Tag Archives: Som Do Darma

Mauá em Peso: Hellish War, Armadilha, SweetDanger, Setenciador e Final Disaster neste domingo dia 11

Acontece neste domingo, dia 11 de Junho, o festival Mauá em Peso. Hellish War, Armadilha, SweetDanger, Setenciador e Final Disaster se revezarão no palco do Mossoró Rock Bar em Mauá, na grande São Paulo, a partir das 14hs. Os ingressos estarão sendo vendidos na hora no local do show por apenas R$ 20,00.

Há mais de 20 anos na estrada, o Hellish War terá a honra de ser a banda headliner do Mauá em Peso. Nesse ano o grupo vem celebrando os 15 anos desde o lançamento de seu disco de estreia, o clássico “Defender Of Metal”

“Defender Of Metal” é considerado um dos melhores álbuns do estilo no Brasil e na Europa, onde o grupo já excursionou duas vezes. “Defender Of Metal” não só projetou a carreira do Hellish War internacionalmente, mas moldou a personalidade musical do grupo que foi aprimorada nos trabalhos subsequentes, “Heroes Of Tomorrow” de 2008 e “Keep It Hellish” de 2013. O disco ao vivo “Live In Germany” (2010) também veio recheado de clássicos do debute e provou o poder de fogo dessas faixas entre o público europeu.

Para esse show em Mauá, muitos clássicos de “Defender Of Metal” estarão no setlist, bem como músicas do mais recente álbum, “Keep It Hellish”, que já estão entre as preferidas dos fãs.

O Hellish War é atualmente formado por Bil Martins (vocal), Vulcano (guitarra), Daniel Job (guitarra), JR (baixo) e Daniel Person (bateria).

Confira o videoclipe oficial da música “Keep It Hellish” do Hellish War: https://youtu.be/tn04YgvLH1I

Serviço:
Mauá Em Peso
Bandas: Hellish War, Armadilha, SweetDanger, Setenciador e Final Disaster
Data: Domingo, 11/06/2017
Horário: 14:00
Local: Mossoró Rock Bar – Av. Barão de Mauá, 983 – Mauá/SP (10 minutos da Estação CPTM de Mauá)
Ingressos: R$ 20,00 a venda no local na hora do show.
Estacionamento ao lado.

Mais Informações:
www.hellishwar.com.br
www.facebook.com/hellishwar
www.twitter.com/hellishwar
www.youtube.com/hellishwarofficial

“Manifesto Cerrado”, longa-metragem que conta a história de 20 anos do Uganga, será exibido pela primeira vez no próximo dia 08 no Museu da Imagem e do Som em BH

Financiado pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC) de Araguari, o filme será lançado em DVD e também online, totalmente gratuito, numa tentativa de ampliar e democratizar o acesso

“Manifesto Cerrado” é o título do primeiro DVD do Uganga que celebra os 20 anos de carreira do grupo. O projeto reúne um documentário de longa-metragem que conta a história da banda e um show inédito realizado na histórica estação ferroviária Stevenson em Araguari/MG. “Manifesto Cerrado” está sendo lançado tanto em formato físico como também disponibilizado online, totalmente gratuito, numa tentativa de ampliar e democratizar o acesso.

O show na estação ferroviária Stevenson que compõe o DVD já está disponível online: https://youtu.be/vMtQBqmoNrM

Já o longa-metragem será exibido pela primeira vez na próxima quinta-feira, dia 08 de Junho, na “Mostra Minas no Metal”, evento paralelo ao festival “Monster Of Metal” e que acontece no Museu da Imagem e do Som (MIS) / Cine Santa Tereza, localizado no tradicional bairro Santa Tereza em Belo Horizonte. A exibição acontece a partir das 19:30 com entrada franca. Ao fim da exibição, Manu “Joker”, vocalista do Uganga, participara de um bate-papo com os presentes.

Financiado pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC) de Araguari, “Manifesto Cerrado” é, nas palavras de “Joker”, “um manifesto de sobrevivência, superação e renovação.”

O show na estação Stevenson (construída em 1927 às margens da rodovia que liga Uberlândia e Araguari), não foi aberto ao público e contou apenas com presença de amigos e familiares da banda. Em formação circular, nessa noite o grupo executou uma das mais emblemáticas, introspectivas e expressivas performances de sua carreira.

“O show da estação Stevenson é o ápice do nosso renascimento como banda”, conta Joker. “Naquela noite acabamos com as dúvidas que poderiam haver sobre se continuaríamos ou não. Ali, em casa, cercados pelos nossos amigos mais próximos, familiares, no nosso momento de maior fraqueza, a banda se reencontrou. É aquilo: para perceber o entorno é preciso olhar pra dentro primeiro.”

Já o documentário de longa-metragem remonta sim ao passado da banda, porém a partir de uma narrativa contemporânea.

“Nessas mais de duas décadas na estrada vivemos muita coisa”, continua Joker. “Passamos grande parte de nossas vidas tocando no Uganga. Apesar do documentário tratar de toda nossa trajetória, ele foca mais no período entre a pré-produção do álbum ‘Opressor’, por volta de 2012, até hoje. E com certeza considero esse período o mais importante desde que formei a banda em 1993. Durante esse tempo gravamos nosso trabalho mais forte, fizemos nossa segunda turnê pela Europa e outra tour incrível pelo Brasil, tocamos com alguns ídolos e aprendemos muito. Convivemos com diferenças, desgastes, vida e morte. O documentário marca, a meu ver, um renascimento para o Uganga, tanto na formação quanto na unidade, além de apontar para o nosso futuro”.

Direção e produção de “Manifesto Cerrado” são assinadas por Eddie Shumway, cineasta mineiro que há muito tempo vem produzindo a maioria dos trabalhos audiovisuais do Uganga.

“Esse trabalho levou quatro anos pra ficar pronto. Fiquei muito feliz também por ter tido a oportunidade de colaborar com o Eddie na edição. Ele é um cara muito próximo da banda, trabalhamos bem juntos e ele tem uma visão interessante e neutra do Uganga. Temos muito orgulho de mais esse trabalho e em 2017 várias outras páginas serão escritas”, finalizou, orgulhoso, Joker.

Após a exibição de estreia em BH, o documentário longa-metragem estará disponível no Youtube a partir do dia 12 de Junho.

Já a versão física do DVD com lançamento pela Sapólio Rádio estará disponível no mês de Julho.

Mais informações:
www.uganga.com.br
www.facebook.com/ugangaband
www.youtube.com/ugangamg
www.twitter.com/uganga
www.sapolioradio.com.br

Maestrick: mais de 20 músicos envolvidos nos corais e orquestrações de novo álbum

“Espresso Della Vita: Solare” está sendo produzido por Adair Daufembach (Project46, John Wayne, Hangar)

Falta pouco para o grupo de rock/metal progressivo Maestrick lançar seu novo disco de estúdio, “Espresso Della Vita: Solare”.

O novo trabalho será sucessor do aclamado álbum de estreia, “Unpuzzle!”, e do EP “The Trick Side Of Some Songs” que o grupo lançou recentemente reunindo versões para clássicos dos Beatles, Yes, Jethro Tull, Pink Floyd, Queen e Rainbow.

Previsto para o segundo semestre, “Espresso Della Vita: Solare” é a primeira parte de um disco duplo conceitual e traz uma observação da vida humana na perspectiva de uma viagem de trem.

O disco tem a produção de Adair Daufembach (Project46, John Wayne, Hangar) que também é o encarregado de gravar todas as guitarras do álbum.

Parte importante da musicalidade do Maestrick, as orquestrações ganharam uma atenção especial em “Espresso Della Vita: Solare”, ainda mais que no primeiro álbum. No total, 23 músicos diferentes participaram de gravações de instrumentos e corais que dão forma as partes orquestradas e sinfônicas do álbum.

Segundo o vocalista e pianista Fábio Caldeira, a necessidade pelos momentos orquestrados e sinfônicos nasceu de forma natural em consequência às intenções emocionais das composições.

“Essa primeira parte do Espresso Della Vita é muito emocional. Em algumas partes específicas tínhamos que ter mais do que o timbre dos instrumentos. Precisávamos registrar a emoção dos instrumentistas e cantores. Mais do que um coro de vozes, mais do que uma orquestra, tínhamos que ter a soma de todas as intenções desses músicos e cantores brilhantes, que enriqueceram o trabalho cada um do seu jeito. Sempre achávamos importante explicar o contexto onde as partes se inseriam na história e no período do dia para que eles então interpretassem. Não temos palavras para agradecer a todos que participaram e temos certeza que quem ouvir o disco vai sentir tudo de bom que foi depositado nele.”

