Tag Archives: Deep Purple

Em tom nostalgico, Monsters of Rock coloca 55 mil pessoas no Allianz Parque

Por Thiago Tavares
Fotos: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

O Monsters Of Rock sem sombra de dúvidas é um dos festivais mais agitados para os fãs do Rock e do Metal no Brasil. Desde 1994, ano de sua primeira edição, conquistou a admiração e respeito por todos, trazendo grandes lendas do cenário musical como Megadeth, Black Sabbath, Iron Maiden, entre outros. E quem esteve na primeira edição em 94 no Estádio do Pacaembu, sentiu a nostalgia ao pisar no Allianz Parque, ainda mais que o festival passou por um hiato de oito anos abolindo o formato anterior de dois dias de apresentações.

Este ano, o set foi 100% gringo: Kiss, Scorpions, Deep Purple, Helloween, Candlemass (em substituição ao Saxon), Symphony X e Doro foram os responsáveis em animar a multidão que compareceu e tomou o Allianz Parque em um público estimado em 55 mil pessoas.

No que se pode dizer perante a organização e estrutura é meio que batido no que se diz respeito ao Allianz Parque. Uma vez que a estrutura foi construída com o devido propósito de receber eventos de grande porte e não só eventos esportivos, a organização não teve trabalho em manter o festival em devido funcionamento e ordem. E claro, para um evento de grande magnitude, irão ter alguns problemas no meio do caminho como filas nos banheiros, nas lanchonetes e bares, mas nada que atrapalhasse a diversão de todos. Aqui deve-se destacar com a devida honra o trabalho do pessoal da limpeza, os caixa itinerantes e dos organizadores de fluxo que não deixaram a peteca cair e sempre estavam à disposição em ajudar e orientar os espectadores em obterem a melhor experiência em tudo.

Outro ponto a se observar foram as estruturas do palco. Uma vez que entrei um pouco antes da primeira atração, pude observar com detalhes o tamanho da brincadeira, com destaque aos amplificadores e telões laterais enormes e já imaginando o que iriam proporcionar para mais tarde, fazendo que realmente quem estivesse presente, independentemente de onde estava (na pista comum ou nas arquibancadas) tivesse uma vivência fora do comum.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

Quem iniciou os trabalhos da sétima edição do Monsters Of Rock foi a rainha do metal Doro Pesch, onde pela sua quarta passagem pelo Brasil desembarcou com sua banda de apoio, formado pelo guitarrista brasileiro Bill Hudson, Johnny Dee na bateria, Bas Maas na segunda guitarra e o baixista Stefan Herkenhoff. A apresentação começou pontualmente as 11:30 com um público ainda tímido e com um tempo bastante agradável.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

Em alguns momentos, ela arrancou coros da galera, sob olhares de satisfação dos músicos, sendo um verdadeiro termômetro de que desempenharam um ótimo papel no palco e que também foi satisfatório ao público presente.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

I Rule the Ruins (Warlock)

Earthshaker Rock (Warlock)

Burning the Witches (Warlock)

Fight for Rock (Warlock)

Raise Your Fist in the Air (Doro)

Metal Racer (Warlock)

Hellbound (Warlock)

Revenge (Doro)

All We Are (Warlock)

All for Metal (Doro)

A seguir, entra o metal progressivo marcando presença no Monsters, desta vez com o Symphony X como a segunda atração, banda esta que também há uma lacuna de tempo que não vinha ao Brasil: julho de 2022 para ser mais preciso, quando teve uma passagem pela América Latina, com quatro shows no Brasil. Como não tinham um trabalho mais recente a ser divulgado (o último lançado em 2015 com o álbum Underworld), o grupo fez um mix de sucessos visando os álbuns lançados entre 1996 e 2015.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

Mas nem tudo foram flores na apresentação da banda onde problemas técnicos prejudicaram de forma considerável. Ao longo da apresentação, a guitarra de Michael Romeo apresentava um certo ruido (embolada) e chiados da reprodução de alguma base foram percebidos e estas falhas não foram sanadas durante a performance. Fora isso, uma falha no retorno em “Set the World on Fire” deixou Russell Allen bem irritado, ao ponto de pegar o pedestal e atirar para o fundo do palco.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

O resultado da saga: O público não abraçou o show deles e era perceptível quando se via a galera bem pra baixo ou até mesmo dispersa circulando pela pista ou transitando para outros locais, para poder se alimentar ou ir ao banheiro. Era tão perceptível isso que em alguns momentos Russell questionou se a galera estava “acordada” e em outro momento, com uma ironia: “Onde fumo um desses para ficar tão animado quanto vocês?”

Nevermore

Serpent’s Kiss

Sea of Lies

Without You

Kiss of Fire

Run With the Devil

Set the World on Fire (The Lie of Lies)

O Candlemass teve uma missão difícil no Monsters of Rock, já que a substituição dos lendários britânicos do Saxon não foi bem recebida nas redes sociais do festival. O som pesado e arrastado da banda parecia deslocado em um evento com atrações principais como Kiss e Scorpions. No entanto, o Candlemass não é uma banda iniciante e conseguiu superar as expectativas.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

Para começar o show, o sistema de som tocou “Marche Funebre”, tema de Chopin que é tradicionalmente utilizado como abertura nos shows da banda. O baixista e principal compositor, Leif Edling, foi o primeiro a subir ao palco e colocou os óculos, aparentando espanto com a quantidade de gente presente. A banda iniciou o show com “Mirror Mirror”, faixa de abertura de “Ancient Dreams”, seguida de “Bewitched”, com seu riff arrastado que manteve a empolgação do público.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

Apesar de dois discos bem recebidos desde a entrada de Johan Längqvist nos vocais em 2018, a banda se focou em seus dois primeiros álbuns. Längqvist interpretou com maestria as faixas de “Epicus Doomicus Metallicus”, gravadas originalmente com ele como contratado sem se apresentar ao vivo com a banda. Lars Johansson não pode comparecer e foi substituído por Fredrik Åkesson, atual membro do Opeth.

A boa resposta do público veio com força em “A Sorcerer’s Pledge”, música do disco de estreia da banda, que terminou com a banda estendendo sua melodia final para os coros dos presentes. A apresentação dos suecos foi encerrada com “Solitude”, recebendo aprovação geral dos presentes.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

Ao final da apresentação, o público aplaudiu de pé o Candlemass, que mostrou que o doom metal ainda tem muito a oferecer nos dias de hoje. Com sua técnica apurada, suas melodias envolventes e sua presença de palco imponente, a banda sueca conquistou novos fãs e deixou os antigos ainda mais apaixonados por sua música. Certamente, um presente para quem teve a oportunidade de assistir ao show.

Mirror Mirror

Bewitched

Under the Oak

Dark Are the Veils of Death

Crystal Ball

The Well of Souls

A Sorcerer’s Pledge

Solitude

Assistir ao show do Helloween no Allianz Parque e pode-se dizer que não há experiência mais divertida no heavy metal atual do que essa. O clima entre os guardiões das sete chaves, desde 2016 como um septeto em função das voltas de Michael Kiske (voz) e Kai Hansen (guitarra e voz), é muito bom e isso é transmitido ao público de forma natural.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

Durante a apresentação, um problema com a cortina, que deveria cair no primeiro segundo da música de abertura, “Dr. Stein”, ocorreu, mas nem mesmo isso deixou o grupo completo mal-humorado. Levou apenas um minuto até que o tecido fosse removido e a canção rolou normalmente, com os integrantes ocupando as beiradas do palco que não estavam tampadas. Com o Helloween, até um contratempo vira diversão.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

O público ficou bastante entusiasmado com a execução de “Eagle Fly Free”, tocada logo após “Dr. Stein”, que foi cantada por vários presentes junto com Kiske, que continua um gigantesco vocalista – talvez até melhor do que na juventude. “Power”, com Deris, também fez a galera vibrar e entoar o fraseado de guitarra na base do “ôôô”.

Devido ao tempo reduzido de show (55 minutos aproximadamente), o medley de “Walls of Jericho” (1985) com Kai Hansen no vocal foi reduzido a apenas “Ride the Sky” e “Heavy Metal (Is the Law)”, o que foi um acerto. Apesar disso, emplacar duas baladas em sequência – “Forever and One (Neverland)” e “If I Could Fly” – esfriou um pouco o público. A primeira foi bem-vinda, especialmente pelos entrosados vocais combinados de Michael Kiske e Andi Deris; a segunda, nem tanto.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

A representante solitária do recente álbum homônimo de 2021, “Best Time”, também foi a única a trazer vocais de Kiske, Deris e Hansen – ainda que este último mais fale do que cante por aqui. O encerramento em alto nível com “Future World” e “I Want Out” reforçou o caráter celebrativo da reunião do Helloween. Na última, a vibe era tão festiva que foram atirados ao público diversos balões alaranjados, ilustrados com a abóbora do clássico logo.

Dr. Stein

Eagle Fly Free

Power

Ride the Sky / Heavy Metal (Is the Law)

Forever and One (Neverland)

If I Could Fly

Best Time

Future World I Want Out

Já o show do Deep Purple no Allianz Parque, em São Paulo, foi uma verdadeira celebração à história da banda. Com integrantes como Ian Gillan e Roger Glover, ambos com 77 anos, e outros dois com 74, Ian Paice e Don Airey, o público presente teve a oportunidade de testemunhar a entrega de uma performance honesta e sem artifícios.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

Os músicos apresentaram um setlist que valorizou as capacidades físicas dos integrantes mais velhos, mas sem deixar de lado a injeção de peso oferecida pelo guitarrista Simon McBride, de 44 anos. McBride, que é o substituto de Steve Morse, impressionou a plateia com sua bela interpretação das linhas de Ritchie Blackmore, o ex-guitarrista da banda.

O show teve altos e baixos, mas ganhou destaque com músicas como “Highway Star”, “Lazy” e “When a Blind Man Cries”. O público também se animou com o solo de teclado de Don Airey, que incluiu trechos de “Mr. Crowley”, de Ozzy Osbourne, além de clássicos da música brasileira.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

A parte final do show foi marcada por “Space Truckin'” e “Smoke on the Water”, que encerraram a parte regular do set e antecederam o primeiro bis do evento. O quinteto retornou ao palco para tocar “Hush” e “Black Night”, tendo um solo de baixo acompanhado por bateria entre elas. Na canção final, o público se dispôs a cantar os riffs em coro e interagir com solos de Simon McBride.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

O show do Deep Purple não foi um típico festival a céu aberto, mas sim uma apresentação intimista e contemplativa, que funcionou muito bem para aquele fim de tarde no Allianz Parque. De qualquer forma, a banda entregou uma performance emocionante e verdadeira, que certamente ficará na memória dos fãs brasileiros por muito tempo.

Highway Star

Pictures of Home

No Need to Shout

Uncommon Man

Lazy

When a Blind Man Cries

Anya

Perfect Strangers

Space Truckin’

Smoke on the Water

Hush Black Night

Quase 45 minutos de intervalo se passaram com filas enormes nos banheiros e bares lotados, mas finalmente as luzes se apagaram e os veteranos do Scorpions subiram ao palco, sem frescuras ou atrasos, para começar o show com “Gas in the Tank”, a faixa de abertura de seu último disco lançado em 2022, intitulado “Rock Believer”.

Apesar de já terem feito nove apresentações em São Paulo, o Scorpions não decepcionou o público e entregou um show emocionante, mesclando algumas músicas do último álbum com hits dos anos 80, ignorando a fase setentista da banda. Isso não foi um problema, já que o público não estava lá para ser surpreendido, mas sim para cantar e se divertir com as músicas que já conheciam.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

O desempenho da banda foi incrível, com destaque para a vitalidade e o peso da performance do baterista sueco Mikkey Dee, que se juntou ao grupo após anos tocando com Lemmy Kilmister no Motörhead. Logo de início, a banda tocou “Make it Real” e “The Zoo”, duas faixas do álbum “Animal Magnetism” de 1980, mostrando que estavam ali para arrasar.

