LED ZEPAGAIN PROMOVE UM ESPETÁCULO EM UM TRIBUTO AO LED ZEPPELIN NO TEATRO BRADESCO

Por Thiago Tavares

Divulgação

Na última terça-feira, dia 18 de Junho, paira uma certa dúvida da pessoa que vos escreve: acompanhar um show para cobertura ao Ponto Zero ou acompanhar Brasil e Venezuela pela Copa América? É claro que Copa América não é uma competição que ganha visibilidade em proporção a Copa do Mundo, mas também não poderia descartar a possibilidade de cobrir um show que uma vez que recebemos o material de imprensa já pensei com meus botões: “Isso será interessante! Por onde passou, sempre aclamado, galera gostando do que está vendo…”. Mediante ao desempenho desfavorável de nossa seleção (com s minúsculo em proporção a bola que está jogando), fui ao teatro para conferir um dos tributos ao Led Zeppelin mais conhecidos no mundo e que voltou a capital paulistana mostrando para o que veio.

A banda norte-americana Led Zepagain, formada em 1989, formada por pelo vocalista Swan Montgomery (como Robert Plant), pelo guitarrista Anthony Thymiakos (como Jimmy Page), pelo baixista/tecladista Jim Wootten (como John Paul Jones) e pelo baterista Derek Smith (no papel do lendário John Bonham, falecido em 1980) tem um currículo de banda grande, em proporção ao reconhecimento do trabalho que fazem, tamanho o realismo que se vê no show. Isso é demonstrado nos prêmios conquistados em em 2002 e 2005 com o prêmio de melhor banda tributo da Rock City News Award, onde fora isso, já possui mais de um milhão de downloads realizados no iTunes.  

Já circulando pelo Shopping Bourbon, onde o Teatro Bradesco fica localizado, era possível observar os primeiros fãs do Led esperando as portas do local se abrirem para tomarem seus lugares. Eram homens, mulheres de diversas idades e até crianças, que com certeza, seus respectivos pais influenciaram muito bem a iniciar a ouvir rock.

Devidamente credenciado, adentrei ao teatro, e a cada dia que adentro, me surpreendo com o local, a arquitetura. Um lugar bem bacana para receber espetáculos e musicais de grande porte. E com certeza, estava prestes em ver não só um show, mas sim um espetáculo digno de Led Zeppelin.

Começando pontualmente as 21:00, a banda já começa com um clássico de 1971: Rock and Roll. A partir dessa música, já era possível perceber como seria a postura da banda e a proposta de como iriam levar o espetáculo ao público presente.

E pasmem: os caras chegaram derrubando a porta. Uma sonoridade que lembra de forma exata no que foi gravado no ano em questão. É claro que não poderia passar batido as roupas usadas pelos integrantes da banda, onde praticamente estavam vestidos a caráter, lembrando os anos 70 com camisas no estilo floral, calças no estilo boca de sino e sapatos que lembravam o estilo social com um salto discreto.

Sobre o vocal, o público não sabia se quem estava no palco era Swan Montgomery ou o lendário Robert Plant. Ele consegue incorporar o vocalista com uma facilidade fora do comum em todos os aspectos mesmo: em técnica vocal, vestimenta, até mesmo na presença de palco com as dancinhas da época. Enfim, pairava a dúvida ao mesmo tempo que apresentava uma adrenalina no show que empolgava a todos.

Divulgação

Agora a cozinha, senhoras e senhores do Brasil é um show a parte: imagine uma cozinha sincronizada e que colocou o show no bolso. Pois bem, Anthony Thymiakos, Jim Wootten e Derek Smith não tiveram trabalho a reproduzir um set de quase duas horas de espetáculo, onde a banda passeou literalmente na discografia da banda executando os grandes sucessos.

É uma pena que desta vez, com a tour teve uma passagem por São Paulo, entretanto, o show passou por seis localidades no Brasil. Além de São Paulo, os fãs do Led Zeppelin contemplados foram Porto Alegre, Goiânia, Belo Horizonte, Florianópolis, Curitiba e Rio de Janeiro.

Espero que muito em breve voltem para São Paulo pois o show sem sombra de dúvidas é impecável em todos os sentidos. Impecável ao ponto de esquecer Brasil e Venezuela. Aliás, eles compensaram muito bem com o espetáculo. Agora com a seleção brasileira…só basta lamentar.

Em nome do Ponto Zero, agradecemos ao Costábile Salzano Jr da THE ULTIMATE MUSIC – PR pelo credenciamento ao show.

SHOW LED ZEPAGAIN – TEATRO BRADESCO – SÃO PAULO – 18 DE JUNHO DE 2019

Rock and Roll

Good Times Bad Times

Ramble On

Black Dog

No Quarter

Misty Mountain Hop

Since I’ve Been Loving You

Over the Hills and Far Away

The Wanton Song

The Ocean

Stairway to Heaven

Moby Dick

Immigrant Song

Heartbreaker

Kashmir

Whole Lotta Love

How Many More Times

What Is and What Should Never Be

Bring It On Home

Communication Breakdown

Nobody’s Fault but Mine

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Navigation