Entre os convidados do que ficou conhecida como “Solare Orquestra”, estão Adriano Reis, Ana Camila Castilho Bordino, Camila Schneck e Eduarda Temi Ito nos Violinos; Guilherme Caldas na Viola e Walisson Higor da Cruz no Cello. Todas as partes de cordas foram gravadas no  Estúdio Prime Mídia em São José do Rio Preto/SP. Gravações de Tímpano e Gran Casa foram feitas pelo percussionista Elvis no Teatro Cine Barretos, na cidade de Barretos. As Flautas ficaram a cargo do músico peruano Pablo Alayza, da banda Flor De Loto, e as gravações ocorreram em Lima. Por fim, mas não menos importantes, fizeram parte do Coral: Danielle Castro, Maria Lúcia Arruda e Michelle Maia (Sopranos); Carolina Penhavel, Audrey Sarraceni, Camila Souza, Mayara Martinelli e Fernanda Barban (Contraltos); Paulo Camillo, Kelvin Miura, Will Matos, Daniel Oliveira e Victor Castro (Tenores); Maurício Lopes e Nathan Custódio (Baixos). Os Corais foram gravados na Escola de Artes Ligia Aydar, no Shopping Iguatemi em São José do Rio Preto/SP.

Além dos convidados nas partes orquestradas, recentemente o Maestrick havia revelado também o nome de umas das faixas do álbum, “Hijos de La Tierra”, bem como sua abordagem conceitual – voltada ao cultivo do amor à natureza e de respeito pelas Américas – e uma lista de sete músicos de quatro países diferentes das Américas do Norte e Sul que participaram das gravações da música. Entre essas participações está a de Cinthia Santibañes, vocalista da banda Crisalida, do Chile, atração do Lollapalooza desse ano. Um vídeo com trechos das gravações que Cinthia Santibañes realizou no Chile para “Hijos De La Tierra” foi disponibilizado no canal oficial do Youtube do Maestrick. No mesmo vídeo, Fabio Caldeira comenta um pouco mais sobre a participação da cantora do Crisalida: https://youtu.be/UC8Z6TPcx3Y

“Espresso Della Vita: Solare” será lançado em 2017 em data a ser divulgada. Novas informações sobre outras participações especiais, capa e tracklist serão divulgadas em breve.

Mais Informações:
www.maestrick.com.br
www.facebook.com/maestrick
www.twitter.com/maestrick
www.youtube.com/maestrickofficial

Primator: banda anuncia novo guitarrista e segue compondo novo álbum

“Poderosa, criativa, técnica e cheia de conteúdo” (Dossiê do Rock); “Transpira autenticidade” (Blog Na Mira); “Mais um álbum para a lista de grandes lançamentos nacionais de 2015” (A Música Continua a Mesma); “Extremamente bem feito!” (Música e Cinema); “Muito bom!” (Arte Metal); “Uma das melhores bandas de Heavy metal que nós escutamos na atualidade” (Resenha do Rock).

Essas foram algumas declarações que a banda paulistana de heavy metal tradicional Primator conquistou na imprensa especializada com seu disco de estreia, “Involution”. O álbum também foi eleito um dos “Melhores Álbuns Nacionais de 2015” pelo Heavynroll, Mundo Metal e Roadie Metal e chegou a ser indicado para o Prêmio Dynamite na categoria “Melhor Álbum de Heavy Metal”.

Numa entrevista recém publicada pelo site Metal Na Lata, o baixista André dos Anjos falou sobre a pressão de compor e gravar um novo álbum ainda melhor que seu antecessor.

“Acredito que para todo artista o reconhecimento por parte dos fãs e o anseio destes por novos trabalhos é o principal combustível que nos faz seguir em frente e continuar trabalhando. Essa “pressão” é o que nos torna curiosos em ver a reação do público a cada novo som que fazemos! É bem como uma troca mesmo. Faz com que nós sempre busquemos nos aperfeiçoar.”

Esse aperfeiçoamento que o Primator quer entregar em seu próximo trabalho, que já está em avançado processo de composição, agora terá a ajuda de um novo integrante, o guitarrista Lucas Almeida.
Professor de guitarra na Play Arte Musical em São Paulo, Lucas vem para substituir o antigo guitarrista Diego Lima que deixou o grupo amigavelmente para seguir outros projetos pessoais.

Lucas Almeida é formado pelo IG&T e além da experiência como educador, já dividiu o palco com mestres da guitarra como Steve Vai, Andy Timmons, Edu Ardanuy, Faiska, Michel Leme, André Christovam, entre outros.

“Conheci o som do Primator em um festival no qual eu também toquei com uns amigos”, conta Lucas. “Isso foi há mais ou menos quatro anos e na ocasião o Rodrigo cantou algumas músicas conosco. Achei o som da banda sensacional. Imediatamente virei fã e fiquei na expectativa do disco “Involution” que estava prestes a ser gravado. Fiquei muito feliz por ter sido selecionado para ocupar o posto do grande Diego, um guitarrista fantástico e que admiro muito. Darei o meu melhor para contribuir com as novas composições e também manter o nível das antigas. Estou muito empolgado!”

O novo álbum do Primator será produzido por Mario Linhares (Dark Avenger). A primeira parceria entre o grupo e o produtor foi o videoclipe da música “To Mars”, composição do próprio Linhares.

Para assistir, acesse: https://youtu.be/cxEa36E3WCY

Mais Informações:
www.bandaprimator.com.br
www.facebook.com/bandaprimator
www.soundcloud.com/bandaprimator
www.twitter.com/primatormetal

Psychotic Eyes: artista-plástica Nua Estrela assina capa de disco acústico de death metal

Violões e vocais guturais! Essa é a receita minimalista, porém ousada, de “Olhos Vermelhos”, o primeiro disco acústico de death metal da história que o Psychotic Eyes lança ainda no primeiro semestre de 2017.

“Olhos Vermelhos” já está todo gravado e segue em processo de mixagem no estúdio HBC Records em Guarulhos/SP sob produção de Humberto Belozupko. O trabalho reunirá duas faixas inéditas, “Memento Mori” e “Olhos Vermelhos” – baseado num poema de Luiz Carlos Barata Cichetto. Também farão parte do álbum, em novos arranjos, “The Hand of Fate” – música presente no álbum de estreia – além de “Life” e “Dying Grief”, ambas de  “I Only Smile Behind The Mask” (2011).

Se gravar um disco acústico de death metal já não fosse subversivo demais para a ala dos conservadores da comunidade metal, o que dizer sobre a capa de “Olhos Vermelhos”, uma obra assinada pela artista plástica gaúcha Nua Estrela.

“Conheci o trabalho da Nua Estrela no mesmo dia em que fizemos o primeiro show acústico de death metal da história”, conta o vocalista e guitarrista/violonista, Dimitri Brandi. “Era o evento de lançamento da revista “Gatos & Alfaces”, que vinha acompanhada de um CD chamado “Ainda Respira”, que trazia bandas que mostravam que o rock brasileiro ainda estava vivo. O Psychotic Eyes era uma delas, aparecíamos na coletânea com a faixa “Life”. O organizador do evento e editor da revista era o Barata Chichetto, poeta com quem temos uma amizade e admiração de longa data. Ele armou um evento sensacional, que misturava música, poesia, literatura e artes plásticas. Havia uma exposição de trabalhos da Nua Estrela, que me chamaram muita atenção. Depois reparei que a capa da revista também era dela. O trabalho impressionava pela agressividade e sensualidade das imagens, sempre retratando o corpo feminino de uma maneira muito real e particular. Algo que realmente emociona. Vi o trabalho dela no Facebook e deparei com a arte que vai ilustrar nosso EP “Olhos Vermelhos”. Era perfeita, parecia que tinha sido feita pensando na música, que aliás tem letra do Barata, em português. Entrei em contato com ela e perguntei se ela gostaria e poderia ceder a imagem para ser capa do disco. Ela adorou a ideia, nunca tinha trabalhado com uma banda antes.”

A capa de “Olhos Vermelhos”, enquanto pintura, é uma retórica muda. Ela transmite aos olhos do observador tudo o que o Psychotic Eyes se propõe com esse trabalho. De forma que sua concepção original será mantida, o Psychotic Eyes não incluiu logotipo e nem título do trabalho na imagem. Além de preservar a subjetividade e concepção original da obra de Nua Estrela, “Olhos Vermelhos”, enquanto obra de arte, passa a ser uma “unidade pluralista”, ao colocar em diálogo a música extrema e as artes plástica. Não obstante, a ausência de um logotipo evita a mercantilização de uma obra de arte.