Durante a apresentação, a banda fez três pausas instrumentais, fundamentais para que o vocalista Klaus Meine, que já tem 74 anos de idade e histórico de problemas de saúde, pudesse descansar a voz. Meine se esforçou bastante e conseguiu atingir as notas agudas de sua voz, sem decepcionar o público. Rudolf Schenker também deu um show à parte, percorrendo o palco com muita energia, mesmo com seus 74 anos.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

As músicas do último disco não receberam a mesma reação do público que os grandes sucessos da banda, como “Bad Boys Running Wild” e “Still Loving You”, que fizeram a plateia cantar em coro e acender as lanternas dos celulares. “Delicate Dance”, uma música instrumental repleta de solos de guitarra de Matthias Jabs, também foi um momento emocionante do show.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

Ao final, a banda fechou a apresentação com “Rock You Like a Hurricane”, levando o público ao delírio. Não houve grandes surpresas, mas o show do Scorpions foi emocionante e deixou o público com um gostinho de quero mais. E, se a fila enorme para os banheiros após o show foi alguma indicação, o público não quis perder um minuto dessa experiência incrível.

Gas in the Tank

Make It Real

The Zoo

Coast to Coast

Seventh Sun

Peacemaker

Bad Boys Running Wild

Delicate Dance

Send me an Angel

Wind of Change

Tease Me Please Me

Rock Believer

New Vision

Black Out

Big City Nights

Still Loving You

Rock You Like a Huricane

O show do Kiss no Allianz Parque em São Paulo foi quente e eletrizante. A banda fez uma apresentação inesquecível, levando o público ao delírio com suas músicas clássicas. Mesmo com o frio da noite de outono, a multidão aqueceu a pista com a energia emanada do palco. A banda executou sucessos como “Shout it out Loud” e “Deuce” no início do show, mantendo a empolgação da plateia. Com a execução de “I Love it Loud”, os membros da banda promoveram um verdadeiro show pirotécnico, com Gene Simmons cuspindo fogo no palco.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

A plateia era composta por jovens e adultos, com muitos pais levando seus filhos para assistir ao show da banda icônica dos anos 70. A apresentação do Kiss também contou com Tommy Thayer, que se juntou à banda há mais de vinte anos, fazendo um solo de guitarra e animando a multidão com fogos de artifício.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

Apesar de ter sido um festival, o cansaço já era visível em alguns fãs, que estavam presentes no local havia horas. A música “Say Yes” teve uma reação morna da plateia, enquanto “Cold Gin” pareceu um lado B obscuro. Mas, “Calling Dr. Love”, do álbum “Rock and Roll Over”, restabeleceu a ordem e a empolgação da multidão. O público cantou junto com a banda a clássica “God of Thunder”, tornando o momento o mais marcante e satânico da noite.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

O bis do show teve “Love Gun” e “I Was Made For Lovin’ You”, que fizeram a multidão dançar e cantar junto. A apresentação terminou com a música “Black Diamond”, sob a voz de Eric Singer, e a banda se retirou do palco. Foi um show inesquecível para os fãs de todas as idades, uma noite quente e repleta de clássicos do rock. O Kiss realmente mostrou por que é conhecido como a banda mais quente do mundo.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

Detroit Rock City

Shout It Out Loud

Deuce

War Machine

Heaven’s on Fire

I Love It Loud

Say Yeah

Cold Gin

Lick It Up

Makin’ Love

Calling Dr. Love

Psycho Circus

100,000 Years

God of Thunder

Love Gun

I Was Made for Lovin’ You

Black Diamond

Beth

Do You Love Me

Rock and Roll All Nite

Em nome do Ponto Zero, agradecemos a Mercury Concerts e a Simone Catto da Catto Comunicação pelo fornecimento da credencial para esta cobertura que certamente não sairá da minha cabeça por muito tempo.


Glenn Hughes: ‘Burn’ (Deep Purple) na íntegra no show em Belo Horizonte

Solid Music e Caveira Velha Produções promovem show do dia 5 de novembro em Belo Horizonte (MG)

Glenn Hughes, que segue excursionando pelo mundo celebrando sua obra no Deep Purple, voltará ao Brasil na turnê em que apresenta o álbum “Burn” (1974) na íntegra, além de outros sucessos de sua passagem pela banda inglesa, que rendeu ainda os álbuns “Stormbringer” (1974) e “Come Taste the Band” (1975)”. Solid Music e Caveira Velha Produções promovem o show do dia 5 de novembro em Belo Horizonte (MG); os ingressos antecipados estão á venda pelo Clube do Ingresso. “Estou muito feliz em retornar à América Latina. É sempre incrível me apresentar pra vocês e eu mal posso esperar pra ver os sorrisos e rostos emocionados novamente. Estou trabalhando com um time incrível e é seguro dizer que será uma turnê incrível!”, comentou Glenn Hughes.

Se existem alguns sinônimos para o que se convencionou chamar de Classic Rock, a música “Burn” é um bom exemplo. A faixa-título do álbum, gravado pelo Purple em 1973 em Montreaux (SUI), é um dos destaques do repertório, ao lado de outras composições marcantes, como “Mistreated”, “Might Just Take Your Life”, “You Fool No One”, “Lay Down, Stay Down”, além de “Sail Away”, “What’s Goin’ On Here” e a instrumental “‘A’ 200”.

O chamado The Voice of Rock, que nasceu em 21 de agosto de 1951, em Cannock (ING), teve início na música tocando trombone na orquestra da escola, passou para a guitarra, mas se tornou baixista e vocalista. Em 1973, após passar por bandas menores e pelo Trapeze, com o qual gravou “Trapeze” (1970), “Medusa” (1970) e “You Are the Music… We’re Just the Band” (1972), recebeu o convite do guitarrista Ritchie Blackmore e do baterista Ian Paice para substituir o baixista Roger Glover no Deep Purple. Porém, acabou também dividindo o posto de vocalista ao lado de David Coverdale, que substituiu Ian Gillan na banda.

“Se eu gosto de cantar e tocar baixo mundo afora? Isso é minha vida, amo o que faço. Minha vida é se apresentar ao vivo, sou um dos músicos que menos recusa um convite para subir ao palco”, disse Hughes certa vez à revista Roadie Crew.

O fim do grupo, em 1976, levou Hughes a uma carreira solo que começou no ano seguinte, com o funkeado “Play Me Out”, e só foi retomada em 1992, com “Blues”, que marcou a volta do vocalista, baixista, músico e compositor totalmente livre do vício nas drogas – especialmente cocaína – que o consumiu nos anos 70 e 80. Um vício que abreviou a passagem de Hughes pelo Black Sabbath de Tony Iommi, entre 1985 e 1986.

Prolífico, principalmente nas últimas três décadas, Hughes colocou a sua voz especial num sem-número de álbuns ao longo de 50 anos de carreira, incluindo também trabalhos com Pat Thrall, Black Country Communion, California Breed, Joe Lynn Turner, John Norum, Gary Moore, Richie Kotzen, Voodoo Hill, Phenomena e muitos, muitos outros. Um privilégio para todos nós.

Serviço – Glenn Hughes em BH:
Data: 5 de novembro (domingo)
Local: Mr. Rock
Endereço: Av. Teresa Cristina, 295 – Prado, Belo Horizonte/MG
Ingressos online em https://www.clubedoingresso.com/evento/glennhughes-bh
Produção: Solid Music e Caveira Velha Produções

Monsters of Rock divulga horários dos shows

Monsters of Rock 2023 anunciou os horários dos shows da edição deste ano. A 7ª edição do evento ocorre no dia 22 de abril de 2023 (sábado), no Allianz Parque, em São Paulo, e vai reunir os mestres absolutos do rock mundial: KISS, SCORPIONS, DEEP PURPLE, HELLOWEEN, CANDLEMASS, SYMPHONY X e DORO.

Confira a programação a seguir:
11h30 – Doro
12h30 – Symphony X
13h30 – Candlemass
15h00 – Helloween
16h30 – Deep Purple
18h45 – Scorpions
21h00 – KISS

Ainda há ingressos disponíveis nosite Eventim https://www.eventim.com.br/monstersofrock2023.

A produção também informou a lista de itens que o público não pode levar para o festival, entre eles estão máquinas fotográficas profissionais, gravadores e filmadoras, armas de fogo e branca de qualquer tipo ou espécie, guarda-chuvas, correntes e cinturões, canetas, tesoura, capacetes de motos, malabares e balões em geral, cigarros eletrônicos, bandeira com mastro, etc.

Veja a lista completa dos itens proibidos:
• Arma de fogo e branca de qualquer tipo ou espécie (facas, canivetes, etc);
• Guarda-Chuvas (de qualquer tamanho);
• Correntes e cinturões;
• Objetos Pontiagudos (Canetas)
;• Objeto Perfuro Cortante (Tesoura, Cortador de unha, Lâmina de barbear);
• Materiais ou objetos que possam causar ferimentos;
• Capacetes de motos e similares.
• Malabares e Balões em geral;
• Dispositivos eletrônicos para Fumar(cigarros eletrônicos, e-cigaretes, e-ciggy, ecigar, entre outros e Juice (líquido para o vape);
• Fogos de artifício e de estampido (de qualquer espécie);
• Substâncias Tóxicas;
• Bebidas Alcoólicas;
• Remédios (exceto se acompanhados de prescrição médica);
• Bandeira com mastro;
• Papel em rolo de qualquer espécie, jornais e revistas;
• Garrafas plásticas, latas, vasilhames, copo de vidro ou qualquer outro tipo de embalagem, contendo bebidas ou refrigerantes de qualquer natureza que, direta ou indiretamente, possam provocar ferimentos em caso de esforço físico isolado ou generalizado;
• Máquinas fotográficas profissionais (lente intercambiável);
• Gravadores e Filmadores;
• Tablets e Notebooks;
• Frutas inteiras;
• pingentes, haste de selfie e roupas e acessórios com formatos e partes pontiagudas que possam machucar e causar lesões;
• Alimentos: apenas permitido alimentos industrializados, com a embalagem lacrada originalmente como salgadinhos, bolachas. Frutas apenas cortadas.

O público que comparecer ao Allianz Parque também encontrará merchandising oficial do festival à venda.

Sobre as bandas

Formada em Nova York em 1973 por Paul Stanley e Gene Simmons, o KISS promete fazer um show lendário no MONSTERS OF ROCK. Será um momento único, uma homenagem ao primeiro headliner do Monsters of Rock (1994) e aos fãs que vêm acompanhando o festival por quase três décadas. O legado do KISS continua a crescer, geração após geração, transcendendo idade, raça e credo. A banda, recordista de Discos de Ouro nos EUA, vai comemorar o cinquentenário no palco do Monsters, e essa apresentação será um dos últimos 50 shows do KISS no mundo!

A noite será de estreias também no Monsters. Com 120 milhões de discos vendidos e mais de 5 mil shows em todo o planeta, o Monsters traz a lendária Scorpions, a mais bem-sucedida banda de rock alemã, com um show do Rock Believer Tour, do álbum lançado em fevereiro. Já se passaram mais de 50 anos desde que Klaus Meine, Rudolf Schenker e Matthias Jabs vagavam pelas ruas de Hannover, quando formaram o Scorpions. Nessa jornada, eles vêm encantando os roqueiros com clássicos como: “Wind Of Change”, “Rock You Like A Hurricane” e “Still Loving You”.

E mais um estreante dos sonhos no Monsters. Sim, o Deep Purple, simplesmente a realeza do rock, que faz parte da trilha-sonora de todos os roqueiros. Não há uma palavra suficientemente boa para definir a contribuição deles para a música. Em 2008, o Deep Purple recebeu o prêmio ‘Legend Award’ no World Music Awards. E em 2016, entraram para Hall da Fama do Rock and Roll. O 7º Monster será uma oportunidade única para rever Ian Gillan, Roger Glover, Ian Paice, Don Airey e Simon McBride.

