais antigas e trazendo novidades para a banda, o ouvinte não se sente incomodado com absolutamente nada, é harmonioso e muito bem-vindo.

ØMNI: Track-List
1. Light of Transcendence
2. Travelers of Time
3. Black Widow’s Web (feat. Alissa White-Gluz & Sandy)
4. Insania
5. The Bottom of My Soul
6. Warn Horns (feat. Kiko Loureiro)
7. Caveman
8. Magic Mirror
9. Always More
10. ØMNI – Silence Inside
11. ØMNI – Infinite Nothing

Links relacionados:
https://www.facebook.com/toplinkmusicoficial/
https://www.facebook.com/AngraOfficialPage

Angra divulga novo teaser do vídeo clip de “War Horns”

A banda Angra acaba de divulgar um teaser do vídeo clip oficial da música “War Horns”. A faixa é o segundo single do novo álbum “ØMNI”, 9º álbum de estúdio que será lançado mundialmente em 16 de fevereiro de 2018 pela earMUSIC e em toda a Ásia pela JVC.

Assista o novo lyric vídeo de “War Horns” na página oficial da banda no facebook:

https://www.facebook.com/AngraOfficialPage

“ØMNI” é um álbum conceitual, um conjunto de histórias curtas de ficção científica que ocorrem em vários lugares no tempo, simultaneamente. A espinha dorsal da trama baseia-se na idéia de que, em 2046, um sistema de inteligência artificial irá mudar a percepção e cognição humana. É um sistema que permitirá a comunicação consciente entre seres humanos presentes e futuros. Personagens como viajantes do tempo, homens das cavernas, guerreiros, entre outros, ajudam a contar esta história.

O álbum conecta os conceitos de álbuns anteriores (“Holy Land”, “Rebirth”, “Temple of Shadows”) para um sistema principal, “ØMNI”, que em latim significa “tudo”. “ØMNI” fábrica uma interconectividade que lança luz em direção a uma verdade universal: tudo o que aconteceu, levou ao que a banda é hoje. “ØMNI” celebra e une toda a história de Angra a este momento exato e atual.
O vídeo clip na íntegra será lançado no dia 13 de Fevereiro antes do lançamento mundial do disco completo.

“ØMNI” certamente é um marco, não só na história da banda, mas também para o metal brasileiro e seu reconhecimento em todo o mundo. A turnê do disco promete ser a maior da historia da carreira do Angra até os dias de hoje.

Track list:
1. Light of Transcendence
2. Travelers of Time
3. Black Widow’s Web
4. Insania
5. The Bottom of My Soul
6. War Horns
7. Caveman
8. Magic Mirror
9. Always More
10. ØMNI – Silence Inside
11. ØMNI – Infinite Nothing

Links relacionados:
https://www.facebook.com/toplinkmusicoficial/
https://www.facebook.com/AngraOfficialPage

Angra: Banda fará show especial com Carlinhos Brown no Carnaval de Salvador

Esse ano o carnaval de Salvador irá apresentar uma grande mistura de ritmos.

O grande encontro entre o cantor Carlinhos Brown e a de rock Angra, no domingo (11 de fevereiro), no Circuito Dodô (Barra-Ondina), é um exemplo da diversidade musical mais esperada na folia baiana em 2018.
O Angra irá se apresentar no Camarote Andante “Black Rock”, que é um bloco de carnaval, voltado para o segmento do rock.

A banda irá apresentar sucessos de sua carreira e versões inéditas de grandes clássicos do rock mundial desta vez com seu vocalista Fabio Lione comandando a festa ao lado do grande anfitrião da noite Carlinhos Brown.
Será algo atípico e muito valoroso para o público de rock presente na festa, pois irá mostrar todo respeito e paixão do Angra pelo Rock and Roll.

Enquanto instituição musical, a banda apresenta em sua essência vários ritmos brasileiros e uma maneira única de misturar os elementos necessários para compor hits. O novo álbum intitulado ØMNI que será lançado mundialmente no próximo dia 16 de fevereiro é uma grande prova de que o Angra é uma banda genuinamente brasileira, rica em cultura e musicalidade.

Acompanhe todas as informações da participação do Angra no Carnaval de Salvador através da página oficial do grupo no facebook:

https://www.facebook.com/AngraOfficialPage​

Site oficial: www.angra.net

Angra: Banda divulga primeiras datas da ØMNI World Tour 2018

A banda Angra acaba de divulgar as primeiras datas de uma extensa turnê mundial em suporte ao novo álbum do grupo “ØMNI”, 9º disco de estúdio que será lançado mundialmente em 16 de fevereiro de 2018 pela earMUSIC e em toda a Ásia pela JVC.

“ØMNI” é um álbum conceitual, um conjunto de histórias curtas de ficção científica que ocorrem em vários lugares no tempo, simultaneamente. A espinha dorsal da trama baseia-se na ideia de que, em 2046, um sistema de inteligência artificial irá mudar a percepção e cognição humana. É um sistema que permitirá a comunicação consciente entre seres humanos presentes e futuros. Personagens como viajantes do tempo, homens das cavernas, guerreiros, entre outros, ajudam a contar esta história.

O álbum conecta os conceitos de álbuns anteriores (“Holy Land”, “Rebirth”, “Temple of Shadows”) para um sistema principal, “ØMNI”, que em latim significa “tudo”. “ØMNI” fábrica uma interconectividade que lança luz em direção a uma verdade universal: tudo o que aconteceu, levou ao que a banda é hoje. “ØMNI” celebra e une toda a história de Angra a este momento exato e atual.