“Eu achei sensacional usar, como capa de um disco, um quadro que não foi pintado com essa finalidade”, acrescenta Dimitri. “A imagem fala por si, mas não tem nada a ver com capas de discos de rock. Ao meu ver, tanto a pintura como todo essa ideia e concepção, representa algo diferente, inusitado e inovador.”

Datas de lançamento, formatos e plataformas de distribuição de “Olhos Vermelhos” serão divulgados em breve.

Um vídeo com trecho das gravações de “Olhos Vermelhos” já havia sido divulgado pelo grupo: https://youtu.be/V-6xJIGFA8M

Mais Informações:
www.psychoticeyes.com
www.twitter.com/psychoticeyes
www.facebook.com/psychoticeyes
www.youtube.com/psychoticeyesbrazil

Vulcano, do Hellish War, e Will Costa, do Higher, em turnê pela América do Sul com Tim “Ripper” Owens

Conhecido como uma das grandes vozes do metal contemporâneo, Tim “Ripper” Owens, que fez história substituindo Rob Halford no Judas Priest, além de passagens por Iced Earth e Yngwie Malmsteen, está de volta à América do Sul para uma série de shows. A turnê faz parte da “Demolition & Jugulator Celebrate Tour 2017“, onde o músico celebra o repertório dos dois discos lançados com o Judas Priest.

A parte sul-americana da turnê teve início quinta-feira da semana passada, dia 04/05, com um show em Curitiba/PR. Depois seguiram para São Paulo com uma apresentação explosiva no Gillan’s Inn e fecharam a passagem pelo Brasil em Colatina/ES.

A banda que acompanha Ripper no Brasil é exclusivamente formada por músicos brasileiros, entre eles o guitarrista do Hellish War, Vulcano, e o baixista do Higher, Will Costa.

Ambos já haviam feito a última turnê sul-americana ao lado de Ripper em Outubro de 2015 e juntaram-se mais uma vez ao vocalista este ano.

Vulcano é o membro fundador do Hellish War. Há mais de 20 anos o Hellish War vem mantendo a tradição de se fazer heavy metal à maneira clássica. Novas bandas e novas tendências desapareceram tão rapidamente quanto surgiram, ao passo que o Hellish War, em meio à efemeridade do metal moderno, segue mantendo viva uma tradição. “Defender Of Metal”, o disco de estreia lançado em 2001, é considerado um clássico do estilo no Brasil e na Europa, onde o grupo já excursionou duas vezes. “Defender Of Metal” não só projetou a carreira do Hellish War internacionalmente, mas moldou a personalidade musical do grupo que foi aprimorada nos trabalhos subsequentes, “Heroes Of Tomorrow” de 2008 e o premiado “Keep It Hellish” de 2013. O disco ao vivo “Live In Germany” (2010) também veio recheado de clássicos do debute e provou o poder de fogo dessas faixas entre o público europeu.

Confira o videoclipe oficial da música “Keep It Hellish” do Hellish War: https://youtu.be/tn04YgvLH1I

Já Will Costa é o integrante mais novo, porém não menos importante, do Higher. O disco de estreia do Higher colecionou declarações calorosas como “Nove canções perfeitas” (Metal Samsara);  “Surpreendente” (Portal Reidjou); “Som único” (Galeria Musical); “Pesado e criativo, difícil de rotular” (A Música Continua A Mesma); “Indispensável” (Metal Revolution). O álbum também entrou para a lista de Melhores do Ano de diversos jornalistas e críticos respeitados. Na eleição realizada entre os leitores do site Heavynroll, Cezar Girardi foi considerado o segundo “Melhor Vocalista de Metal do Brasil” e Gustavo Scaranelo o terceiro “Melhor Guitarrista”. No momento o grupo está em processo de composição de seu segundo trabalho.

Confira o videoclipe oficial da música “Lie” do Higher: https://youtu.be/yehGyF5WULo

Mais seis datas estão agendadas para Tim “Ripper” Owens e sua banda brasileira na América do Sul essa semana:

08/05 – Iquique @ Disco 7 (Chile)
09/05 – Santiago @ Blondie (Chile)
10/05 – Bogotá @ Ozzy Bar (Colômbia)
12/05 – Guayaquil @ Teatro Centro de Arte (Equador)
13/05 – Rio Bamba @ Teatro Alfonso Chávez Jara (Equador)
15/05 – Lima @ Sargento Pimienta (Peru)

Mais Informações:
HELLISH WAR
www.hellishwar.com.br
www.facebook.com/hellishwar
www.twitter.com/hellishwar
www.youtube.com/hellishwarofficial

HIGHER
www.higherband.com
www.facebook.com/highermetal
www.soundclound.com/highermetal
www.twitter.com/highermetal
TIM “RIPPER” OWENS
www.timripperowens.com/
www.openroadagency.com

Sexo, Pincéis e Rock ‘N’ Roll: banda Threesome promove encontro entre música e artes plásticas com um toque de erotismo

Juh Leidl_Threesome

Formada em 2012 em Campinas/SP, a Threesome é um quinteto de música autoral e original, esteticamente influenciada pelo rock dos anos 60 e 70 e com referencias agregadas de outros segmentos como o blues, acid jazz e o indie.

Inerentemente maliciosas, as letras  das músicas do Threesome narram experiências amorosas e sexuais, monogâmicas ou não. Mais do que contar histórias clichês, a Threesome quer provocar, romper barreiras impostas pelo preconceito e por setores opressores da sociedade, promovendo a livre reflexão sobre um dos temas centrais dos estudos de Sigmund Freud.

Juh Leidl, vocalista do grupo, também é artista plástica, o que acaba por influenciar diretamente o trabalho do Threesome. Seja no aspecto musical em si ou no desenvolvimento do trabalho visual da banda, que quase sempre levam a assinatura da cantora.

uh Leidl_Threesome

Aos 14 anos Juh Leidl conquistou a primeira medalha de ouro em uma exposição na Childen’s Art Gallery em Zánka, Hungria. Estudou Belas Artes da Universidade Estadual de Campinas UNICAMP, onde se formou com especialização em pintura.

Durante os processos criativos de Juh Leidl, segundo ela própria, música e pintura coexistem de forma caleidoscópica.

“Sempre fui apaixonada por música e sempre desenhei e pintei ouvindo música”, conta Juh Leidl. “Para mim é impossível pintar sem ouvir música. Ela é tão intrínseca ao processo que tenho que escolher a dedo o que vou ouvir dependendo do trabalho que estou fazendo, da energia que quero passar na tela. Já perdi a conta de quantas vezes coloquei um álbum e em determinado momento tive que parar de pintar e trocar a música porque a vibração que começou a rolar não estava alinhada com o trabalho. Ou então deixei uma música em particular tocando repetidas vezes até terminar um determinado ponto do quadro. Já quando estou cantando ou compondo eu penso em cores, em quente, frio, em calma, em raiva, o que a música quer dizer, logo que cor ela tem? Que nuances posso dar a melodia quase como quem pinta só que com o som! Quando estou no palco penso em layouts e composições de imagem. O que o público está vendo? Que estrutura estamos mostrando se eu ficar pra cá, e porque não levar o olhar agora para lá? Imagem e som são como eu respiro.”

Entre os trabalhos de Juh, destacam-se algumas obras como “Feel II” e “Free”.

Juh Leidl_Feel

“Ambos apresentam essa linguagem mais erótica, mas enquanto “Feel II” é quase que uma entrega romântica, “Free” é mais solta. “Feel II” traz as linhas escritas em hebraico que, se traduzidas, dizem: ‘Oh, meu coração é seu, meu corpo é seu, e toda a minha alma, meus olhos te vendo, meus lábios beijando os seus’. “Free” foi um exercício de desbloqueio, fazer o que viesse a mente, aí acabaram saindo as imagens de várias formas de amor.  Os trabalhos têm em comum a atmosfera mais pastel”, explicou a artista.

“Get Naked” é o título do álbum de estreia do Threesome lançado em 2014. O disco reúne 11 faixas e está integralmente disponível online através das principais rádios e apps como iTunes, Spotify e Google Play. No canal oficial da banda no Soundcloud também é possível ouvir “Get Naked” na íntegra: https://soundcloud.com/threesomerock/sets/get-naked

O Threesome está atualmente em estúdio gravando um EP inédito a ser lançado ainda no primeiro semestre de 2017. Juh Leidl certamente assinará a arte da capa.