Já o Helloween, ícone absoluto do speed metal melódico, fará sua segunda apresentação no festival, a primeira foi em 1996. Aliás, essa banda alemã vive um momento singular. Estão percorrendo o mundo com a imbatível UNITED FORCES TOUR 2022-2023, que está enlouquecendo o público de todo o planeta com performances absurdamente perfeitas de Andi Deris, Michael Kiske, Michael Weikath, Kai Hansen, Markus Grosskopf, Sascha Gerstner e Dani Löble. Aliás, além de toda competência musical, é também a energia e o entusiasmo especial que definem o Helloween!

Candlemass foi fundado, em 1984, pelo baixista e compositor Leif Edling e o baterista Matz Ekström, em Estocolmo, capital da Suécia. A banda é um dos maiores ícones do chamado doom metal, ao lado das bandas Pentagram, Saint Vitus e Trouble. O gênero recebeu esse nome influenciado pelo álbum de estreia do Candlemass, “Epicus Doomicus Metallicus”. Depois de duas pausas – entre 1994 e 1997 e 2002 e 2004 – voltaram totalmente energizados. Desde então foram várias turnês, seis álbuns de estúdio, o último lançado em 2022. “Sweet Evil Sun”. O Candlemass é formado por Leif Edling (baixo), Mats “Mappe” Björkman (guitarra), Lars Johansson (guitarra), Jan Lindh (bateria) e Johan Längqvist (vocal).

Adorada pelos fãs brasileiros, a banda Symphony X está em plena forma. O grupo de metal progressivo, criado pelo guitarrista Michael Romeo em Nova Jersey (EUA), tem álbuns singulares como “Symphony X” (1994), “The Divine Wings of Tragedy” (1997), “The Odyssey” (2002), “Paradise Lost” (2007), “Iconoclast” (2011), e “Underworld” (2015). Para a apresentação no Monsters, Romeo, Russell Allen, Michael LePond, Jason Rullo e Michael Pinnella prometem levar os fãs a loucura!

E não para por aí. O festival escalou a Metal Queen Doro Pesch! Foi Doro que marcou a estreia das mulheres no palco do primeiro Monsters of Rock da história – em 1986, em Castle Donington, na Inglaterra. Aos 16 anos, ela formou sua primeira banda, Snakebite. O primeiro álbum veio em 1983, “Burning The Witches”, que imediatamente conquistou os corações dos fãs de metal. Ela, que já foi eleita a Melhor Vocalista Feminina na Espanha por 30 anos, e incluída no Hall da História do Heavy Metal, nos Estados Unidos; em outubro foi premiada com o Lifetime Achievement Award, o mais prestigiado e importante prêmio da música alemã.

SERVIÇO
Data: 22 de abril de 2023 (sábado)
Local: Allianz Parque, Avenida Francisco Matarazzo, 1705 – Água Branca (SP)

Abertura dos portões: 10h
Horários shows:           
Doro – 11h30
Symphony X – 12h30
Candlemass – 13h30
Helloween – 15h00
Deep Purple – 16h30
Scorpions – 18H45
KISS – 21h00

Classificação Etária: 14 (quatorze) anos desacompanhados. Menores de 14 (quatorze) anos poderão comparecer ao evento desde que acompanhados dos pais e/ou responsáveis legais. Informação sujeita à alteração, conforme decisão judicial.

INFORMAÇÕES DE VENDAS

Mapa de Venda:

Preços
Pista Premium
– Inteira R$1.180,00 – Meia R$590,00
Pista – Inteira R$680,00 – Meia R$340,00
Cadeira Inferior – Inteira R$780,00 – Meia R$390,00
Cadeira Superior – Inteira R$480,00 – Meia R$240,00
VIP – Mirante Backstage – Inteira R$2.500,00 – Meia R$1.910,00
VIP – Lounge Centenário – Inteira R$1.500,00 – Meia R$1.110,00

VIP – Backstage Mirante

Esta área é para aqueles que procuram uma experiência mais premium:
– Open Bar Open Food Premium.
– Kit Monsters
– Acesso exclusivo
– Banheiros exclusivo
– Loja de Merchandising exclusiva
– After show até 2 horas após o término do Festival
– Assistir o show na Pista Premium com acesso livre para o Backstage Mirante durante o festival (Obs. O Lounge Backstage Mirante, localizado no sexto andar do estádio, não possibilita visão direta do show)


– Valores 
Ingresso Inteira: R$1.180,00 / Ingresso Meia: R$590,00
Mirante Backstage Pack: R$1.320,00
Valor Inteira: R$2.500,00 / Valor Meia: R$1.910,00
A taxa de serviço será cobrada apenas sobre o valor do ingresso.

Lounge Centenário

Esta área é para aqueles que procuram uma experiência mais premium:
– Assistir o show na Cadeira Inferior em local privilegiado com acesso livre para o Lounge Centenário- Open Bar Open Food Premium.
– Acesso exclusivo
– Banheiros exclusivo
– Loja de Merchandising exclusiva
– Lounge Centenário para descanso entre um show e outro
– Valores:
Ingresso Inteira: R$780,00 / Ingresso Meia: R$390,00
Lounge Centenário Pack: R$720,00 / Lounge Centenário Pack: R$720,00
Valor Inteira: R$1.500,00 / Valor Meia: R$1.100,00
A taxa de serviço será cobrada apenas sobre o valor do ingresso.

Mais informações em http://monstersofrock.com.br/

Abertura de vendas

Online: Dia 16 de dezembro (sexta-feira), às 10h, no https://www.eventim.com.br/monstersofrock2023

Bilheterias do Allianz Parque: Dia 16 de dezembro (sexta-feira), ao meio-dia, na Bilheteria Allianz Parque – Avenida Francisco Matarazzo, 1705 – Água Branca, SP

Meia Entrada: https://help.eventim.com.br/hc/pt-br/categories/4409831535895-Meia-Entrada

Formas de Pagamento: https://help.eventim.com.br/hc/pt-br/sections/4409733189271-Formas-de-Pagamento

O parcelamento do ingresso será feito em 10x pelo SITE e em 3x na BILHETERIA

Postos de vendas: Para maiores informações sobre os horários de funcionamento e as formas de pagamento de cada ponto de venda, por favor consulte: https://help.eventim.com.br/hc/pt-br/articles/4413851605015

Ponto de venda sem taxa de serviço:

ALLIANZ PARQUE – BILHETERIA OFICIAL – SEM COBRANÇA DE TAXA DE SERVIÇO – SÃO PAULO

Endereço: Av. Francisco Matarazzo, 1705 – Portão B – Água Branca, Cep. 05001-200 São Paulo/SP

Após esta data, mediante disponibilidade e seguindo horário de funcionamento: Rua Palestra Itália, 200 – Portão A – Perdizes, Cep. 05005-000 São Paulo/SP

Dias e horários de funcionamento: terça a sábado, das 10h às 17h, exceto em dias de jogos e shows.

ATENÇÃO

– Os ingressos de estudantes estão limitados a um ingresso por C.P.F.

– NÃO NOS RESPONSABILIZAMOS POR INGRESSOS COMPRADOS FORA DOS PONTOS DE VENDAS OFICIAIS DA EVENTIM PARA CONSULTAR OS ENDEREÇOS OFICIAIS VISITE: https://help.eventim.com.br/hc/pt-br/articles/4413851605015

TÚNEL DO TEMPO

Há momentos em que, sem saber, você se torna testemunha da história. Um deles é participar do festival Monsters of Rock no Brasil: o primeiro evento temático de rock no país, o primeiro a ter uma home page, o primeiro a ter uma barricada de segurança Mojo, entre outras inovações.

Nas seis primeiras edições, mais de 600 mil pessoas mergulharam nessa experiência contagiante, de som, luz, muita energia e paz. A primeira delas em 1994, um ano revolucionário. Ano do nascimento do www (world, wide, web), a primeira página na internet; dos primeiros celulares – os tijolões. O 1º Monsters of Rock no Brasil foi realizado dia 27 de agosto, no Estádio do Pacaembu. Na mesma noite, oito atrações de peso, em doze horas de shows: KISS, Slayer, Black Sabbath, Suicidal Tendencies, Viper, Raimundos, Angra e Dr. Sin.

No lendário 1º Monsters, às 2 da tarde, o Angra, com André Matos e Rafael Bittencourt, abriu o festival de heavy metal e hard rock, pela primeira vez realizado no Brasil, com plateia lotada, mais de 70 mil “metaleiros”. “Foi um orgulho pra nós abrimos o festival, que reúne bandas que nos influenciaram muito. Ficamos muito felizes”, declarou André Matos, nosso saudoso maestro, para a repórter Renata Netto, da Band, que cobriu o evento, que também teve flashes, ao vivo, na MTV Brasil.

A vibe entre os headbangers era de total paz e conexão com os músicos, nesta primeira edição do Monsters. Festival que introduziu no Brasil os eventos temáticos, com palcos personalizados, que ano a ano foram se transformando em castelos medievais, pirâmides do Egito, palácios greco-romanos, e cenários de experiências futurísticas, tendo “Blade Runner” por referência e até avatares de personagens de videogame.

 Sempre trazendo novidades, a Mercury Concerts introduziu as áreas vips personalizadas, onde os músicos e patrocinadores interagiam durante as doze horas de evento. No primeiro ano, foi criada uma réplica de uma favela brasileira, que contava com a culinária típica incluindo acarajés feitos na hora pelas tradicionais baianas do Pelourinho.

No quesito segurança, a produtora também é precursora. E foi no Monster of Rock que pela primeira vez foi utilizada no Brasil, um item de segurança que se tornaria obrigatório – as barricadas Mojo de contenção de público. Até então, a contenção do público era feita por grades.

Entre as atrações internacionais, as demais edições Monsters of Rock trouxe bandas adoradas pelos brasileiros como Iron Maiden, Aerosmith, Megadeth, Motörhead, Whitesnake, Judas Priest e Helloween, além de rockstars do calibre de Ozzy Osbourne, Alice Cooper e King Diamond.

ORIGEM

Foi na Inglaterra que esse festival foi criado. Nos anais do rock and roll consta que dois promotores britânicos – Paul Loasby e Maurice Jones – resolveram colocar a mão na massa para criar um festival realmente bom de heavy metal e hard rock . E assim nasceu o Monsters of Rock em 1980, no Autódromo Donington Park, em Leicester Shire, na Inglaterra. A ideia inicial era ser um evento único, mas como lotou, resolveram tornar o festival anual. A partir de 1983, o Monsters começou a ser replicado em outros países, entre eles o Brasil, quando a Mercury Concerts adquiriu os direitos em 1994. A última edição na Inglaterra foi em 2006.

MONSTERS OF ROCK BR

1º Monsters of Rock – 27/08/1994– Pacaembu, na capital paulista, com oito atrações: KISS, Slayer, Black Sabbath, Suicidal Tendencies, Viper, Raimundos, Angra e Dr. Sin. Inovação: primeiro festival temático no Brasil. Teve cobertura ao vivo da MTV Brasil.

2º Monsters of Rock – 02/09/1995 – Pacaembu, na capital paulista, com nove atrações: Ozzy Osbourne, Alice Cooper, Faith No More, Megadeth, Therapy, Paradise Lost, Virna Lisi, Clawfinger e Rata Blanca. Inovação: primeiro festival de rock no Brasil com Home Page própria, uma produção Mercury Concerts e Water Brothers Productions – para isso foi investido, inicialmente, US$ 35 mil. O site era uma revista eletrônica com muito conteúdo das atrações: reportagens, vídeos e fotos. Os shows foram transmitidos ao vivo e os artistas conversaram com os “internautas” em tempo real.