A fórmula e marca registrada de Angra, de estilo brasileiro misturado com música clássica e heavy metal, é reforçada por diferentes influências, como rock progressivo, thrash metal e música latina o que transforma o álbum em um compilado moderno e familiar. O humor e a dinâmica conjuntas colocam um toque especial nas letras e, portanto, aumentam o profundo senso de imersão na história.

A nova turnê internacional do Angra traz todo o conceito deste magnífico álbum, grandes hits e percorre vários países na Europa, Estados Unidos, Reino Unido, Brasil, Argentina, Peru e Ásia.

“ØMNI” certamente é um marco, não só na história da banda, mas também para o metal brasileiro e seu reconhecimento em todo o mundo.

Track list:
1. Light of Transcendence
2. Travelers of Time
3. Black Widow’s Web
4. Insania
5. The Bottom of My Soul
6. War Horns
7. Caveman
8. Magic Mirror
9. Always More
10. ØMNI – Silence Inside
11. ØMNI – Infinite Nothing

Links relacionados:
https://www.facebook.com/toplinkmusicoficial/
https://www.facebook.com/AngraOfficialPage

Angra: lyric video de “Travelers Of Time” do novo disco “ØMNI”

ANGRA LANÇA NOVO ÁLBUM “ØMNI” EM 16 DE FEVEREIRO DE 2018.
PRIMEIRA MÚSICA “TRAVELERS OF TIME” É REVELADA.

2018 marca o início de mais uma era na história de Angra.

Após 26 anos de carreira, a banda mostra motivação e força como nunca anteriormente. Nem mesmo a trajetória às vezes incerta foi capaz de tirar o foco, determinação e inspiração do quinteto liderado e fundado por Rafael Bittencourt (guitarra e vocal) e formado por Felipe Andreoli (baixo), Fabio Lione (vocal), Marcelo Barbosa (guitarra) e Bruno Valverde (bateria).

“ØMNI” é o 9º álbum de estúdio da Angra, resultado de meses de intensa dedicação, sangue e suor. Será lançado mundialmente em 16 de fevereiro de 2018 pela earMUSIC e em toda a Ásia pela JVC.

Mais uma vez, o álbum foi gravado na Suécia com Jens Bogren, que também produziu o álbum anterior “Secret Garden”, e que conseguiu capturar a mesma química excelente do álbum anterior. O som, totalmente contemporâneo, tem um caráter orgânico e respeita as diferentes nuances e dinâmicas de cada instrumento. Muitos músicos estiveram envolvidos na criação do álbum, que vão do som de percussão da Bahia ao arranjo orquestral europeu – o que dá ao álbum sua excelente variedade.

“ØMNI” é um álbum conceitual, um conjunto de histórias curtas de ficção científica que ocorrem em vários lugares no tempo, simultaneamente. A espinha dorsal da trama baseia-se na idéia de que, em 2046, um sistema de inteligência artificial irá mudar a percepção e cognição humana. É um sistema que permitirá a comunicação consciente entre seres humanos presentes e futuros. Personagens como viajantes do tempo, homens das cavernas, guerreiros, entre outros, ajudam a contar esta história.

O álbum conecta os conceitos de álbuns anteriores (“Holy Land”, “Rebirth”, “Temple of Shadows”) para um sistema principal, “ØMNI”, que em latim significa “tudo”. “ØMNI” fábrica uma interconectividade que lança luz em direção a uma verdade universal: tudo o que aconteceu, levou ao que a banda é hoje. “ØMNI” celebra e une toda a história de Angra a este momento exato e atual.

A fórmula e marca registrada de Angra, de estilo brasileiro misturado com música clássica e heavy metal, é reforçada por diferentes influências, como rock progressivo, thrash metal, música latina, djent, etc., o que transforma o álbum em um redemoinho moderno e familiar. O humor e a dinâmica conjuntas colocam um toque especial nas letras e, portanto, aumentam o profundo senso de imersão na história.

A obra de arte da capa foi desenhada manualmente por Daniel Martin Diaz, um artista americano único que dedica sua vida a misturar conceitos científicos e filosóficos como Anatomia, Ciência da Computação, Matemática, Cosmologia, Geometria Sagrada, Simbolismo e Esoterismo. O designer Gustavo Sazes foi responsável por integrar tal peça de arte orgânica ao conceito visual do álbum como um todo.

Mesmo em um ambiente cultural cada vez mais estéril e desfavorável para a música com alma e identidade, a banda reúne onze faixas que diferem completamente uma da outra, mas ao mesmo tempo contam uma história coesa e vagueiam por todos os estilos e nuances que fizeram Angra a referência mundial. Uma formação muito bem ligada, tanto pessoal quanto musicalmente, transbordando de criatividade, foi o combustível necessário para trazer essas músicas à vida, músicas que são, sem dúvida, as melhores na discografia da banda.

“ØMNI” certamente é um marco, não só na história da banda, mas também para o metal brasileiro e seu reconhecimento em todo o mundo.

A primeira música “Travelers Of Time” pode ser ouvida aqui:

Track list:
1. Light of Transcendence
2. Travelers of Time
3. Black Widow’s Web
4. Insania
5. The Bottom of My Soul
6. War Horns
7. Caveman
8. Magic Mirror
9. Always More
10. ØMNI – Silence Inside
11. ØMNI – Infinite Nothing