Além de Juh, o Threesome também é formado por Fred Leidl (guitarra/piano/vocal), Bruno Manfrinato (guitarra), Bob Rocha (baixo) e Henrique Matos (bateria).

Mais Informações:
www.3somerock.com
www.facebook.com/3some
www.youtube.com/threesomerock
www.twitter.com/ThreesomeRock
www.instagram.com/threesomerock
www.soundcloud.com/threesomerock

Pop Javali renova contrato com a Voice Music para o lançamento de “Resilient”, novo álbum de estúdio

O disco foi gravado no Busic Produções em São Paulo sob a batuta dos produtores Andria e Ivan Busic - Foto: Eliton Tomasi

O disco foi gravado no Busic Produções em São Paulo sob a batuta dos produtores Andria e Ivan Busic – Foto: Eliton Tomasi

“Resilient”. Esse será o título do novo álbum de estúdio do power-trio Pop Javali. Marcelo Frizzo (baixo/vocal), Jaéder Menossi (guitarra) e Loks Rasmussen (bateria) já finalizaram as gravações no Busic Produções em São Paulo sob a batuta dos produtores Andria e Ivan Busic, com quem vêm trabalhando desde “The Game Of Fate” de 2014.

“Resilient” será lançado em Março de 2017 e trará 11 faixas inéditas que soam mais pesadas em comparação aos trabalhos anteriores. O álbum também vai marcar o aniversário de 25 anos de fundação do grupo, fato este implícito no título do novo álbum, como explica Marcelo Frizzo.

“Estamos chegando à marca de 25 anos de banda! É uma história fantástica, ainda mais quando se trata da mesma formação desde o início. Isso tem tudo a ver com o título, afinal, a estrada não é fácil e as dificuldades não faltaram nesses anos todos. Por isso mesmo nos tornamos mais ‘resilientes’. Nada nos derrubou, nunca desistimos. Aprendemos e crescemos com todas as etapas de nossa trajetória. Estamos mais fortes do que nunca!  ‘Resilient’ mostra isso com uma sonoridade sólida e pesada que traduz a evolução da banda.”

O lançamento nacional de “Resilient” será através da Voice Music, gravadora que foi responsável pela distribuição do trabalho anterior do grupo, o ao vivo “Live In Amsterdam” (2016), gravado na capital holandesa. O Pop Javali renovou o contrato com o selo para o seu novo disco de estúdio, que sairá tanto no formato físico(distribuído para grandes lojas como Americanas, Submarino, Saraiva e Livraria Cultura) e também no formato digital, com alcance mundial pelas plataformas Spotify, Deezer e iTunes.

O Pop Javali promete para Fevereiro o lançamento de um lyric-video de uma das músicas do novo álbum.

Pop Javali - Resilient_Low

Mais Informações:
www.popjavali.com.br
www.facebook.com/popjavali
www.twitter.com/popjavali
www.youtube.com/popjavali92
www.soundcloud.com/popjavali

Experiência na contemporaneidade metaleira, Axes Connection lança álbum de estreia

"A Glimpse Of Illumination" é o título do debute do novo grupo gaúcho formado por ex-integrantes do Distraught e Apocalypse - Foto: Billy Valdez

“A Glimpse Of Illumination” é o título do debute do novo grupo gaúcho formado por ex-integrantes do Distraught e Apocalypse – Foto: Billy Valdez

O Axes Connection toca Heavy Metal! Pesado e cortante como um machado! Um novo som, contemporâneo, composto e gravado por músicos que acumulam décadas de experiência: o vocalista Márcio Machado, o guitarrista Marcos Machado (ex-Distraught), o baixista Magoo Wise (ex-The Wise, ex-Distraught, ex-Apocalypse) e o baterista Cristiano Hulk (ex-Vômitos e Náuseas, ex-Grosseria).

Tudo começou ainda na década de 90, na verdade. Os irmãos Vitor e Marcos Machado compuseram algumas músicas juntos para um novo projeto. O material acabou ficando na gaveta depois que Marcos foi convidado para ser o novo guitarrista da banda gaúcha de thrash metal Distraught. Marcos passou 15 anos com o Distraught, gravou quatro álbuns e fez turnês pelo Brasil, Argentina e Uruguai, além de shows ao lado do Megadeth, Destruction, entre outros. Durante esse período o projeto com o irmão baterista Vitor manteve-se ativo, embora informalmente. Em algumas ocasiões, contaram com a participação do terceiro irmão, o vocalista Márcio Machado.

Em janeiro de 2013, Vitor encorajou Marcos – já fora da Distraught – a levar o projeto em conjunto a sério. Os trabalhos foram retomados com enorme entusiasmo quando, infelizmente, Vitor veio a falecer logo no mês seguinte. Marcos decidiu então dar continuidade ao trabalho e assim honrar a memória do irmão. Márcio Machado juntou-se imediatamente, bem como um amigo de longa data, o baixista Magoo Wise (ex-Apocalypse), que durante anos havia tocado com Marcos, antes do Distraught.

Assim nasceu “A Glimpse Of Illumination”, disco de estreia do projeto agora chamado de Axes Connection – uma referência direta ao sobrenome dos irmãos Machado (“Axe”, em inglês).

O álbum foi gravado no estúdio Felipe Live em Porto Alegre/RS e reúne 10 faixas: “The Meaning Of Evil”, “Rearrange Yourself”, “Wisdom Is The Key”, “Use The Reason”, “Prepare Your Soul”, “The Gates”, “A Glimpse Of Illumination”, “Journey To Forever”, “Skyline” e “The True Connection”.

Com a masterização assinada pelo ex-baixista do Hibria, Benhur Lima, e capa desenhada pelo artista Aldo Marcondes, “A Glimpse Of Illumination” está previsto para chegar às lojas ainda no primeiro semestre de 2017.

“O Axes Connection tem por objetivo principal honrar a memória do meu irmão Vitor e também de levar música de qualidade para um mundo cada vez menos preocupado com isso”, diz Marcos Machado.

Um videoclipe de “Wisdom Is The Key”, primeiro single de “A Glimpse Of Illumination”, está disponível no Youtube:https://youtu.be/xrFnzlVnlYY

Axes Connection_A Glimpse Of Illumination_Cover_Low

Mais Informações:
www.facebook.com/axesconnection

“Intenso”, quarto e novo disco dos Canábicos, sai em Março pela Monstro Discos

O álbum foi produzido por Gustavo Vazquez no Rock Lab em Goiânia e o primeiro single já está disponível em videoclipe

O álbum foi produzido por Gustavo Vazquez no Rock Lab em Goiânia e o primeiro single já está disponível em videoclipe

Os Canábicos são certamente uma das bandas mais produtivas do triângulo mineiro. Liderada pelo guitarrista Murcego González (Uganga) e pelo vocalista André Clandestino, o grupo vem lançando praticamente um disco por ano desde que foi formado em 2013: “La Bomba” (2013), “Reféns da Pátria” (2014) e “Alienígenas” (2015) compõem a discografia da banda até aqui.

Embora o ano de 2016 não tenha sido coroado com mais um trabalho, engana-se quem pensa que o grupo diminuiu o ritmo. Os Canábicos, que ainda contam com Mestre Mustafá na bateria e o baixista MM, estiveram o ano passado inteiro voltados à produção daquele que promete ser seu melhor álbum até aqui: “Intenso”.

“Intenso” foi gravado no estúdio RockLab em Goiânia sob produção do mestre Gustavo Vazquez (Uganga, Black Drawing Chalks, Hellbenders) e vai reunir as faixas “Planeta Estranho”, “Fora da Lei”, “Intenso”, “Não Faz Sentido”, “Lei do Cão”, “Viagem Espacial”, “Rotina” e “Eu não sei o que vai ser de mim”.

De acordo com Clandestino, além da profusão criativa existente entre ele e Murcego González, a vitória do Festival Fun Music em 2015 foi fator preponderante para a gravação de “Intenso”.