3º Monsters of Rock – 24/08/1996 – Pacaembu, na capital paulista, com nove atrações: Iron Maiden, Skid Row, Motörhead, Biohazard, Raimundos, Helloween, King Diamond, Mercyful Fate e Héroes del Silencio. E uma edição no Rio de Janeiro, no Metropolitan, com três atrações: Iron Maiden, Skid Row, Motörhead.

4º Monster of Rock – 26/09/1998 – Estádio de Atletismo Ícaro de Castro, no Ibirapuera, na capital paulista: Slayer, Megadeth, Manowar, Dream Theater, Saxon, Savatage, Glenn Hughes, Korzus e Dorsal Atlântica.

5º Monsters of Rock – 19 e 20/10/2013 – Arena Anhembi, na capital paulista, com 15 atrações em dois dias de festival No dia 19: Slipknot, Korn, Limp Bizkit, Killswitch Engage, Hatebreed, Gojira e Hellyeah; no dia 20: Aerosmith, Whitesnake, Ratt, Buckcherry, Queensrÿche, Dokken, Dr Sin e Doctor Pheabes.

6º Monster of Rock – 25 e 26/04/2015 – Arena Anhembi, na capital paulista, com 15 atrações: KISS, Judas Priest, Ozzy Osbourne, Yngwie Malmsteen, Manowar, Steel Panther, Unisonic, Doctor Pheabes, Accept, La Tierra, Primal Fear, Coal Chamber, Rival Sons e Black Veil Brides. Motörhead cancelou a apresentação na última hora (Lemmy teve uma crise gástrica).

SOBRE A MERCURY CONCERTS

A Mercury Concerts é responsável pelo agenciamento de turnês internacionais na América Latina e também pela idealização e produção de shows e festivais de grande sucesso em todo o Brasil. Entre suas realizações nesses mais de 20 anos de história estão festivais como Monsters of Rock, Ruffles Reggae, Close-up Planet, Skol Rock, São Paulo Trip e Rockfest. Além disso, a Mercury também realizou no país shows e turnês de artistas de renome como AC/DC, Bon Jovi, Yes, Black Sabbath, David Gilmour, Sting, KISS, Guns N’ Roses e Aerosmith.

Mais informações: 
Site oficial: https://mercuryconcerts.com/
Redes Sociais: @monstersofrockbr
Vídeo Oficial: https://www.youtube.com/@MonstersOfRock



Bruce Dickinson chega ao Brasil para cantar Deep Purple com banda e orquestra e manda recado para os fãs. Veja!

“Concerto For Group And Orchestra” e sucessos do Deep Purple chegam ao Brasil com vocais de Bruce Dickinson, Orquestra Sinfônica e banda com músicos convidados.

Bruce mandou um recado para os fãs dizendo vai cantar duas músicas suas em arranjo especial para banda e orquestra: “Jerusalem” e “Tears of The Dragon”

Apresentações acontecem em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre em abril de 2023

Compositor, pianista e organista, o inglês Jon Lord é aclamado como um dos mais importantes nomes da história do rock. Além de ter passado por bandas como o Whitesnake, ele fundou e integrou durante mais de duas décadas o Deep Purple, e deixou uma carreira extensa: foram 12 álbuns solos, 19 álbuns com o Deep Purple e seis álbuns com o Whitesnake.

Seu canto de cisne, o “Concerto For Group And Orchestra”, transformou-se em uma das mais aplaudidas turnês do Purple, e continuou a ser apresentado por ele, ao lado das mais renomadas orquestras, depois de sua saída da banda em 2002. Após a morte de Lord, em 2012, o “concerto” esperaria sete anos para voltar aos palcos, em 2019, no Canadá, e depois em 2021, na Hungria.

Em 2023, 54 anos após sua estreia nos palcos, o “Concerto” e os maiores sucessos de Lord com o Deep Purple estão de volta para uma turnê por quatro cidades brasileiras. Em sua passagem pelo país, será apresentado por Bruce Dickinson (Iron Maiden) nos vocais, que volta ao país especialmente para o show e que comanda uma banda formada por John O’Hara (Jethro Tull) nos teclados, Tanya O’Callaghan (Whitesnake) no baixo, Kaitner Z Doka (Jon Lord, Ian Paice) na guitarra e Bernard Welz (Jon Lord, Don Airey) na bateria.

Além deles, o show terá no palco uma orquestra sinfônica de mais de 80 instrumentistas, montada especialmente para a ocasião com integrantes da OSESP (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) e de algumas das principais sinfônicas do país. Ela será conduzida por Paul Mann, que já participou de dezenas de apresentações do concerto, incluindo a histórica performance de 1999 no Royal Albert Hall.

No Brasil os shows acontecerão em São Paulo, no dia 15 de abril, na Vibra São Paulo; em Curitiba, no dia 19 de abril, no Teatro Positivo; no Rio de Janeiro, dia 21 de abril, no Vivo Rio; e em Porto Alegre, no dia 25 de abril, no Auditório Araújo Vianna.

Bruce mandou um recado para os fãs e informou que vai cantar duas músicas suas em arranjo especial para banda e orquestra: “Jerusalem” e “Tears of The Dragon”. Veja:

SERVIÇO

SÃO PAULO

Data: Sábado, 15/04/2023
Local: VIBRA SÃO PAULO – Avenida das Nações Unidas, 17.955 – Vila Almeida
Horário de abertura das portas: 19h00
Horário de início do show: 21h00
Classificação indicativa: 18 anos, menores de 18 anos a entrada é permitida apenas com autorização do responsável legal.
Acessibilidade para PCD.

Vendas de ingressos: www.uhuu.com

Preços dos ingressos:

Camarote – R$980 / Meia R$490
Cadeira Premium – R$890 / Meia R$445
Cadeira Central – R$800 / Meia R$400
Cadeira Lateral – R$700 / Meia R$350
Poltrona Central – R$720 / Meia R$360
Poltrona Lateral – R$620 / Meia R$310
Plateia Superior Central – R$500 / Meia R$250
Plateia Superior Lateral – R$400 / Meia R$200
Visão Parcial – R$300 / Meia R$150

Informações sobre meia entrada: A meia entrada é destinada para estudantes, jovens de baixa renda até 29 anos, professores, pessoas acima de 60 anos e PCD.
Bilheteria física: Bilheteria da Vibra São Paulo

CURITIBA

Data: Quarta-feira, 19/04/2023
Local: TEATRO POSITIVO – Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido
Horário de abertura das portas: 20h00
Horário de início do show: 21h00
Classificação indicativa: 14 anos, menores de 14 anos somente acompanhados dos pais ou responsável legal.
Acessibilidade para cadeirantes, elevador e assentos para obesos.

Vendas de ingressos: www.diskingressos.com.br

Preços dos ingressos:

Plateia Premium – R$1.100 / Meia R$550
Plateia Inferior – R$900 / Meia R$450
Plateia Superior Central – R$800 / Meia R$400
Plateia Superior Lateral – R$700 / Meia R$350

Informações sobre meia entrada: A meia entrada é destinada para estudantes, jovens de baixa renda até 29 anos, pessoas acima de 60 anos, professores, doadores de sangue, portadores de câncer e PCD.
Descontos Especiais:
Clube Disk Ingressos – Desconto de 50% sobre o valor de Inteira.
Clube Gazeta do Povo – Desconto de 50% sobre o valor de Inteira.
Bilheteria física: Bilheteria do Teatro Positivo

RIO DE JANEIRO

Data: Sexta-feira, 21/04/2023
Local: VIVO RIO – Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo
Horário de abertura das portas: 20h00
Horário de início do show: 21h00
Classificação indicativa: 18 anos, menores de 18 anos a entrada é permitida apenas com autorização do responsável legal.
Acessibilidade para cadeirantes, rampas e assentos para obesos.

Vendas de ingressos: www.showpass.com.br

Preços dos ingressos:
Cadeira Premium – R$980 / Meia R$490,00
Cadeira Vip – R$890 / Meia R$445
Cadeira Setor 01 – R$800 / Meia R$400
Cadeira Setor 02 – R$720 / Meia R$360
Cadeira Setor 03 – R$630 / Meia R$315
Camarote A – R$980 / Meia R$490
Camarote B – R$890 / Meia R$445
Balcão – R$700 / Meia R$350
Frisa – R$600 / Meia R$300

Informações sobre meia entrada: A meia entrada é destinada para estudantes, jovens até 21 anos, jovens de baixa renda até 29 anos, professores, pessoas acima de 60 anos e PCD.

Bilheteria física: Bilheteria do Vivo Rio

PORTO ALEGRE

Data: Terça-feira, 25/04/2023
Local: AUDITÓRIO ARAÚJO VIANNA – Avenida Osvaldo Aranha, 685 – Bairro Bom Fim
Horário de abertura das portas: 19h30
Horário de início do show: 21h00
Classificação indicativa: 16 anos, menores de 16 anos somente acompanhados dos pais ou responsável legal.
Acessibilidade para cadeirantes, rampas e assentos para obesos.
Vendas de ingressos: www.sympla.com.br/araujovianna

Preços dos ingressos:

Plateia Gold – R$1.100 / Meia R$550 / Solidário R$560
Plateia Baixa Central – R$880 / Meia R$440 / Solidário R$450
Plateia Baixa Lateral – R$780 / Meia R$390 / Solidário R$400
Plateia Alta Central – R$700 / Meia R$350 / Solidário R$360
Plateia Alta Lateral – R$580 / Meia R$290 / Solidário R$300

Informações sobre meia entrada: A meia entrada é destinada para estudantes, jovens de baixa renda até 29 anos, doadores de sangue, pessoas acima de 60 anos e PCD.
Descontos Especiais:
Ingresso Solidário – Desconto especial mediante doação de 1Kg de alimento não perecível.
Clube Assinante Zero Hora: Desconto de 50% sobre o valor de Inteira
Bilheteria oficial (sem taxa de conveniência – somente em dinheiro):
Loja Planeta Surf Bourbon Wallig (Av. Assis Brasil, 2611 – Loja 249 – Jardim Lindóia – Porto Alegre)


Monsters of Rock 2023 reúne mestres de cinco gerações

Monsters of Rock 2023 reúne mestres de cinco gerações
Line-up reúne: KISS, Scorpions, Deep Purple, Helloween, Saxon, Symphony X e Doro

Preparem-se! Confirmado o line-up mais aguardado do ano. O 7º MONSTERS OF ROCK escalou os mestres absolutos do rock mundial: KISS, Scorpions, Deep Purple, Helloween, Saxon, Symphony X e Doro.  Será mais uma edição histórica do melhor festival de rock do Brasil com sete atrações imbatíveis, dia 22 de abril de 2023, no Allianz Parque, em São Paulo, uma produção da Mercury Concerts. A venda dos ingressos vai começar em 16 de dezembro (sexta-feira), no site Eventim: https://www.eventim.com.br/monstersofrock2023 .

Pela primeira vez vão compartilhar o palco do MONSTERS OF ROCK sete das bandas que mais influenciaram cinco gerações de fãs: KISS, Scorpions, Deep Purple, Helloween, Saxon, Symphony X e Doro. Uma união dos nomes mais pesados de toda história do rock, juntos na mesma noite! Uma homenagem do MONSTERS OF ROCK aos fãs do festival e às bandas.

Formada em Nova York em 1973 por Paul Stanley e Gene Simmons, o KISS promete fazer um show lendário no MONSTERS OF ROCK. Será um momento único, uma homenagem ao primeiro headliner do Monsters of Rock (1994) e aos fãs que vêm acompanhando o festival por quase três décadas. O legado do KISS continua a crescer, geração após geração, transcendendo idade, raça e credo. A banda, recordista de Discos de Ouro nos EUA, vai comemorar o cinquentenário no palco do Monsters, e essa apresentação será um dos últimos 50 shows do KISS no mundo!

A noite será de estreias também no Monsters. Com 120 milhões de discos vendidos e mais de 5 mil shows em todo o planeta, o Monsters traz a lendária Scorpions, a mais bem-sucedida banda de rock alemã, com um show do Rock Believer Tour, do álbum lançado em fevereiro. Já se passaram mais de 50 anos desde que Klaus Meine, Rudolf Schenker e Matthias Jabs vagavam pelas ruas de Hannover, quando formaram o Scorpions. Nessa jornada, eles vêm encantando os roqueiros com clássicos como: “Wind Of Change”, “Rock You Like A Hurricane” e “Still Loving You”.

E mais um estreante dos sonhos no Monsters. Sim, o Deep Purple, simplesmente a realeza do rock, que faz parte da trilha-sonora de todos os roqueiros. Não há uma palavra suficientemente boa para definir a contribuição deles para a música. Em 2008, o Deep Purple recebeu o prêmio ‘Legend Award’ no World Music Awards. E em 2016, entraram para Hall da Fama do Rock and Roll. O 7º Monster será uma oportunidade única para rever Ian Gillan, Roger Glover, Ian Paice, Don Airey e Simon McBride.

Já o Helloween, ícone absoluto do speed metal melódico, fará sua segunda apresentação no festival, a primeira foi em 1996. Aliás, essa banda alemã vive um momento singular. Estão percorrendo o mundo com a imbatível UNITED FORCES TOUR 2022-2023, que está enlouquecendo o público de todo o planeta com performances absurdamente perfeitas de Andi Deris, Michael Kiske, Michael Weikath, Kai Hansen, Markus Grosskopf, Sascha Gerstner e Dani Löble. Aliás, além de toda competência musical, é também a energia e o entusiasmo especial que definem o Helloween!

Também será a segunda apresentação do Saxon no Monsters of Rock. Formada por Biff Byford, Doug Scarratt, Nibbs Carter, Nigel Glockler e Paul Quinn, o Saxon lançou este ano o 24º álbum – “Carpe Diem” – e estão em turnê Europa. Expoente do New Wave Of British Heavy Metal, essa banda inglesa é considerada uma das melhores do heavy metal em todo o mundo e conquistou uma legião fiel de fãs nos anos 1980, principalmente com o álbum “Crusader”, que se tornou um clássico absoluto.

Adorada pelos fãs brasileiros, a banda Symphony X está em plena forma. O grupo de metal progressivo, criado pelo guitarrista Michael Romeo em Nova Jersey (EUA), tem álbuns singulares como “Symphony X” (1994), “The Divine Wings of Tragedy” (1997), “The Odyssey” (2002), “Paradise Lost” (2007), “Iconoclast” (2011), e “Underworld” (2015). Para a apresentação no Monsters, Romeo, Russell Allen, Michael LePond, Jason Rullo e Michael Pinnella prometem levar os fãs a loucura!

SERVIÇO

Data: 22 de abril de 2023 (sábado)
Local: Allianz Parque, Avenida Francisco Matarazzo, 1705 – Água Branca (SP)
Abertura dos portões: 10h
Início dos shows: 11h30
Atrações confirmadas:      KISS
                                              Scorpions
                                              Deep Purple
                                              Helloween
                                              Saxon
                                              Symphony X
                                              Doro

Classificação Etária: 14 (quatorze) anos desacompanhados. Menores de 14 (quatorze) anos poderão comparecer ao evento desde que acompanhados dos pais e/ou responsáveis legais. Informação sujeita à alteração, conforme decisão judicial.

INFORMAÇÕES DE VENDAS

Mapa de Venda:

Preços
Pista Premium
– Inteira R$1.180,00 – Meia R$590,00
Pista – Inteira R$680,00 – Meia R$340,00
Cadeira Inferior – Inteira R$780,00 – Meia R$390,00
Cadeira Superior – Inteira R$480,00 – Meia R$240,00
VIP – Mirante Backstage – Inteira R$2.500,00 – Meia R$1.910,00
VIP – Lounge Centenário – Inteira R$1.500,00 – Meia R$1.110,00

VIP – Backstage Mirante

Esta área é para aqueles que procuram uma experiência mais premium:
– Open Bar Open Food Premium.
– Kit Monsters
– Acesso exclusivo
– Banheiros exclusivo
– Loja de Merchandising exclusiva
– After show até 2 horas após o término do Festival
– Assistir o show na Pista Premium com acesso livre para o Backstage Mirante durante o festival (Obs. O Lounge Backstage Mirante, localizado no sexto andar do estádio, não possibilita visão direta do show)


– Valores 
Ingresso Inteira: R$1.180,00 / Ingresso Meia: R$590,00
Mirante Backstage Pack: R$1.320,00
Valor Inteira: R$2.500,00 / Valor Meia: R$1.910,00
A taxa de serviço será cobrada apenas sobre o valor do ingresso.

Lounge Centenário

Esta área é para aqueles que procuram uma experiência mais premium:
– Assistir o show na Cadeira Inferior em local privilegiado com acesso livre para o Lounge Centenário- Open Bar Open Food Premium.
– Acesso exclusivo
– Banheiros exclusivo
– Loja de Merchandising exclusiva
– Lounge Centenário para descanso entre um show e outro
– Valores:
Ingresso Inteira: R$780,00 / Ingresso Meia: R$390,00
Lounge Centenário Pack: R$720,00 / Lounge Centenário Pack: R$720,00
Valor Inteira: R$1.500,00 / Valor Meia: R$1.100,00
A taxa de serviço será cobrada apenas sobre o valor do ingresso.

Mais informações em http://monstersofrock.com.br/

Abertura de vendas

Online: Dia 16 de dezembro (sexta-feira), às 10h, no https://www.eventim.com.br/monstersofrock2023

Bilheterias do Allianz Parque: Dia 16 de dezembro (sexta-feira), ao meio-dia, na Bilheteria Allianz Parque – Avenida Francisco Matarazzo, 1705 – Água Branca, SP

Meia Entrada: https://help.eventim.com.br/hc/pt-br/categories/4409831535895-Meia-Entrada

Formas de Pagamento: https://help.eventim.com.br/hc/pt-br/sections/4409733189271-Formas-de-Pagamento

O parcelamento do ingresso será feito em 10x pelo SITE e em 3x na BILHETERIA

Postos de vendas: Para maiores informações sobre os horários de funcionamento e as formas de pagamento de cada ponto de venda, por favor consulte: https://help.eventim.com.br/hc/pt-br/articles/4413851605015

Ponto de venda sem taxa de serviço:

ALLIANZ PARQUE – BILHETERIA OFICIAL – SEM COBRANÇA DE TAXA DE SERVIÇO – SÃO PAULO

Endereço: Av. Francisco Matarazzo, 1705 – Portão B – Água Branca, Cep. 05001-200 São Paulo/SP

Após esta data, mediante disponibilidade e seguindo horário de funcionamento: Rua Palestra Itália, 200 – Portão A – Perdizes, Cep. 05005-000 São Paulo/SP

Dias e horários de funcionamento: terça a sábado, das 10h às 17h, exceto em dias de jogos e shows.

ATENÇÃO

– Os ingressos de estudantes estão limitados a um ingresso por C.P.F.

– NÃO NOS RESPONSABILIZAMOS POR INGRESSOS COMPRADOS FORA DOS PONTOS DE VENDAS OFICIAIS DA EVENTIM PARA CONSULTAR OS ENDEREÇOS OFICIAIS VISITE: https://help.eventim.com.br/hc/pt-br/articles/4413851605015

TÚNEL DO TEMPO

Há momentos em que, sem saber, você se torna testemunha da história. Um deles é participar do festival Monsters of Rock no Brasil: o primeiro evento temático de rock no país, o primeiro a ter uma home page, o primeiro a ter uma barricada de segurança Mojo, entre outras inovações.

Nas seis primeiras edições, mais de 600 mil pessoas mergulharam nessa experiência contagiante, de som, luz, muita energia e paz. A primeira delas em 1994, um ano revolucionário. Ano do nascimento do www (world, wide, web), a primeira página na internet; dos primeiros celulares – os tijolões. O 1º Monsters of Rock no Brasil foi realizado dia 27 de agosto, no Estádio do Pacaembu. Na mesma noite, oito atrações de peso, em doze horas de shows: KISS, Slayer, Black Sabbath, Suicidal Tendencies, Viper, Raimundos, Angra e Dr. Sin.

No lendário 1º Monsters, às 2 da tarde, o Angra, com André Matos e Rafael Bittencourt, abriu o festival de heavy metal e hard rock, pela primeira vez realizado no Brasil, com plateia lotada, mais de 70 mil “metaleiros”. “Foi um orgulho pra nós abrimos o festival, que reúne bandas que nos influenciaram muito. Ficamos muito felizes”, declarou André Matos, nosso saudoso maestro, para a repórter Renata Netto, da Band, que cobriu o evento, que também teve flashes, ao vivo, na MTV Brasil.

A vibe entre os headbangers era de total paz e conexão com os músicos, nesta primeira edição do Monsters. Festival que introduziu no Brasil os eventos temáticos, com palcos personalizados, que ano a ano foram se transformando em castelos medievais, pirâmides do Egito, palácios greco-romanos, e cenários de experiências futurísticas, tendo “Blade Runner” por referência e até avatares de personagens de videogame.

 Sempre trazendo novidades, a Mercury Concerts introduziu as áreas vips personalizadas, onde os músicos e patrocinadores interagiam durante as doze horas de evento. No primeiro ano, foi criada uma réplica de uma favela brasileira, que contava com a culinária típica incluindo acarajés feitos na hora pelas tradicionais baianas do Pelourinho.

No quesito segurança, a produtora também é precursora. E foi no Monster of Rock que pela primeira vez foi utilizada no Brasil, um item de segurança que se tornaria obrigatório – as barricadas Mojo de contenção de público. Até então, a contenção do público era feita por grades.

Entre as atrações internacionais, as demais edições Monsters of Rock trouxe bandas adoradas pelos brasileiros como Iron Maiden, Aerosmith, Megadeth, Motörhead, Whitesnake, Judas Priest e Helloween, além de rockstars do calibre de Ozzy Osbourne, Alice Cooper e King Diamond.

ORIGEM

Foi na Inglaterra que esse festival foi criado. Nos anais do rock and roll consta que dois promotores britânicos – Paul Loasby e Maurice Jones – resolveram colocar a mão na massa para criar um festival realmente bom de heavy metal e hard rock . E assim nasceu o Monsters of Rock em 1980, no Autódromo Donington Park, em Leicester Shire, na Inglaterra. A ideia inicial era ser um evento único, mas como lotou, resolveram tornar o festival anual. A partir de 1983, o Monsters começou a ser replicado em outros países, entre eles o Brasil, quando a Mercury Concerts adquiriu os direitos em 1994. A última edição na Inglaterra foi em 2006.

MONSTERS OF ROCK BR

1º Monsters of Rock – 27/08/1994– Pacaembu, na capital paulista, com oito atrações: KISS, Slayer, Black Sabbath, Suicidal Tendencies, Viper, Raimundos, Angra e Dr. Sin. Inovação: primeiro festival temático no Brasil. Teve cobertura ao vivo da MTV Brasil.

2º Monsters of Rock – 02/09/1995 – Pacaembu, na capital paulista, com nove atrações: Ozzy Osbourne, Alice Cooper, Faith No More, Megadeth, Therapy, Paradise Lost, Virna Lisi, Clawfinger e Rata Blanca. Inovação: primeiro festival de rock no Brasil com Home Page própria, uma produção Mercury Concerts e Water Brothers Productions – para isso foi investido, inicialmente, US$ 35 mil. O site era uma revista eletrônica com muito conteúdo das atrações: reportagens, vídeos e fotos. Os shows foram transmitidos ao vivo e os artistas conversaram com os “internautas” em tempo real.