“Estávamos entusiasmados com a conquista do Fun Music e também com a possibilidade de darmos novos passos em nossa carreira”,comenta o vocalista.  “Ter um produtor mais voltado a linguagem do hard rock foi essencial para o que buscávamos, e o Gustavo Vazquez era certamente a pessoa mais indicada, além do fato de já termos trabalho com ele na música “Sexo, Drogas & Rock N Roll” lançada como videoclipe em 2013. Para a seleção do repertório, eu e o Murcego priorizamos as músicas com mais “pegada”. Algumas faixas como “Eu não sei o que vai ser de mim”, “Lei do Cão” e “Viagem Espacial” foram compostas há mais de 10 anos. Outras, como “Rotina”, surgiram poucas semanas antes das gravações. Acho que isso difere um pouco esse disco dos demais: geralmente gravávamos as músicas que vínhamos compondo naquele momento, sem pensar muito em estilo; dessa vez buscamos dentro de todo o nosso repertório as músicas num estilo mais hard rock, que é como eu definiria o “Intenso” dentro da nossa discografia”.

Hard Rock com referencias que vão de Beatles a Black Sabbath, ou de Rolling Stones a Led Zeppelin, cantados no bom e velho português. Essa receita logo chamou a atenção da renomada gravadora e produtora Monstro Discos de Goiânia que decidiu oferecer aos Canábicos um contrato de lançamento.

“O vigor e o power rock dos Canábicos me chamaram a atenção”, diz o sócio-fundador e diretor executivo da Monstro Discos, Leo Bigode.“Eles fazem rock como tem que ser, sem firulas, reto, direto, e ainda conseguem ter partes harmônicas sem ser chato. É uma banda criativa e intensa.”

“Intenso” sai em Março em CD e também em todas as plataformas digitais.

Um videoclipe da faixa “Planeta Estranho” está disponível no canal oficial da Monstro Discos no Youtube: https://youtu.be/sC2BqtBY9g0

canabicos

Mais Informações:
www.canabicos.com.br
www.facebook.com/oscanabicos
www.monstrodiscos.com.br

Banda Threesome adere à campanha “Outubro Rosa”

juhThreesome

O grupo pretende colaborar na conscientização da importância do diagnóstico precoce do câncer de mama entre roqueiras

Criada em 1990 nos Estados Unidos, a campanha “Outubro Rosa” pretende chamar a atenção para importância do diagnóstico precoce do câncer de mama, tipo de tumor que mais afeta mulheres em todo mundo. Segundo o Inca (Instituto Nacional de Câncer), cerca de 22% dos novos casos de tumor são desse tipo e a cada 24 horas 156 mulheres são diagnosticadas com câncer de mama no Brasil.

A campanha “Outubro Rosa” promovida no Brasil esse ano tem o mote “Vamos falar sobre isso?”, cujo objetivo é vencer tabus e fomentar as discussões a respeito do tema, bem como fortalecer o diagnóstico precoce que é essencial para reduzir a mortalidade.

Com letras que por vezes dialogam sobre temas cercados de grandes tabus, especialmente no campo da sexualidade, a banda Threesome decidiu aderir à campanha “Outubro Rosa” como forma de difundi-la entre as roqueiras que curtem o trabalho do grupo.

A Threesome é capitaneada pela vocalista Juh Leidl. A cantora posou como modelo para uma seção de fotos especial sobre o tema.

“Campanhas como a do Outubro Rosa são fundamentais para nos lembrar não só do autoexame para detecção do câncer de mama, mas a termos mais atenção e cuidado com o nosso corpo e saúde”, declara a vocalista. “O dia a dia muitas vezes nos atropela e é super comum simplesmente esquecermos de coisas tão básicas como dar um pouco de atenção para nós mesmas. Colocamos absolutamente tudo à frente. Apesar do número de casos de câncer de mama, é importante ter consciência de que quando diagnosticado, e tratado, ainda em fase inicial, ou seja, quando o nódulo é menor que um centímetro, as chances de cura do câncer de mama chegam a até 95%! Tumores desse tamanho são pequenos para serem detectados por palpação, mas são visíveis na mamografia o que nos faz voltar a questão: precisamos dedicar algum tempo para a nossa saúde! O autoexame, acompanhamento médico, mamografia, papanicolau para detecção precoce de câncer de colo de útero, devem estar na rotina de toda mulher. Temos lutado há décadas pela igualdade, liberdade sexual e respeito dentro da sociedade, mas podemos começar essa luta com nós mesmas, dando o devido valor e respeito ao nosso corpo e a nossa saúde. Isso sim depende inteiramente e apenas de nós, mulheres” .

Formada em 2012 em Campinas/SP, a Threesome é um sexteto de música autoral e original, esteticamente influenciada pelo rock dos anos 60 e 70 e com referencias agregadas de outros segmentos como o blues, acid jazz e o indie. Inerentemente maliciosas, as letras narram experiências amorosas e sexuais, monogâmicas ou não. Mais do que contar histórias clichês, a Threesome quer provocar, romper barreiras impostas pelo preconceito e por setores opressores da sociedade, promovendo a livre reflexão sobre um dos temas centrais dos estudos de Sigmund Freud.

“Get Naked” é o título do álbum de estreia do Threesome lançado em 2014. O disco reúne 11 faixas e está integralmente disponível online através das principais rádios e apps como iTunes, Spotify e Google Play. No canal oficial da banda no Soundcloud também é possível ouvir “Get Naked” na íntegra: https://soundcloud.com/threesomerock/sets/get-naked

Além da vocalista Juh Leidl, o Threesome também é formado por Bruno Baptista (vocal), Fred Leidl (guitarra/piano/vocal), Bruno Manfrinato (guitarra), Bob Rocha (baixo) e Henrique Matos (bateria).

Mais Informações:
www.3somerock.com
www.facebook.com/3some
www.youtube.com/threesomerock
www.twitter.com/ThreesomeRock
www.instagram.com/threesomerock
www.soundcloud.com/threesomerock

Higher: assista vídeo do baterista em ação durante “Make It Worth”

dvdvHigher

A banda paulista de metal Higher continua trabalhando na pré-produção do seu segundo disco de estúdio. O álbum ainda não tem título definido, mas algumas músicas já estão prontas e até gravadas. Um tema central conectará todas as faixas do trabalho.

O novo álbum do Higher é aguardado sob grande expectativa, uma vez que o disco de estreia do grupo continua rendendo elogios calorosos da imprensa, mesmo depois de dois anos do seu lançamento.

Em recente artigo publicado no blog Warriors Of The Metal, o jornalista Walker Marques declarou que o Higher é uma banda de “grande qualidade musical” e chegou a compará-los ao Carcass, sendo uma grande opção para quem quer ouvir som realmente pesado “sem precisar recorrer ao metal extremo”.

Outra resenha publicada recentemente pela Rumors Mag afirma que o álbum de estreia do Higher é “cheio de várias candidatas a hits” e que é “um banquete aos apreciadores do bom Metal”. Outras publicações anteriores ainda incluem declarações como: “Nove canções perfeitas” (Metal Samsara);  “Surpreendente” (Portal Reidjou); “Som único” (Galeria Musical); “Pesado e criativo, difícil de rotular” (A Música Continua A Mesma) e “Indispensável” (Metal Revolution).

“Make It Worth” é uma das faixas do elogiado disco de estreia do Higher. Pedro Rezende, baterista do grupo, filmou recentemente uma “drum-cam” com detalhes de sua performance durante a música. Para assistir, acesse: https://youtu.be/Ho7hS1z2XRs

Segundo o baterista, esse é apenas o primeiro de outros vídeos semelhantes que o músico pretende filmar.  Os demais músicos do Higher também devem divulgar em breve vídeos similares.

Além de Rezende, o Higher é formado por Cezar Girardi (vocal), Gustavo Scaranelo (guitarra), Felipe Hervoso (guitarra) e Will Costa (baixo).

Mais Informações:
www.higherband.com
www.facebook.com/highermetal
www.soundclound.com/highermetal
www.twitter.com/highermetal
www.youtube.com/highermetalband

Maestrick homenageia Chris Squire com medley do Yes

MaestrickNo último dia 27 de Junho completou-se um ano da morte do glorioso ex-baixista do Yes, Chris Squire.

Fãs assumidos do grupo inglês e do baixista, os músicos da banda paulista Maestrick decidiram prestar um justo tributo a Squire com a gravação de um medley do Yes intitulado “Yes, It’s A Medley”.

Essa não é a primeira homenagem feita pelo Maestrick. Em 2015, na ocasião do aniversário de cinco anos do falecimento de Ronnie James Dio, o grupo lançou uma regravação de “Rainbow Eyes”, do Rainbow, que contou com a participação da Orquestra Belas Artes.