3º Monsters of Rock – 24/08/1996 – Pacaembu, na capital paulista, com nove atrações: Iron Maiden, Skid Row, Motörhead, Biohazard, Raimundos, Helloween, King Diamond, Mercyful Fate e Héroes del Silencio. E uma edição no Rio de Janeiro, no Metropolitan, com três atrações: Iron Maiden, Skid Row, Motörhead.

4º Monster of Rock – 26/09/1998 – Estádio de Atletismo Ícaro de Castro, no Ibirapuera, na capital paulista: Slayer, Megadeth, Manowar, Dream Theater, Saxon, Savatage, Glenn Hughes, Korzus e Dorsal Atlântica.

5º Monsters of Rock – 19 e 20/10/2013 – Arena Anhembi, na capital paulista, com 15 atrações em dois dias de festival No dia 19: Slipknot, Korn, Limp Bizkit, Killswitch Engage, Hatebreed, Gojira e Hellyeah; no dia 20: Aerosmith, Whitesnake, Ratt, Buckcherry, Queensrÿche, Dokken, Dr Sin e Doctor Pheabes.

6º Monster of Rock – 25 e 26/04/2015 – Arena Anhembi, na capital paulista, com 15 atrações: KISS, Judas Priest, Ozzy Osbourne, Yngwie Malmsteen, Manowar, Steel Panther, Unisonic, Doctor Pheabes, Accept, La Tierra, Primal Fear, Coal Chamber, Rival Sons e Black Veil Brides. Motörhead cancelou a apresentação na última hora (Lemmy teve uma crise gástrica).

SOBRE A MERCURY CONCERTS

A Mercury Concerts é responsável pelo agenciamento de turnês internacionais na América Latina e também pela idealização e produção de shows e festivais de grande sucesso em todo o Brasil. Entre suas realizações nesses mais de 20 anos de história estão festivais como Monsters of Rock, Ruffles Reggae, Close-up Planet, Skol Rock, São Paulo Trip e Rockfest. Além disso, a Mercury também realizou no país shows e turnês de artistas de renome como AC/DC, Bon Jovi, Yes, Black Sabbath, David Gilmour, Sting, KISS, Guns N’ Roses e Aerosmith.

Mais informações: 
Site oficial: https://mercuryconcerts.com/
Redes Sociais: @monstersofrockbr
Vídeo Oficial: https://www.youtube.com/@MonstersOfRock

DEEP PURPLE: JÁ DISPONÍVEL “IN CONCERT WITH THE LONDON SYMPHONY ORCHESTRA” EM DIGIPACK DUPLO

Em 24 de setembro de 1969, o DEEP PURPLE e a Orquestra Filarmônica Real Britânica, regida pelo maestro Malcolm Arnold, gravaram no Royal Albert Hall de Londres (a casa do festival anual de música clássica “BBC Proms”), um dos álbuns ao vivo mais inovadores até os dias de hoje, “Concerto for Group and Orchestra”, que consistia em um concerto composto pelo tecladista Jon Lord e com letras escritas pelo vocalista Ian Gillan.

Lamentavelmente, um ano depois a partitura original foi perdida. Porém, o tecladista com a ajuda de Marco Goeij, um grande fã holandês da banda que também era musicólogo e compositor, conseguiram recriar meticulosamente a partitura perdida, praticamente nota por nota. E foi assim que chegamos ao ano 1999, exatos 30 anos depois, quando Lord, Gillan, Roger Glover, Ian Paice e Steve Morse se uniram, desta vez, com a Orquestra Sinfônica de Londres, regida pelo maestro Paul Mann, e com diversos convidados especiais, entre eles Ronnie James Dio, Sam Brown e Eddie Hardin, novamente no Royal Albert Hall, para apresentar vários grandes sucessos da banda como ‘Pictured Within’, ‘Ted The Mechanic’ e o clássico ‘Smoke On The Water’, em uma mais do que perfeita fusão de rock e música clássica que leva o nome de “In Concert with The London Symphony Orchestra” (também conhecido como “In Concert with The London Symphony Orchestra Conducted by Paul Mann”).

Já disponível no Brasil pela parceria Shinigami Records/earMUSIC/Sound City Records em DIGIPACK DUPLO.

Adquira sua cópia aqui: https://bit.ly/3C3Vj1C.

FONTE: SHINIGAMI RECORDS

Bruce Dickinson volta ao Brasil para celebrar a música de Jon Lord & Deep Purple com banda e orquestra

“Concerto For Group And Orchestra” e sucessos do Deep Purple chegam ao Brasil com vocais de Bruce Dickinson, Orquestra Sinfônica e Músicos Convidados Apresentações acontecem em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre em abril de 2023

Compositor, pianista e organista, o inglês Jon Lord é aclamado como um dos mais importantes nomes da história do rock. Além de ter passado por bandas como o Whitesnake, ele fundou e integrou durante mais de duas décadas o Deep Purple, e deixou uma carreira extensa: foram 12 álbuns solos, 19 álbuns com o Deep Purple e seis álbuns com o Whitesnake.

Seu canto de cisne, o “Concerto For Group And Orchestra”, transformou-se em uma das mais aplaudidas turnês do Purple, e continuou a ser apresentado por ele, ao lado das mais renomadas orquestras, depois de sua saída da banda em 2002. Após a morte de Lord, em 2012, o “concerto” esperaria sete anos para voltar aos palcos, em 2019, no Canadá, e depois em 2021, na Hungria.

Em 2023, 54 anos após sua estreia nos palcos, o “Concerto” e os maiores sucessos de Lord com o Deep Purple estão de volta para uma turnê por quatro cidades brasileiras. Em sua passagem pelo país, será apresentado por Bruce Dickinson (Iron Maiden) nos vocais, que volta ao país especialmente para o show e que comanda uma banda formada por John O’Hara (Jethro Tull) nos teclados, Tanya O’Callaghan (Whitesnake) no baixo, Kaitner Z Doka (Jon Lord, Ian Paice) na guitarra, Bernard Welz (Jon Lord, Don Airey) na bateria e Mario Argandonia (Scorpions…) na percussão.

Além deles, o show terá no palco uma orquestra sinfônica de mais de 80 instrumentistas, montada especialmente para a ocasião com integrantes da OSESP (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) e de algumas das principais sinfônicas do país. Ela será conduzida por Paul Mann, que já participou de dezenas de apresentações do concerto, incluindo a histórica performance de 1999 no Royal Albert Hall.

No Brasil os shows acontecerão em São Paulo, no dia 15 de abril, na Vibra São Paulo; em Curitiba, no dia 19 de abril, no Teatro Positivo; no Rio de Janeiro, dia 21 de abril, no Vivo Rio; e em Porto Alegre, no dia 25 de abril, no Auditório Araújo Vianna. Os ingressos estarão à venda a partir do dia 06 de setembro (ver serviço completo abaixo).

Além do concerto o show apresentará ainda alguns dos principais sucessos do Deep Purple. A turnê brasileira do “Concerto for Group and Orchestra” é uma realização da MCA Concerts.

O Concerto

Concerto For Group And Orchestra” surgiu como um álbum ao vivo do Deep Purple, com a participação da Royal Philharmonic Orchestra, dirigido por Malcolm Arnold e gravado no Royal Albert Hall de Londres, em setembro de 1969. Composto por Jon Lord, com algumas poucas letras escritas por Ian Gillan, é o primeiro álbum completo a apresentar Ian Gillan nos vocais e Roger Glover no baixo. Foi lançado em vinil em dezembro de 1969. A apresentação foi uma das primeiras combinações de rock com uma orquestra completa.

Dividida em três movimentos, a partitura original do concerto foi perdida em 1970, e foi recriada em 1999. Em 25 e 26 de setembro deste ano, trinta anos após sua apresentação inicial, o “Concerto” foi novamente apresentado ao vivo no Royal Albert Hall. Para tornar essa performance possível, uma nova partitura foi criada por Lord com a ajuda de Paul Mann e Marco de Goeij, ouvindo a gravação e assistindo ao vídeo da performance de 1969. Encorajado pelo sucesso das apresentações de 1999, o Deep Purple levou o “Concerto” em turnê, primeiro apresentando-o na América do Sul com orquestras locais, depois na Europa com a George Enescu Philharmonic Orchestra, e no Japão com a New Japan Philharmonic Orchestra, todas conduzidas por Paul Mann.

Em 24 de setembro de 2009, Jon Lord juntou-se à RTE Concert Orchestra no National Concert Hall, em Dublin, na Irlanda para comemorar o 40º aniversário da primeira apresentação do Concerto. Também foram apresentadas peças da carreira solo de Jon Lord e várias músicas do Deep Purple.

Em outubro de 2012, foi lançada uma versão de estúdio do “Concerto”. A gravação apresenta a Royal Liverpool Philharmonic Orchestra conduzida por Paul Mann. Os solistas são Jon Lord no orgão, Darin Vasilev, Joe Bonamassa, Steve Morse na guitarra, Steve Balsamo, Kasia Łaska e Bruce Dickinson no vocal, Brett Morgan na bateria e Guy Pratt no baixo. O disco foi mixado no Abbey Road Studios no final de maio de 2012 e de acordo com Paul MannJon Lord ouviu a master final da gravação alguns dias antes de sua morte em 16 de julho de 2012.

Sobre a gravação Lord afirmou: “Ao longo destes últimos anos, desde que deixei o Deep Purple, eu toquei mais de 30 vezes com orquestras e maestros diferentes em todo o mundo, e, claro, eu fiz isso bem mais de 30 vezes com o Purple na turnê Concerto, de modo que fui aprimorando a peça ao vivo no palco e tive a oportunidade de mudar as coisas na pontuação que não estavam soando muito bem. É, portanto, uma perspectiva maravilhosa e emocionante ter a gravação definitiva da versão definitiva da partitura”.

Jon Lord

Conhecido por ter integrado as bandas Deep Purple, WhitesnakePaiceAshton & LordThe Artwoods e Flower Pot MenJon Lord foi um compositor, pianista e organista, considerado o pioneiro na fusão do rock com música clássica.

Em 1968, Lord fundou a banda de rock inglesa Deep Purple. Ele e o baterista Ian Paice foram os únicos integrantes constantes da banda durante a fase inicial da sua existência (1968-1976) e, a partir do momento em que eles refundaram a banda, em 1984, até a saída de Lord em 2002.

Deep Purple teve início em 1968, com o nome Roundabout. A primeira formação lançou três discos de pouca repercussão – Shades of Deep PurpleThe Book of Taliesyn e o álbum homônimo Deep Purple. O nome definitivo foi sugerido por Ritchie Blackmore, e retirado de uma música que a sua avó gostava.

Em 1969, resolveram arriscar uma mudança no direcionamento musical da banda, convidando o vocalista Ian Gillan e o baixista Roger Glover, passando a buscar um estilo que misturasse música clássica europeia ao hard rock, que surgia na Inglaterra, com bandas como Yardbirds e Led Zeppelin. O primeiro álbum com esta formação, foi exatamente Concerto for Group and Orchestra, que foi recebido com respeito, mas um pouco de estranheza pela crítica. Não foi, todavia, um grande sucesso de público.

Dariam uma virada de 180 graus em 1970, com o álbum Deep Purple in Rock, que com seu hard rock direto e bem feito, rapidamente chegou ao topo das paradas, transformando imediatamente o Deep Purple em uma banda muito conhecida e influente. São deste disco alguns dos primeiros grandes clássicos da banda, Speed King e Child in Time.

O álbum Fireball, de 1971, confirmou o sucesso da banda, e com Machine Head (um dos clássicos do rock de todos os tempos, lançado em 1972) o Purple atingiu o auge de sua fama. Constam deste álbum dois de seus maiores hits, o hino “Smoke On The Water” (com o riff mais marcante da história do hard rock) e “Highway Star”. A turnê que se seguiu rendeu outro álbum clássico, o ao vivo Made In Japan.

Quando decidiu sair da banda Lord afirmou: “Foi terrível sair. Era a minha banda, eu era um membro fundador e os caras eram grandes amigos meus. Eu passei noites e noites sem dormir, mas percebi que estava começando a gostar menos da situação e ficando apenas acostumado com a mesma. De repente me descobri pensando que não gostaria de tocar noite após noite, e quando percebi aquilo, eu sabia que tinha de tomar uma decisão. Eu verifiquei se seria possível tirar um ano de férias, mas eles disseram que não achavam isso viável. Então eu disse que, naquele caso, teria de sair.”

Em 1984 Lord voltaria a recriar a banda, onde ficaria até 2002, quando deixou o Deep Purple e foi substituído pelo tecladista Don Airey (ex-Rainbow, ex-Ozzy Osbourne). Em 2004, gravou um single chamado “The Sun Will Shine Again” com Anni-Frid Frida Lyngstad, ex-integrante do grupo sueco ABBA. Jon Lord faleceu em Londres, aos 71 anos de idade, em 2012.

SERVIÇO

SÃO PAULO

Data: Sábado, 15/04/2023
Local: VIBRA SÃO PAULO – Avenida das Nações Unidas, 17.955 – Vila Almeida
Horário de abertura das portas: 19h00
Horário de início do show: 21h00
Classificação indicativa: 18 anos, menores de 18 anos a entrada é permitida apenas com autorização do responsável legal.
Acessibilidade para PCD.

Vendas de ingressos: www.uhuu.com

Preços dos ingressos:

Camarote – R$980 / Meia R$490
Cadeira Premium – R$890 / Meia R$445
Cadeira Central – R$800 / Meia R$400
Cadeira Lateral – R$700 / Meia R$350
Poltrona Central – R$720 / Meia R$360
Poltrona Lateral – R$620 / Meia R$310
Plateia Superior Central – R$500 / Meia R$250
Plateia Superior Lateral – R$400 / Meia R$200
Visão Parcial – R$300 / Meia R$150

Informações sobre meia entrada: A meia entrada é destinada para estudantes, jovens de baixa renda até 29 anos, professores, pessoas acima de 60 anos e PCD.
Bilheteria física: Bilheteria da Vibra São Paulo

CURITIBA

Data: Quarta-feira, 19/04/2023
Local: TEATRO POSITIVO – Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido
Horário de abertura das portas: 20h00
Horário de início do show: 21h00
Classificação indicativa: 14 anos, menores de 14 anos somente acompanhados dos pais ou responsável legal.
Acessibilidade para cadeirantes, elevador e assentos para obesos.

Vendas de ingressos: www.diskingressos.com.br

Preços dos ingressos:

Plateia Premium – R$1.100 / Meia R$550
Plateia Inferior – R$900 / Meia R$450
Plateia Superior Central – R$800 / Meia R$400
Plateia Superior Lateral – R$700 / Meia R$350

Informações sobre meia entrada: A meia entrada é destinada para estudantes, jovens de baixa renda até 29 anos, pessoas acima de 60 anos, professores, doadores de sangue, portadores de câncer e PCD.
Descontos Especiais:
Clube Disk Ingressos – Desconto de 50% sobre o valor de Inteira.
Clube Gazeta do Povo – Desconto de 50% sobre o valor de Inteira.
Bilheteria física: Bilheteria do Teatro Positivo

RIO DE JANEIRO

Data: Sexta-feira, 21/04/2023
Local: VIVO RIO – Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo
Horário de abertura das portas: 20h00
Horário de início do show: 21h00
Classificação indicativa: 18 anos, menores de 18 anos a entrada é permitida apenas com autorização do responsável legal.
Acessibilidade para cadeirantes, rampas e assentos para obesos.

Vendas de ingressos: www.showpass.com.br

Preços dos ingressos:
Cadeira Premium – R$980 / Meia R$490,00
Cadeira Vip – R$890 / Meia R$445
Cadeira Setor 01 – R$800 / Meia R$400
Cadeira Setor 02 – R$720 / Meia R$360
Cadeira Setor 03 – R$630 / Meia R$315
Camarote A – R$980 / Meia R$490
Camarote B – R$890 / Meia R$445
Balcão – R$700 / Meia R$350
Frisa – R$600 / Meia R$300

Informações sobre meia entrada: A meia entrada é destinada para estudantes, jovens até 21 anos, jovens de baixa renda até 29 anos, professores, pessoas acima de 60 anos e PCD.

Bilheteria física: Bilheteria do Vivo Rio

PORTO ALEGRE

Data: Terça-feira, 25/04/2023
Local: AUDITÓRIO ARAÚJO VIANNA – Avenida Osvaldo Aranha, 685 – Bairro Bom Fim
Horário de abertura das portas: 19h30
Horário de início do show: 21h00
Classificação indicativa: 16 anos, menores de 16 anos somente acompanhados dos pais ou responsável legal.
Acessibilidade para cadeirantes, rampas e assentos para obesos.
Vendas de ingressos: www.sympla.com.br/araujovianna

Preços dos ingressos:

Plateia Gold – R$1.100 / Meia R$550 / Solidário R$560
Plateia Baixa Central – R$880 / Meia R$440 / Solidário R$450
Plateia Baixa Lateral – R$780 / Meia R$390 / Solidário R$400
Plateia Alta Central – R$700 / Meia R$350 / Solidário R$360
Plateia Alta Lateral – R$580 / Meia R$290 / Solidário R$300

Informações sobre meia entrada: A meia entrada é destinada para estudantes, jovens de baixa renda até 29 anos, doadores de sangue, pessoas acima de 60 anos e PCD.
Descontos Especiais:
Ingresso Solidário – Desconto especial mediante doação de 1Kg de alimento não perecível.
Clube Assinante Zero Hora: Desconto de 50% sobre o valor de Inteira
Bilheteria oficial (sem taxa de conveniência – somente em dinheiro):
Loja Planeta Surf Bourbon Wallig (Av. Assis Brasil, 2611 – Loja 249 – Jardim Lindóia – Porto Alegre)

Heaven’s Guardian solta prévia de DVD ao vivo com orquestra

Realizado em junho no Teatro Goiânia, evento reuniu banda goiana de metal com a Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás – Crédito: Thiago Jesus

Deep Purple, Scorpions, Kiss, Metallica, Aerosmith, Jethro Tull, Dream Theater, Rage, ELP, Yes e Meat Loaf são alguns nomes do rock internacional que gravaram álbuns ao lado de orquestras. No Brasil, após “Origins” (2010) do Shaman e dos shows de Andre Matos (Shaman, ex-Viper e Angra) com a Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, agora o grupo goiano Heaven’s Guardian apresenta “Screams of 1964”, uma prévia deu seu ambicioso projeto.

Originalmente presente no álbum “D.O.L.L.” (2004), “Screams of 1964” agora recebe uma nova roupagem com a Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás. “A música é uma alusão aos dias de terror vividos pelo meu pai no Golpe daquele ano. É uma música forte e tradicional. Foi incrível ver o resultado final dela em sua execução com a Sinfônica e todos os seus novos arranjos”, declarou o guitarrista Luiz Mauricio.

Veja o Heaven’s Guardian e a Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás apresentando “Screams of 1964” em https://youtu.be/qVeirETZ4Ro

O grandioso evento, realizado no último mês de junho no Teatro Goiânia, foi inteiramente gravado e originará o primeiro DVD, a ser lançado pela gravadora Megahard em dezembro, de uma banda de heavy metal com orquestra sinfônica gravado no Brasil. No show, produzido pela Top Link Music, do empresário Paulo Baron, estiveram ao lado de Olivia Bayer e Carlos Zema (vocais), Ericsson Marin e Luiz Mauricio (guitarras), Murilo Ramos (baixo), Felipe Rosso (bateria) e Everton Marin (teclados) e da Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás, artistas consagrados como Ricardo Confessori (Angra, Shaman), Edu Ardanuy (Sinistra, ex-Dr. Sin), Marcello Pompeu (Korzus) e Alirio Netto (Queen Extravaganza, Age of Artemis e Khallice).

Site relacionado: www.heavensguardian.com.br






Solid Rock – Deep Purple e Lynyrd Skynrd vêm ao Brasil para três noites memoráveis

As bandas clássicas vão se apresentar em:
Curitiba – 12/12/17 – Pedreira Paulo Leminski
São Paulo – 13/12/17 – Allianz Parque
Rio de Janeiro – 15/12/17 – Jeunesse Arena

Solid Rock será três noites especiais – com duas bandas induzidas no Rock & Roll Hall of Fame, e um artista convidado – que irão fazer uma verdadeira celebração ao gênero musical. Deep Purple eLynyrd Skynyrd estão finalmente de volta ao Brasil, para se apresentarem em Curitiba, na Pedreira Paulo Leminski, dia 12 de dezembro; em São Paulo, no Allianz Parque, dia 13 de dezembro; e no Rio de Janeiro, na Jeunesse Arena, dia 15 de dezembro. Tesla será o artista convidado das apresentações, sendo a primeira vez da banda no Brasil.

O público em geral poderá adquirir os ingressos a partir do dia 24 de maio, pela internet (http://www.ticketsforfun.com.br/); nas bilheterias oficias (sem taxa de conveniência – FNAC em Curitiba; KM de Vantagens Hall RJ (antigo Metropolitan) no Rio de Janeiro; e no Citibank Hall em São Paulo) e nos pontos de venda espalhados pelo país. Em São Paulo, Solid Rock é apresentado pela Allianz Seguros e tem como fornecedor oficial o Hospital Sancta Maggiore. Heineken é a cerveja oficial em todas as cidades. Os shows são realizados pela TIME FOR FUN.

O público terá a oportunidade de curtir três shows completos na mesma noite, em cada cidade. Com duas das bandas mais importantes da história do Rock, Tesla dará a partida para cada dia de música, seguidos pelos americanos do Lynyrd Skynyrd e terminando com os britânicos do Deep Purple.

LYNYRD SKYNYRD
Seis anos se passaram, desde a primeira e última vez que uma das bandas mais influentes do Southern Rock veio ao Brasil. De volta à estrada em fevereiro desse ano com a turnê de 2017, já era hora do tão aguardado retorno ao país. Pela primeira vez com uma sequência de shows no Brasil, eles irão passar por três cidades que nunca visitaram – Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro -.

No repertório do Lynyrd Skynyrd, hits como “Simple Man”, “Free Bird”, “Tuesday’s Gone” e “Sweet Home Alabama”. Nessa turnê, uma coisa é certa: o público sempre pode esperar o inesperado.

Lynyrd Skynyrd se irá agitar a galera com Gary Rossington (guitarra) que é acompanhado por Johnny Van Zant (vocal), Rickey Medlocke (guitarra e backing vocal), Mark “Sparky” Matejka (guitarra, backing vocals), Michael Cartellone (bateria), Johnny Colt (baixo), Peter Keys (teclado), Dale Krantz Rossington (backing vocals) e Carol Chase (backing vocals).

Com um catálogo de mais de 60 álbuns, vendas passando de 30 milhões no mundo todo e com seu amado e clássico hino do rock, “Sweet Home Alabama”, Lynyrd Skynyd se mantem como um ícone cultural que se mantem e influência geração pós geração.

Para mais informações sobre o show e sua turnê mundial, visite lynyrdskynyrd.com

DEEP PURPLE
Depois de 3 anos, o Deep Purple volta ao Brasil com a The Long Goodbye Tour. A turnê que promove seu último álbum – o 20º de uma história que começou lá atrás, nos anos 60 – Infinite (2017), que foi lançado em abril. Agora em outubro, os britânicos – donos de um dos nomes mais importantes já induzidos na Rock & Roll Hall of Fame – vão viajar pelo Brasil para três apresentações.