Tanto “Yes, It’s A Medley” quanto “Rainbow Eyes” fazem parte do tracklist do EP “The Trick Side Of Some Songs” que o Maestrick lançou recentemente e que também reúne versões para outros clássicos de Beatles, Pink Floyd, Queen e Jethro Tull.

De acordo com o vocalista e pianista Fábio Caldeira, o Yes é uma das bandas que os integrantes do Maestrick mais gostam e eles não poderiam deixar passar essa oportunidade de homenagear Chris Squire e revisitar a obra da banda para o EP.

“Como não tínhamos ideia de qual música faríamos, optamos pelo medley”, conta o músico. “Referencias a vários clássicos do Yes estão aqui, como “Soon”, “Close To The Edge” e “Roundabout”, além de “Changes”, que apesar de fazer parte de um disco controverso do Yes, tem uma divisão rítmica muito interessante. Mas acho que o inesperado está em “Give Love Each Day”, do álbum “Magnification”, o último gravado com Jon Anderson e todo orquestrado, o meu preferido”.

Para conferir “Yes, It’s A Medley”, acesse: https://youtu.be/GEcz-sCmliM

Entre outras novidades, Fabio, junto a seus companheiros Renato “Montanha” Somera (baixo) e Heitor Matos (bateria), continuam trabalhando ao lado do produtor Adair Daufembach (Project46, John Wayne, Hangar) na gravação do próximo disco de estúdio do Maestrick, “Espresso Della Vita: Solare”.

Previsto para esse segundo semestre, “Espresso Della Vita: Solare” é a primeira parte de um disco duplo conceitual e traz uma observação da vida humana como se ela fosse uma viagem de trem

“Espresso Della Vita: Solare” será sucessor do aclamado disco de estreia do Maestrick, “Unpuzzle!”, lançado no Brasil em 2011 pela Wikimetal e em 2013 na Europa, EUA e Ásia pela Power Prog Records.

Já em termos de palco, o Maestrick faz o show oficial de lançamento do EP “The Trick Side Of Some Songs” na próxima quinta-feira, dia 04 de Agosto, no Vila Dionisio em São José do Rio Preto/SP. Na mesma noite também apresenta-se a banda norte-americana de heavy prog Sunrunner.

Maestrickcd

Mais Informações:
www.maestrick.com.br
www.facebook.com/maestrick
www.twitter.com/maestrick
www.youtube.com/maestrickofficial

Primator: entrevista com a banda na nova edição da revista Roadie Crew

Primator 2016 1_Low

Poderosa, criativa, técnica e cheia de conteúdo” (Dossiê do Rock); “Transpira autenticidade” (Blog Na Mira); “Mais um álbum para a lista de grandes lançamentos nacionais de 2015” (A Música Continua a Mesma); “Extremamente bem feito!” (Música e Cinema); “Muito bom!” (Arte Metal); “Uma das melhores bandas de Heavy metal que nós escutamos na atualidade” (Resenha do Rock).

Essas foram algumas declarações que a banda paulistana de heavy metal tradicional Primator conquistou na imprensa especializada com seu disco de estreia, “Involution”. O álbum também foi eleito um dos “Melhores Álbuns Nacionais de 2015” pelo Heavynroll, Mundo Metal e Roadie Metal.

Em sua nova edição (#210 – Julho/2016) a revista Roadie Crew, principal publicação impressa brasileira do segmento, publicou uma entrevista com o Primator. Assinada pelo jornalista João Messias Jr., a entrevista foi conduzida com o vocalista Rodrigo Sinopoli que respondeu várias perguntas sobre a ótima repercussão de “Involution”, os importantes shows que a banda realizou em São Paulo, a cena nacional do heavy metal e o mais recente videoclipe da banda, “To Mars”, composição de autoria de Mario Linhares, do Dark Avenger.

A nova edição da Roadie Crew já está à venda em todas as bancas do Brasil.

Para assistir o videoclipe “To Mars” do Primator, acesse: https://youtu.be/cxEa36E3WCY

Entre outras novidades, o Primator já está em fase de pré-produção de seu segundo disco de estúdio que trará o próprio Mario Linhares como produtor.

Mais Informações:
www.bandaprimator.com.br
www.facebook.com/bandaprimator
www.soundcloud.com/bandaprimator
www.twitter.com/primatormetal

Pop Javali: assista vídeo de “A Friend That I’ve Lost”

Pop Javali Low 1

O áudio foi extraído de “Live In Amsterdam”, disco ao vivo gravado na Holanda que o grupo lança em Agosto

Já está tudo pronto para o lançamento de “Live In Amsterdam”, primeiro disco ao vivo do power trio de hard/heavy Pop Javali.

O álbum foi gravado ao vivo no The Waterhole, na capital holandesa, durante show que fez parte da primeira turnê europeia do Pop Javali que aconteceu em Outubro de 2015 e também incluiu outros oito shows pela Inglaterra, Alemanha, Suíça e Itália.

“Live In Amsterdam” foi mixado e masterizado por Andria Busic, do Dr Sin, com quem a banda já havia trabalhado em seu disco anterior de estúdio, “The Game Of Fate”.
“Live In Amsterdam” reunirá o seguinte tracklist: “Road To Nowhere”, “Freemen”, “Lie To Me”, “Time Allowed”, “I Wanna Choose”, “Wrath Of The Soul” e “A Friend That I’ve Lost” que ganhou um vídeo.

Segundo Marcelo Frizzo, baixista e vocalista do Pop Javali, a intenção do vídeo de “A Friend That I’ve Lost” é apresentar uma prévia do álbum e registrar, com imagens, a bem sucedida turnê da banda pelo velho mundo.

“A ideia é mostrar, resumidamente, alguns dos lugares sensacionais por onde passamos durante os 15 dias de turnê pela Europa. Não trata-se de um videoclipe elaborado com grandes efeitos ou recursos técnicos, mas sim um vídeo mais intuitivo que demonstra bem a alegria que a banda viveu”.

O vídeo de “A Friend That I’ve Lost” já está disponível no canal oficial da banda no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=DcgpZfNb58g

“Live In Amsterdam” será lançado em Agosto com distribuição da Voice Music.

Pop Javali - Live In Amsterdam_Low

Mais Informações:
www.popjavali.com.br
www.facebook.com/popjavali
www.twitter.com/popjavali
www.youtube.com/popjavali92
www.soundcloud.com/popjavali

Primator disponibiliza ‘teaser’ de “To Mars”, música de autoria de Mario Linhares do Dark Avenger

Primator 2016 1_LowFilmado numa pedreira desativada no interior paulista, o videoclipe traz cenas noturnas e a banda tocando em meio a muito fogo

“Uma grande descoberta do metal nacional”. Essa frase foi dita pelo experiente e respeitado vocalista Mario Linhares, do Dark Avenger, a respeito da banda paulistana de heavy metal tradicional Primator.

O Primator é, de fato, um legítimo representante da nova geração do metal brasileiro, embora já conte com experiência e respeito conquistados através de seu super elogiado disco de estreia, “Involution”, eleito um do “Melhores Álbuns Nacionais de 2015” em votações realizadas por veículos especializados como Heavynroll, Mundo Metal e Roadie Metal. “Involution” também coleciona dezenas de declarações positivas na imprensa como: “Poderosa, criativa, técnica e cheia de conteúdo” (Dossiê do Rock); “Transpira autenticidade” (Blog Na Mira); “Mais um álbum para a lista de grandes lançamentos nacionais de 2015” (A Música Continua a Mesma); “Extremamente bem feito!” (Música e Cinema); “Muito bom!” (Arte Metal); “Uma das melhores bandas de Heavy metal que nós escutamos na atualidade” (Resenha do Rock).

A amizade já existente entre os músicos do Primator e Mario Linhares ficou ainda mais próxima a partir de abril do ano passado quando Dark Avenger e Primator dividiram o palco em São Paulo. Foi então que tudo expandiu-se para o aspecto profissional: Mario Linhares foi anunciado como produtor do próximo álbum de estúdio do Primator e como “coach” do vocalista Rodrigo Sinopoli.

Mario Linhares ainda presenteou o grupo com uma música de sua autoria intitulada “To Mars”. O músico e produtor esteve em São Paulo trabalhando com os músicos do Primator na gravação dessa composição que será lançada nas próximas semanas como videoclipe.

Produzido por Daniel de Sá, que já trabalhou com o Primator em seus dois videoclipes anteriores, as filmagens de “To Mars” ocorreram na Pedreira do Icatu, em Votorantim/SP, mesma pedreira desativada que foi usada em 2012 para um memorável show do Focus, lenda do rock progressivo mundial.

Todas as cenas foram rodadas durante a noite e trazem uma performance literalmente incendiária dos músicos do Primator.

Um teaser com cenas de bastidores e trechos do videoclipe já está disponível no canal oficial da banda no Youtube:https://youtu.be/8V2-49QDHAw

“Trabalhamos com o Mario Linhares por cinco dias nas gravações de ‘To Mars’ e foi um período de puro aprendizado”, diz o vocalista Rodrigo Sinopoli. “O trabalho de produção de Mario é completo e mexe muito com o lado humano da banda. Nos tirou da zona de conforto e todos podem esperar algo totalmente novo para o próximo álbum, assim como já poderão comprovar em ‘To Mars’. A música conta com backing vocal do próprio Linhares e coro de todos da banda. Algo que ainda não havíamos tentado antes. Em uma só música, utilizamos técnicas e sonoridades que não havíamos sequer testado no nosso disco de estreia”.

Datas de lançamento do videoclipe completo de “To Mars” serão anunciadas em breve. Após o lançamento, Primator e Mario Linhares passam a se concentrar na produção e gravação do segundo e novo álbum de estúdio previsto para ser lançado no segundo semestre de 2016.

Além de Sinopoli, o Primator também é formado por Márcio Dassié e Diego Lima nas guitarras, André dos Anjos no baixo e Lucas Assunção na bateria.

Mais Informações:
www.bandaprimator.com.br
www.facebook.com/bandaprimator
www.soundcloud.com/bandaprimator
www.twitter.com/primatormetal

Siod: revelados título, tracklist e capa do álbum de estreia

Siod_esSIODio_Capa_LowO primeiro single da banda causou impacto ao declarar ódio à cultura nacional

“Esse ódio que eu sinto… Da cultural nacional… O país só se mexe… Depois do fim do carnaval!”

Essas são as estrofes iniciais da música “esSIODio” da banda paulista de metal Siod. A mensagem é simples e direta e não poderia vir num momento mais apropriado: em meio a um possível processo de impeachment, o país assiste de camarote ao maior escândalo de corrupção da história – que pode levar um ex-presidente à cadeia – sob as sombras de uma crise econômica.

Não passa de atitude reacionária quando algumas bandas de rock e metal preocupam-se exclusivamente em agradar o público e fazer sucesso.

Na contramão desse comportamento, a banda Siod foi formada em Avaré/SP no ano de 2013 e traz enraizada, tanto em suas letras como músicas, o espírito questionador e confrontador originários do rock.

“esSIODio” será o título do álbum de estreia que o Siod lança ainda no primeiro semestre de 2016. O disco foi gravado em Avaré no estúdio Ódioground Produções (D.I.E., Devil’s Punch, Ratazana) sob produção dos próprios integrantes da Siod, o vocalista e guitarrista Umberto Buldrini e o baixista Fabiano Gil.

“esSIODio” reunirá as faixas “Maldade”, “Traumatismo Moral”, “esSIODio”, “Paranóia”, “Coragem Amigo”, “Buraco da Fé”, “Não tira Não!” e “Cercado de Vermes”. A capa de “esSIODio” foi desenhada por Vinícius Quesada.

Tão cínicos quanto a letra, o Siod lançou em fevereiro, justamente “no fim do carnaval”, um lyric vídeo da faixa título “esSIODio”.

O vídeo já está disponível no canal oficial da banda no Youtube: https://youtu.be/R76NW5qdERg

“Não odiamos nossa pátria ou nosso povo. Nosso ódio é contra essa sociedade que esquece os problemas (corrupção, doenças, falta de médicos, doutrinas exacerbadas) em datas festivas, como se nada tivesse acontecendo, e vive num mundo paralelo, levando suas atitudes a contribuírem com o regresso.”

Esse é o recado mandado por Umberto Buldrini e que resume bem o objetivo do Siod: tocar metal alto e dizer aquilo que as pessoas não querem ouvir!

Mais Informações:
www.facebook.com/siodbr
www.soundcloud.com/siod
www.twitter.com/esSIODio
www.facebook.com/odioground

Considerado um dos melhores trabalhos de thrashcore do Brasil, “Opressor”, do Uganga, ganha versão em vinil

Uganga_Opressor_Vinil_LowLançado em 2014, o álbum recebeu citações na imprensa como “Bombástico”, “Avassalador” e “Elite do Thrashcore nacional”

Uma banda sabe que está se tornando grande quando as coisas começam a acontecer num ritmo acelerado em sua carreira. Com os mineiros do Uganga tem sido assim há algum tempo.

Depois do show que fizeram em Curitiba ao lado do Exodus, onde tiveram um sensacional retorno não só da plateia mas também dos próprios integrantes do Exodus, o baixista Raphael “Ras” Franco foi convidado para ser entrevistado pela Bass Player Brasil, a mais importante revista voltada para o contrabaixo no mundo! Se não bastasse estampar as páginas de tão respeitada publicação, a matéria foi destaque na capa da edição de fevereiro, que traz o saudoso mestre Lemmy Kilmister como matéria principal.

A matéria de destaque na Bass Player é uma extensão da excelente recepção da mídia para o novo álbum do Uganga, “Opressor”. O trabalho tem arrancado declarações como: “Melhor trabalho não somente da banda, mas do gênero no Brasil” (Outro Indie);  “Elite do Thrashcore nacional” (Som Extremo); “Merece estar cada vez mais no topo do metal nacional” (Mondo Metal); “Bombástico” (Revista Roadie Crew); “Avassalador” (Musikkaos); “Thrashcore de altíssima qualidade” (Delfos). “Opressor” também foi eleito “Melhor Álbum Nacional de Rock de 2014” em votação realizada entre os leitores do blog Heavynroll.

Embora adjetivos e elogios façam bem para uma banda independente que sempre é posta a superar desafios, é fato que não são suficientes para mantê-la ativa. Afortunadamente, o Uganga já se encontra numa posição financeira bem confortável no mercado da música pesada nacional. Fato é que a Sapólio Rádio, sua gravadora, atendendo a demanda dos fãs, decidiu disponibilizar no mercado uma edição em vinil de “Opressor”.

Impresso na cor verde, a edição em vinil de “Opressor” traz encarte com todas as letras das músicas e, o melhor: a expressiva arte da capa em tamanho grande!

“A estrada da música underground não é uma Autobahn onde se guia a 200 km por hora”, brinca o vocalista do Uganga, Manu Joker. “É cheia de buracos, barreiras, desvios, mas nos leva a lugares incríveis! Seria algo muito distante imaginar um vinil do Uganga quando a banda foi criada, em 1993, em plena febre do CD. Vinte anos depois cá estamos vendo nosso quinto álbum (quarto de estúdio) saindo nesse formato pela Sapólio Rádio. Termos a arte da capa no tamanho certo e as músicas divididas nos lados A e B não tem preço!”

A Incêndio, marca de roupas que patrocina os integrantes do Uganga, começa a vender as cópias em vinil de “Opressor” a partir desta quinta-feira, dia 17 de Março, com preço promocional de R$ 50,00. Um combo incluindo o vinil, camiseta do Uganga e outros brindes pode ser adquirido pelo valor de R$ 80,00. Esses valores promocionais de lançamento estarão disponíveis até o dia 20. Os fãs podem comprar diretamente pelo site da marca e o envio é feito para todo Brasil:

http://www.incendioshop.com.br/uganga-ct-c44d4

Mais informações:
www.uganga.com.br
www.twitter.com/uganga
www.youtube.com/ugangamg
www.facebook.com/ugangaband
www.sapolioradio.com.br

Heavy Load: Novo evento voltado ao heavy metal estreia neste domingo no Asteroid em Sorocaba

Heavy Load 1_LowHigher, Lethal Accords e Manowarriors estão entre as atrações da primeira edição

O cenário heavy metal da região metropolitana de Sorocaba ganha mais um espaço a partir deste domingo, dia 06 de março. É o “Heavy Load”, novo evento do Asteroid, em Soprocaba/SP, que promete reunir o melhor do metal clássico e contemporâneo através de shows que mesclam bandas cover e autorais, tendo sempre um grupo da região. Além das apresentações ao vivo, discotecagens especiais prometem animar os metalheads presentes durante os intervalos das apresentações.

Três bandas estão escalas para a primeira edição do Heavy Load deste domingo.