Chegando ao quinto disco gravado pela formação atual, formada pelos membros a era clássica Ian Gillan (vocal), Ian Paice (bateria), Roger Glover (baixo), Steve Morse (guitarra) e Don Airey (teclado), vão apresentar clássicos e hits que foram feitos durante os quase 50 anos de estrada da banda.

O público terá a oportunidade de curtir algumas músicas novas do último álbum, como “Time for Bedlam” e “Roadhouse Blues”, além de músicas que se tornaram verdadeiros hinos para os amantes do Rock’n’Roll, como “Strange Kind Of Woman”, “Highway Star”, “Burn” and “Smoke on the Water”.Não só essas músicas, como toda a discografia do Deep Purple são responsáveis por construir gerações e mais gerações de fãs, que terão a oportunidade de assisti-los em Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro.

Para mais informações sobre o show e sua turnê mundial, visite www.deeppurple.com

SOLID ROCK – DEEP PURPLE, LYNYRD SKYNYRD E TESLA
Cerveja Oficial: Heineken
Realização: TIME FOR FUN

CURITIBA (PR)
Data: Terça-feira, 12 de dezembro de 2017
Abertura dos portões: 16h
Apresentação Tesla: 19h
Apresentação Lynyrd Skynyrd: 20h30
Apresentação Deep Purple: 22h30
Local: Pedreira Paulo Leminski – R. João Gava, 970 – Abranches – Curitiba – PR
Capacidade: 25.000 pessoas
Ingressos: de R$ 145 a R$ 660 (ver tabela completa)
Classificação etária: Não será permitida a entrada de menores de 10 anos de idade.
De 10 a 15 anos: Permitida a entrada acompanhado dos pais ou responsáveis legais.
A partir dos 16 anos: Permitida a entrada desacompanhados.

Ingressos:

SETORES
½ ENTRADA
INTEIRA
PISTA PREMIUM
R$ 290
R$ 580
PISTA
R$ 145
R$ 290
CAMAROTE
R$ 330
R$ 660

– Meia-entrada: obrigatória apresentação do documento previsto em lei que comprove a condição de beneficiário: no ato da compra e entrada do evento (para compras na bilheteria oficial e pontos de venda físicos) / na entrada do evento (para compras via internet ou telefone).

– O público em geral poderá adquirir os ingressos a partir do dia 24 de maio de 2017.

– Os ingressos podem ser parcelados em até 3X.

– Será possível comprar até 6 ingressos por CPF na pré-venda ou venda geral.

BILHETERIA OFICIAL – SEM TAXA DE CONVENIÊNCIA
FNAC Curitiba – Rua Professor Viriato Parigot de Souza, 600 – Barigui
De segunda a sábado: das 11h às 20h.

Domingo e feriado: das 14h às 18h.
*Excepcionalmente, no dia 24 de maio a bilheteria funcionará das 10h às 18h.

LOCAIS DE VENDA – COM TAXA DE CONVENIÊNCIA
Pela Internet: www.ticketsforfun.com.br
Retirada na bilheteria e E-ticket – taxas de conveniência e de entrega.

Pontos de venda no link: http://premier.ticketsforfun.com.br/shows/show.aspx?sh=pdv

FORMAS DE PAGAMENTO VÁLIDAS TICKETS FOR FUN
Internet:
Cartões de crédito MasterCard, American Express, Elo Crédito, Visa, Diners Club e Hipercard.

Bilheteria e Pontos de Venda:
Dinheiro;
Cartões de Credito MasterCard, American Express, Elo Crédito, Visa, Diners Club e Hipercard;
Cartões de Débito Visa Electron, MasterCard débito, Elo Débito e Hipercard;
Vale Cultura.

SÃO PAULO (SP)
Apresentado por: Allianz Seguros
Fornecedor oficial: Hospital Sancta Maggiore
Data: Quarta-feira, 13 de dezembro de 2017
Local: Allianz Parque – Rua Turiassú, 1840 – Perdizes – São Paulo – SP
Abertura dos Portões: 16h
Apresentação Tesla: 19h
Apresentação Lynyrd Skynyrd: 20h30
Apresentação Deep Purple: 22h30
Capacidade: 48.113 pessoas
Ingressos: De R$ 130 a R$ 580 (ver tabela completa)
Classificação etária: Não será permitida a entrada de menores de 10 anos de idade.
De 10 a 15 anos: Permitida a entrada acompanhado dos pais ou responsáveis legais.
A partir dos 16 anos: Permitida a entrada desacompanhados.

Ingressos:

SETORES
½ ENTRADA
INTEIRA
PISTA PREMIUM
R$ 290
R$ 580
PISTA
R$ 145
R$ 290
CADEIRA INFERIOR
R$ 195
R$ 390
CADEIRA SUPERIOR
R$ 130
R$ 260
CAMAROTE INFERIOR
R$ 390
CAMAROTE SUPERIOR
R$ 390

– Meia-entrada: obrigatória apresentação do documento previsto em lei que comprove a condição de beneficiário: no ato da compra e entrada do evento (para compras na bilheteria oficial e pontos de venda físicos) / na entrada do evento (para compras via internet ou telefone).

– O público em geral poderá adquirir os ingressos a partir do dia 24 de maio de 2017.

– Os ingressos podem ser parcelados em até 3X.

– Será possível comprar até 6 ingressos por CPF na pré-venda ou venda geral.

BILHETERIA OFICIAL – SEM TAXA DE CONVENIÊNCIA
CITIBANK HALL – Av. das Nações Unidas, 17.955 – Santo Amaro – São Paulo (SP)
Segunda-feira – fechada.
De terça a sábado: das 12h às 20h.
Domingo e feriado: das 13h às 20h.
*Excepcionalmente, no dia 24 de maio a bilheteria funcionará das 10h às 1

LOCAIS DE VENDA – COM TAXA DE CONVENIÊNCIA
Pela Internet: www.ticketsforfun.com.br
Retirada na bilheteria e E-ticket – taxas de conveniência e de entrega.

Pontos de venda no link: http://premier.ticketsforfun.com.br/shows/show.aspx?sh=pdv

FORMAS DE PAGAMENTO VÁLIDAS TICKETS FOR FUN
Internet:
Cartões de crédito MasterCard, American Express, Elo Crédito, Visa, Diners Club e Hipercard.

Bilheteria e Pontos de Venda:
Dinheiro;
Cartões de Credito MasterCard, American Express, Elo Crédito, Visa, Diners Club e Hipercard;
Cartões de Débito Visa Electron, MasterCard débito, Elo Débito e Hipercard;
Vale Cultura.

RIO DE JANEIRO (RJ)
Data: Sexta-feira, 15 de dezembro de 2017.
Abertura dos portões: 16h
Apresentação Tesla: 19h30
Apresentação Lynyrd Skynyrd: 21h
Apresentação Deep Purple: 23h
Local: Jeunesse Arena – Av. Embaixador Abelardo Bueno, 3401 – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – RJ
Capacidade: 13.000 pessoas
Ingressos: de R$ 125 a R$ 650 (ver tabela completa)
Classificação etária: Não será permitida a entrada de menores de 10 anos de idade.
De 10 a 15 anos: Permitida a entrada acompanhado dos pais ou responsáveis legais.
A partir dos 16 anos: Permitida a entrada desacompanhados.

Ingressos:

SETORES
½ ENTRADA
INTEIRA
PISTA PREMIUM
R$ 290
R$ 580
PISTA
R$ 155
R$ 310
CADEIRA INFERIOR – CENTRAL
R$ 140
R$ 280
CADEIRA INFERIOR – LATERAL
R$ 175
R$ 350
CADEIRA SUPERIOR
R$ 125
R$ 250
CAMAROTE
R$ 325
R$ 650

– Meia-entrada: obrigatória apresentação do documento previsto em lei que comprove a condição de beneficiário: no ato da compra e entrada do evento (para compras na bilheteria oficial e pontos de venda físicos) / na entrada do evento (para compras via internet ou telefone).

– O público em geral poderá adquirir os ingressos a partir do dia 24 de maio de 2017.

– Os ingressos podem ser parcelados em até 3X.

– Será possível comprar até 6 ingressos por CPF na pré-venda ou venda geral.

BILHETERIA OFICIAL – SEM TAXA DE CONVENIÊNCIA
KM DE VANTAGENS HALL RJ (ANTIGO METROPOLITAN) – Av. Ayrton Senna, 3000 – Shopping Via Parque – Barra da Tijuca.
Horário de funcionamento: Segunda-feira – fechada.
De terça a sábado – das 12h às 20h.
Domingo e feriado – das 13h às 20h.
*Excepcionalmente, no dia 24 de maio a bilheteria funcionará das 10h às 18h.

LOCAIS DE VENDA – COM TAXA DE CONVENIÊNCIA
Pela Internet: www.ticketsforfun.com.br
Retirada na bilheteria e E-ticket – taxas de conveniência e de entrega.

Pontos de venda no link: http://premier.ticketsforfun.com.br/shows/show.aspx?sh=pdv

FORMAS DE PAGAMENTO VÁLIDAS TICKETS FOR FUN
Internet:
Cartões de crédito MasterCard, American Express, Elo Crédito, Visa, Diners Club e Hipercard.

Bilheteria e Pontos de Venda:
Dinheiro;
Cartões de Credito MasterCard, American Express, Elo Crédito, Visa, Diners Club e Hipercard;
Cartões de Débito Visa Electron, MasterCard débito, Elo Débito e Hipercard;
Vale Cultura.






Glenn Hughes revisita época clássica do Deep Purple em Curitiba

Curitiba recebe esse mês um dos maiores nomes da história do Rock. Pela segunda vez em sua longa carreira, o baixista e cantor Glenn Hughes (ex-Deep Purle e Black Sabbath) desembarca na capital paranaense. Dia 19 de agosto, ele se apresenta na cidade contando com um convidado de peso: Doug Aldrich, renomado guitarrista que esteve no Whitesnake até o ano passado. O show acontece no Music Hall.

A procura por ingressos é grande. Os convites custam a partir de 100 reais (meia e promocional) no site Ticket Brasil (https://goo.gl/BGxfY8) e nas lojas Dr. Rock, Let’s Rock, Túnel do Rock e Monstros do Rock.

Glenn Hughes
Ao seu lado, Hughes terá a companhia de Doug Aldrich na guitarra e de Pontus Engborg na bateria. No repertório estarão presentes músicas de sua extensa carreira solo e clássicos eternos do Deep Purple, como “Burn” e “Stormbringer”.

O músico Glenn Hughes começou sua carreira oficialmente ao lado do Trapeze, nos anos 70, com o qual gravou alguns discos antes de ser convidado a integrar o Deep Purple. Na década seguinte, ele registrou trabalhos com Black Sabbath e Gary Moore, retomando sua carreira solo em meados dos anos 90. Mais recentemente, fez parte do Black Country Communion e do California Breed.

SERVIÇO
GLENN HUGHES em CURITIBA
Data: 19 de agosto de 2015
Local: Music Hall
Endereço: Rua Engenheiros Rebouças, 1645
Horário: 19h (abertura da casa)
Ingressos: R$ 100 (promocional e meia)

Pontos de venda
Let’s Rock: Gal. Pinheiro Lima – Praça Tiradentes – Lojas 3 e 4 – Centro. Fone: (41) 3324-2676
Túnel do Rock: Rua XV de Novembro, 74 – Centro. Fone: (41) 3322-4077
Dr. Rock: Shopping Metropolitan – Loja 04 – Praça Rui Barbosa. Fone: (41) 3324-0669
Monstros do Rock: Emiliano Perneta 30. Galeria Cesar Franco loja 26. Fone (41) 3022-7786

Online:
https://ticketbrasil.com.br/show/3124-glennhughes-pr

Evento:
https://www.facebook.com/events/1115067775175450/

Deep Purple – Burn