De Campinas vem a Manowarriors, nova banda cover do Manowar capitaneada por Roger Hammer, ex-vocalista do Hellish War. O grupo é considerado um dos melhores covers dos “Reis do Metal” do Brasil e, em seu repertório, trazem todos os grandes clássicos da banda como “Battle Hymns”, “Kill With Power”, “Gloves Of Metal”, “Spirit Horse of Cherokee”, “Metal Daze”, “Thor” (The Powerhead), “Kings Of Metal”, além dos hinos de guerra mais recentes como “Brothers Of Metal”, “The Gods Made Heavy Metal”, “Call To Arms”, entre muitos outros. É show para levar os pulsos ao ar e bater cabeça em reverência aos deuses do metal.

Também de Campinas vem o Higher, banda autoral de metal de vanguarda considerada uma das grandes sensações do atual cenário nacional.

Lançado em 2014, o disco de estreia autointitulado do Higher recebeu calorosas declarações na imprensa especializada: “Nove canções perfeitas” (Metal Samsara); “Surpreendente” (Portal Reidjou); “Som único” (Galeria Musical); “Pesado e criativo, difícil de rotular” (A Música Continua A Mesma); “Indispensável” (Metal Revolution). O mesmo trabalho também entrou para a lista de Melhores do Ano de diversos jornalistas e críticos respeitados. Na eleição realizada entre os leitores do site Heavynroll, Cezar Girardi foi considerado o segundo “Melhor Vocalista de Metal do Brasil” e Gustavo Scaranelo o terceiro “Melhor Guitarrista”.

O resultado dessa recepção pra lá de positiva que o Higher vem conquistando com seu primeiro álbum está diretamente alinhada à qualidade e originalidade do trabalho, o que, alguns, atribuem ao fato da banda ter sido formada por músicos profissionais que tocam jazz e música instrumental brasileira, mas que nunca abandonaram seu amor pelo heavy metal. Nesta primeira apresentação da banda em Sorocaba (eles já se apresentaram no evento Palco Livre em Votorantim/SP, cidade vizinha), todas as músicas do disco do estreia e novidades que estarão no próximo trabalho que já está sendo gravado.

Por fim, a Lethal Accords é a representante de Sorocaba nessa primeira edição do “Heavy Load”.

O Lethal Accords foi formado em 2010 e toca Metal Clássico/Melódico. A banda já é bastante conhecida do público da região e traz em seu repertório músicas que estarão em seu álbum de estreia a ser lançado em breve, como “Innocence”, “Empire Souls”, “I Had A Dream” e “Bring Me Back Again”, além de versões que costumam fazer para clássicos do Iron Maiden, Stratovarius, Avantasia, Helloween, entre outros.

O Lethal Accords é formado por Ricardo Gabriel “Kadu” (baixo), Marcos Medina (teclados), Thyago Viotto (bateria), William Rios Antunes (guitarras), Rodrigo Defacio (vocais) e Kenji Yamazaki (guitarras).

Além das apresentações de Manowarriors, Higher e Lethal Accords, uma discotecagem especial com o melhor do thrash metal lançado nos Estados Unidos durante a década de 80 pretende trazer para a pista do Asteroid clássicos de bandas como Metallica, Megadeth, Slayer, Anthrax, Exodus, Testament, Overkill, Forbidden, Flotsam And Jetsam, Death Angel, Nuclear Assault, Sacred Reich, Vio-Lence, Heathen, Whiplash, Dark Angel, entre outros para incendiar o mosh-pit.

O Heavy Load está programado para iniciar às 18:00 e terminar às 23:00. A entrada custa R$ 15,00.

Serviço:
Heavy Load #1 com Manowarriors (Manowar Cover), Higher e Lethal Accords
Data: Domingo, 06 de Março de 2016
Horário: 18:00 às 23:00
Local: Asteroid – Rua Aparecida, 737 – Sorocaba/SP
Ingressos: R$ 15,00 (à venda apenas no local na hora do show)
Censura: Somente maiores de 18 anos. É obrigatória a apresentação de RG, ou documento legal com foto, independente de cadastro ou maioridade. Menores de idade, somente acompanhado de pai, mãe ou responsável legal

Outras Informações: A casa conta com banheiro para cadeirante e amplo espaço externo. Aceita os cartões Visa, Mastercard, Dinners, Amex, entre outros.

Evento No Facebook: https://www.facebook.com/events/1768136646747487/?hc_location=ufi

Mais Informações:
Manowarriors: www.facebook.com/manowarriorsmetal
Higher: www.higherband.com
www.facebook.com/highermetal
www.soundclound.com/highermetal
www.twitter.com/highermetal
www.youtube.com/highermetalband
Lethal Accords: www.facebook.com/LethalAccords
Asteroid: www.facebook.com/AsteroidBar
www.asteroid.art.br

Higher inicia gravações de novo álbum

Higher_Low1

O novo trabalho será sucessor do disco de estreia que recebeu declarações como “Surpreendente” e “Som Único” na imprensa nacional

“Nove canções perfeitas” (Metal Samsara);  “Surpreendente” (Portal Reidjou); “Som único” (Galeria Musical); “Pesado e criativo, difícil de rotular” (A Música Continua A Mesma); “Indispensável” (Metal Revolution). Essas são algumas declarações que a banda de metal Higher recebeu da imprensa com seu disco de estreia autointitulado.

O resultado para um primeiro álbum não poderia mesmo ter sido melhor. Mas o momento de comemoração já passou e é chegado a hora do Higher voltar aos estúdios.

Cezar Girardi (vocal), Gustavo Scaranelo (guitarra), Felipe Hervoso (guitarra), Will Costa (baixo) e Pedro Rezende (bateria) já trabalham nas gravações do segundo disco que ainda não tem título definido, mas que trará um tema central conectando todas as composições.

De acordo com o guitarrista e principal compositor, Gustavo Scaranelo, o primeiro álbum serviu como ponto de partida para o desenvolvimento de uma personalidade musical que o Higher naturalmente vem estabelecer com seu novo trabalho.

“Quando começamos o primeiro disco não sabíamos exatamente para onde estávamos indo”, revela o músico. “O Higher estava à sombra do um projeto anterior, de 20 anos atrás, e isso não nos deixou perceber o que o Higher de fato viria a ser, até que lançamos o disco e experimentamos todo esse carinho do público e da mídia. Estamos muito empolgados com a gravação do segundo disco, o Higher tem uma alma agora, está tomando corpo e evoluindo, podemos sentir isso nas novas composições. Novas texturas estão se misturando às já experimentadas e estamos muito empolgados com os resultados.”

A criatividade e o ineditismo da musicalidade do Higher foram os aspectos mais elogiados pelos jornalistas com relação ao álbum de estreia. Ainda de acordo com Gustavo, evitar o senso comum não é algo sistematicamente planejado durante o processo de composição da banda, mas sim algo natural que reflete a formação dos músicos.

“Acredito que as influências que temos de outros gêneros, como o jazz e a música brasileira, no meu caso, são tão enraizadas que não me permitiriam trabalhar as composições e os arranjos sem que isso tudo aparecesse de alguma forma. Em nenhum momento até agora pensamos em misturar elementos de outros gêneros ao metal do Higher, mas eles aparecem inevitavelmente, porém, não como inserções isoladas dessas influências, mas no todo, como uma linha condutora do processo de criação do grupo. Acho que minhas composições em outros gêneros (instrumentais, por exemplo) também trazem influência do metal, mas, mais uma vez, não necessariamente perceptíveis”.

De forma a concluir o período de promoção do álbum de estreia, o Higher lançou no fim do ano passado – com exclusividade pelo site canadense Bravewords, um dos mais importantes e respeitados do cenário mundial do heavy metal – um videoclipe para a música “Break The Wall”.  O vídeo está disponível no canal oficial da banda no Youtube (para assistir, acesse: https://youtu.be/r0il0gnNuTQ) e agora também entrará para a programação do programa Stay Heavy a partir da edição dessa semana. Para detalhes sobre horários e canais ao redor do país que transmitem o Stay Heavy, basta acessar o site oficial do programa: www.stayheavy.com.

Já em termos de palco, o Higher tem duas apresentações agendadas. No próximo dia 06 de Março o grupo será uma das atrações do evento “Heavy Load” do Asteroid em Sorocaba/SP. Já no dia 15 de Maio a banda se apresenta em Campinas/SP no Sebastian Bar.

Mais Informações:
www.higherband.com
www.facebook.com/highermetal
www.soundclound.com/highermetal
www.twitter.com/highermetal
www.youtube.com/highermetalband